O Que Você Procura ?

sorriso

Sorriso: um guia completo sobre a importância da saúde bucal

dentista2

Sorriso é uma das partes mais notadas pelas pessoas, é como um cartão de visitas e é capaz de transmitir confiança e esbanjar autoestima. Estar bem consigo mesmo é um dos desejos mais comuns das pessoas e na maioria das vezes está ligado a aparência.

Se você gostaria de ter um sorriso mais atraente, confira a seguir a relação entre saúde bucal, a saúde emocional e geral, os cuidados necessários e os procedimentos que podem te garantir uma boca mais saudável e um sorriso bonito e harmônico. Boa leitura!

a importancia de um sorriso saudável

Aqui você vai encontrar:

A importância de um sorriso saudável

O sorriso é determinante tanto para a saúde bucal quanto para a saúde emocional e geral. Um sorriso saudável e bem cuidado é capaz de influenciar positivamente todas as áreas, proporcionando bem-estar e melhor qualidade de vida.

Caso o contrário, sem as boas medidas necessárias, além da baixa autoestima também se viabiliza a perda de confiança nas atividades rotineiras e nas relações. Logo, a saúde do sorriso está diretamente ligada ao bom estado da zona bucal, do corpo e da mente, podendo influenciar ou prevenir a incidência de uma série de complicações.

Saúde bucal e saúde emocional

O bem-estar e a aceitação física caminham juntos e quando uma pessoa não está segura de seu sorriso, ela se sente desconfortável. É buscando este bem-estar que o paciente procura o odontologista, e é por isso que cada dia mais a odontologia está atrelada com a medicina e a psicologia.

Segundo a OMS, a saúde bucal influencia a autoestima e a elevação da mesma, confirmando a relação entre o sorriso bonito e o bem-estar emocional.

O que a saúde do sorriso indica sobre a geral?

A saúde geral do nosso organismo engloba o bom estado de todo o nosso corpo, e como nossos órgãos e demais partições estão interligados, uma complicação específica pode atingir demais repartições, até mesmo a arcada dentária. A baixa imunidade se manifesta do resfriado até as manchas na pele e nos dentes; fazendo jus ao clareamento dental.

Esse efeito pode levar a incidência de doenças gengivais, periodontais e de aftas, e para ser controlado deve ser realizado algumas medidas.

dentista1

Saiba mais sobre a relação da baixa imunidade e a saúde bucal:

A relação entre a saúde geral e bucal

O bem-estar da arcada dentária e da gengiva engloba a saúde bucal. Uma série de doenças bacterianas e inflamatórias são capazes de atingir nossa saúde bucal e a partir dela, atingir todo o nosso organismo, como o coração. Assim como isso acontece, a situação também ocorre ao contrário, fazendo com que doenças de outras partes do corpo, tenham efeito em nosso sorriso.

A periodontite, a cárie e a halitose são as principais doenças relacionadas à zona bucal. Essas doenças, por estarem relacionadas ao grande acúmulo de bactérias, podem se transferir da arcada para o organismo.  Essas complicações são advindas da má higienização bucal, e podem ser a causa de doenças sistêmicas nos pulmões e estômago. Em contrapartida, doenças como diabetes, HIV, osteoporose e o câncer de boca podem ter efeito sobre o bom estado da dentição e gengiva.

A imunidade baixa e o sorriso

A baixa imunidade é uma das incidências do organismo que influenciam em eventuais danos à saúde bucal. Isso ocorre pelo fato de que, com o sistema imunológico enfraquecido, microrganismos se proliferam mais facilmente e realizam as suas reações mais livremente. Esses microrganismos podem ser externos, como as bactérias e os vírus, ou nativos, que se desenvolveram no ambiente bucal propenso.

Aftas e periodontite

Por meio do organismo fragilizado e desprotegido, diversos problemas bucais podem se desenvolver com baixa imunidade. Vários tipos de aftas, amigdalites, estomatite, herpes, periodontite e inflamações na gengiva podem ser motivados por esse efeito. Essas complicações possuem tratamento e podem ser prevenidas, em casos de sintomas de longa data, o tratamento deve ir muito além do dano em si, mas na busca diária pelo fortalecimento da imunidade.

Manutenção da força dos dentes

A baixa imunidade pode ser prevenida através de cuidados simples e rotineiros, como a alimentação. Aderir e manter uma alimentação saudável e equilibrada, com a presença devida de nutrientes, como as vitaminas, é uma das principais ações preventivas a essa problemática.

Outras medidas são o consumo ideal de água, manutenção de hábitos higiênicos, boa qualidade do sono e o controle do estresse. A higienização bucal regulada, com o uso do creme dental e do enxaguante bucal com flúor e a passagem do fio dental, é outro cuidado eficaz a ser tomado. Logo, mantendo esses cuidados, uma boa saúde geral e bucal, se evitará enfermidades e preocupações futuras, assim como se conservará o estado de bem-estar e a qualidade de vida.

O sorriso e suas funções essenciais

A finalidade da mastigação vai muito além da fragmentação do alimento. A primeira parte do processo digestivo auxilia também no respiratório e fonoaudiólogo; e quando danificada, a mastigação pode interferir negativamente em algum deles. A mastigação pode ser afetada por desgastes, incidência de cáries, por traumas, doenças neurológicas, fatores genéticos, por hábitos variados e pela perda de algum dos dentes; sendo necessário recorrer a uma prótese dentária. Leia sobre essas causas a seguir:

Causas da dificuldade de mastigação

Há uma variedade de possíveis motivações a disfunção ao mastigar, desde traumas físicos, doenças neurológicas, fatores psicológicos, motivação genética, patologias degenerativas ou hábitos ruins como roer as unhas e mascar chiclete. Para descobrir de forma precisa a causa do problema deve ser contatado um odontologista.

Fatores psicológicos

O estresse, a ansiedade, fatores psicossociais e a depressão podem influenciar problemas de mastigação, já que influenciam diretamente em nossos comportamentos e podem assim, influenciar na função da mordida.

Maus hábitos 

Os maus hábitos que influenciam na mastigação são diversos e são atos como roer as unhas, mascar chiclete frequentemente e morder objetos duros. Essas ações produzem muita pressão nos dentes e interferem no funcionamento oral; levando assim as disfunções na mastigação.

Traumas

As disfunções na mastigação podem também ser causadas por traumas locais ou em uma área abrangente. Os traumas podem ser causados por fortes baques no rosto ou no queixo, tratamento de canal prolongado, perda de dentes e diferença na retificação da mandíbula quanto ao maxilar (mordida cruzada).

Outras causas

As demais causas para esse problema vão desde causas genéticas, patológicas, mutação do líquido sinovial (fluido presente nos tendões e articulações) e o crescimento de pressão.

O que é mastigação?

A mastigação envolve a moagem dos alimentos em pedaços menores, sendo realizada pelos dentes e auxiliada por enzimas. Com a mistura desses alimentos e da saliva com enzimas, a espessura dos alimentos fica pastosa e de fácil consumo. A enzima ptialina digere os amiláceos e os transforma em açúcares. Há também a presença de um muco viscoso na saliva, que envolve o alimento e faz com que consigamos engoli-lo.

Músculos da mastigação

Os músculos que participam no processo da mastigação são: O músculo Temporal; que eleva e retrai a mandíbula, o Masseter e o Pterigóideo medial; que também auxiliam na elevação da mandíbula, e o Pterigóideo lateral; com a finalidade de auxiliar nos movimentos laterais da mandíbula e na abertura da boca.

A importância da mastigação

A mastigação possui uma grande importância que vai além de ser o início de um dos principais sistemas do corpo humano. Esse processo libera enzimas que ajudam na trituração dos alimentos e na sua chegada pré-digerida no estômago, possibilitando a proteção contra transtornos como a má digestão, azia e a sonolência após a alimentação.

Muitos dos problemas relacionados à digestão são influenciados por uma mastigação incorreta. Quando ingerimos alimentos em grandes pedaços, se exige um maior esforço para fragmentá-los. Indivíduos com problemas na digestão de alimentos devem se preocupar ainda mais com a mastigação, exercitando-a frequentemente, já que qualquer transtorno no processo digestivo pode agravar com uma mastigação insuficiente.

A mastigação também auxilia no controle do consumo dos alimentos com sua constância. Uma boa mastigação, uma boa moagem das comidas pode estimular na saciedade total do organismo, que regula a ingestão. 

Mastigação correta

A mastigação ideal é pausada e ritmada, com pausas entre as ingestões. Quando há uma mastigação correta, os músculos do rosto que participam do processo, geram uma resposta instantânea ao estímulo da saciedade, fazendo com que a pessoa se sinta satisfeita com pouco. Para quem deseja controlar o peso e para uma reeducação alimentar, o estímulo da mastigação pode ajudar bastante a alcançar esses objetivos. O número indicado para uma mastigação suficiente é entre 25 a 30, sendo um número distante do máximo que geralmente se mastiga.

Pessoas que se alimentam rapidamente não sentem o sabor dos alimentos, uma vez que as pupilas gustativas se localizam na cavidade bucal, possuindo também uma menor sensação de saciedade e comendo deliberadamente. O cérebro nessas condições, não transmite sinais de que está satisfeito na hora certa, sendo tardio e fazendo com que o indivíduo continue se alimentando e ganhando peso desnecessário.

Tratamento das disfunções na mastigação

O tratamento dessas disfunções na mastigação depende de cada paciente e da gravidade da situação, mas, na maioria das vezes, inclui a terapia clínica para amenizar as dores e retornar às funções bucais. Na fase inicial, podem ser usados analgésicos e compressas de água quente no local. Pode-se também ser adotadas ações como: manter a boca úmida, beber água enquanto come, ingerir alimentos macios e pequenos, e alimentos mais secos sobrepostos com caldo ou molho.

Em casos mais graves, é necessário o uso de placas estabilizadoras para que haja o controle da mordida cruzada, a correção de problemas da dentição e a reabilitação oral; evitando que seja preciso recorrer a cirurgia.

O cuidado profissional em casos de disfunções da mordida é muito importante, pois as consequências desse problema são gravíssimas, tanto para saúde bucal quanto para as funções de outras partes do corpo. Especialistas como o otorrinolaringologista podem ser requisitados, além de, é claro, um odontologista. Somente através da consulta com um profissional há o diagnóstico preciso e o início do tratamento ideal da anomalia.

Então em caso de desconforto na mastigação ou presença de alguma disfunção, procure rapidamente seu dentista e evite eventuais problemas.

saúde bucal e os cuidados necessários

Saúde bucal e os cuidados necessários

A nossa zona bucal possui várias funções importantes, a ponto de a saúde bucal se relacionar diretamente com a saúde geral. Logo, manter os cuidados necessários com a boca em dia são essenciais na prevenção de danos que podem afetar todo o organismo.

Além de funções como a respiração, a mastigação e a fala, a boca também é morada e porta de entrada de bactérias e microrganismos que podem ser nocivos à saúde.

Os bons hábitos e a higienização correta e completa dessa região são capazes de barrar e prevenir que essas complicações ocorram. As visitas regulares ao dentista também fazem parte de uma ação preventiva eficiente, com procedimentos como o aparelho ortodôntico.

Conheça os cuidados com a saúde bucal que você deve manter em dia:

Uso diário do fio dental

O uso do fio dental muitas vezes é subestimado e deixado de lado na rotina. Entretanto, sua passagem é essencial para a manutenção da saúde bucal, já que retira os resíduos de alimentos que não são capazes de serem retirados pela escovação.

Desse modo, o uso desses alimentos deve ser diário, acompanhando uma das escovações. Com esse hábito, ao remover os restos entre os dentes e perto da gengiva, se previne a formação e as eventuais evoluções das placas bacterianas.

Uso diário do enxaguante bucal

Assim como o fio dental, o enxaguante bucal também é muitas vezes ignorado na hora da higienização e é igualmente importante. É o enxaguante, o responsável por reduzir as manchas deixadas no esmalte do dente por alimentos e bebidas bem pigmentadas, como o café.

Os bochechos, quando diários, têm como efeito a redução da percepção dessas manchas e as evitam, uma vez que otimizam a limpeza bucal.

No entanto, a sua ausência no cotidiano favorece que a acidez dos alimentos danifique ainda mais a proteção dos dentes, favorecendo a formação de cáries, halitose, e até mesmo a perda de parte da dentição.

Cuidados com a escovação

A escovação, mesmo que esteja presente no nosso dia-a-dia, muitas vezes não é feita da forma correta, perdendo assim os seus benefícios.

A escovação deve ser precisa e alcançar toda a arcada com os seus movimentos circulares. A escova deve ser trocada após 3 meses de uso e conter as cerdas macias, para não machucar a gengiva e perfurar o esmalte do dente, evitando a sensibilidade. A língua também deve ser escovada corretamente por meio de passagens de varreduras.

Quanto ao creme dental, ele deve conter flúor, já que é esse componente que possui a função de eliminar as bactérias, prevenir a sua proliferação, fortalecendo o esmalte da arcada dentária.

O creme dental, por sua vez, pode conter benefícios adicionais, como branqueamento, redução da sensibilidade e controle do tártaro.

Higiene bucal noturna

Durante a noite, a higienização deve ser ainda mais considerável. Dormir sem realizá-la não é uma opção, já que é durante a noite de sono que a boca se torna um local ainda mais acessível a ação de bactérias nocivas, já que é quando a salivação diminui.

Portanto, para evitar a incidência de cáries e demais doenças, escove bem os dentes, a língua, e previra esse horário para fazer o uso do fio dental e do enxaguante.

Dieta saudável e equilibrada

Uma boa alimentação também está relacionada com a saúde bucal, isso se deve ao fato de que são os alimentos açucarados e ricos em amido as principais causas da formação das placas bacterianas e cáries, já que gruda facilmente na arcada.

Logo, não deixe de realizar a escovação entre os intervalos das refeições e beba muita água para que as impurezas possam se desgarrar.

Priorize uma dieta que tenha base em alimentos saudáveis e nutritivos, que são capazes de fortalecer o organismo, e assim, a estrutura dentária.

visita periódica ao dentista

Visita periódica ao dentista

Por fim, as visitas ao dentista são extremamente importantes, já que fazem possível que o profissional identifique possíveis danos que possam comprometer a saúde bucal em sua fase inicial, impedindo que se evoluam.

Com esse diagnóstico e avaliação geral, o dentista também poderá identificar a necessidade da realização de algum procedimento, como a profilaxia, a limpeza profissional que deve ser feita a cada 6 meses.

É só tomando essas medidas que a saúde bucal é mantida e o seu sorriso ficará em dia. Tenha em mente que esses cuidados são decisivos e impedem que males possam também atingir seu corpo, como diabetes e doenças cardiovasculares.

Escovação e suas técnicas adequadas

A escovação para muitos é o processo mais importante da manutenção da saúde bucal. Entretanto, a sua importância se iguala a da passagem do fio dental e do enxaguante bucal.

Entretanto, não se deve ignorar a sua qualidade mesmo que sozinha ela não possa colher todos os bons resultados de uma boa higienização bucal.

Logo, para uma boa higiene bucal, a escovação deve ser feita seguindo alguns cuidados, saiba quais são:

os cuidados para com a escovação

Os cuidados para com a escovação

Assim como qualquer cuidado que se remeta a saúde e a higiene, a escovação deve seguir algumas técnicas adequadas. No entanto, é importante procurar saber as indicações e contra indicações do dentista de sua clínica ou franquia odontológica.

Veja os principais cuidados com a escovação:

Frequência e duração

A escovação deve ser realizada diariamente, sendo no mínimo 3 vezes ao dia. Sua frequência é determinada pela hora em que acorda, os intervalos entre refeições e ao ir se deitar.

A duração da escovação deve ser suficiente para que a limpeza dental seja visível, não esquecendo de realizar a escovação da língua e do tecido gengival. Os movimentos da escova devem ser similares a varreduras e circulares ao serem feitos na superfície da arcada dentária.

A higienização do dente é extremamente importante para a manutenção de uma boa estética do sorriso e evitar eventuais complicações. É essencial para uma melhor saúde bucal, que além de uma higienização precisa e completa, se saiba escolher os produtos utilizados durante a limpeza e seja realizada gradativamente o efeito de clareamento dental. Saiba como efetuar a escolha desses produtos:

Escovas de dente

A escolha da escova de dente pode ser bastante difícil, uma vez que esse produto está disponível de diversas formas, estilos e com diferentes propriedades no mercado. Um grande número de dentistas indica as escovas com cerdas macias, afirmando a sua maior eficiência na remoção da placa bacteriana e restos de alimentos. Outra recomendação é que as escovas tenham cabeças menores, uma vez que podem alcançar mais completamente as áreas da boca, realizando uma limpeza próxima da totalidade.

A seleção do estilo e proporção ideal devem ser de acordo com suas necessidades e da forma que te deixa confortável. A melhor escolha da escova de dente é a que melhor se encaixa em sua boca e que consegue entrar em contato com toda a arcada dentária com facilidade.

É necessário realizar a substituição da escova de dente quando se perceber uma maior deterioração ou em um período determinado de três meses. O estilo de escova de dente que as crianças usam também possui restrições. As escovas devem possuir cerdas de nylon macias e que seja capaz de atingir toda a superfície dos dentes.

As escovas elétricas são capazes de retirar ainda mais precisamente as placas da dentição do que as escovas comuns, porém, são recomendadas a pacientes que possuem debilidades motoras.

Cremes dentais

Os cremes dentais para atingirem o efeito de limpeza necessário devem conter em sua consistência o flúor, componente que auxilia o fortalecimento do esmalte. É importante que o tipo ideal seja indicado pelo seu odontologista, tendo em vista as particularidades de sua dentição.

Assim como a escova de dente, o creme dental também possui várias formas, podendo ter a finalidade de branquear os dentes e até mesmo com a composição especializada para dentes sensíveis. É importante que o flúor esteja contido até mesmo no creme dental das crianças.

Fio dental e enxaguante bucal

O fio dental é o que faz a limpeza da arcada dentária ficar completa, atuando na área que a escovação não consegue alcançar, entre os dentes. Também é um produto que está disponível em uma variedade de formas, sabores e consistência. Caso você possua dificuldade para realizar sua passagem, compre um passa fio. É recomendado que o fio dental seja passado após as refeições juntamente com a escovação, porém, pode ser utilizado ao final do dia, assim como o enxaguante bucal.

O enxaguante bucal, assim como o creme dental deve conter o flúor e atua no fortalecimento dos dentes, na prevenção contra a cárie e no frescor do hálito. Esses dois produtos vão se limitar apenas à preferência de marcas, já que todos possuem as mesmas propriedades. Caso ainda esteja em dúvida quanto a que tipo de produto comprar, converse com o seu dentista.

A troca periódica da escova

Uma vez que está em frequente contato com sujeiras e microrganismos, a escova deve ser trocada periodicamente. O indicado pelos especialistas é que a troca desse objeto seja feita a cada 3 meses.

Com o tempo, a escova vai perdendo a eficiência na sua função pela danificação das cerdas, fazendo com que se tenda a realizar mais força na escovação. Dessa forma, o esmalte é desgastado e a escovação é prejudicada.

Técnica e movimentos adequados

Como dito, as passagens devem ser como varreduras, revezando entre movimentos de cima para baixo e movimentos circulares. Para uma maior remoção, não é necessário que seja colocada muita força na escova e sim procurar atingir ao máximo todas as regiões da boca.

Para otimizar a limpeza pela escovação, o uso de um limpador lingual e de um revelador de placa bacteriana podem ser uma solução em caso de alguma dificuldade.

O limpador lingual se trata de uma haste plástica que realiza a limpeza da língua no lugar da escova, evitando casos de enjoos. Já o revelador de placa bacteriana, por sua vez, ajuda a verificar se a placa bacteriana foi devidamente removida da dentição.

No fim da escovação, não deixe de fazer um bom bochecho com água, não permitindo que placas de sujeira sejam ainda deixadas para trás.

a escolha da escova ideal

A escolha da escova ideal

A escolha deve levar em conta a sua extensão, proporção e a espessura de suas cerdas. Logo, a escova ideal deve conter cabo proporcional, cabeça arredondada e pequena e as cerdas macias. Não levar em conta somente a sua aparência é fundamental para que a escolha correta.

As escovas devem ser macias para não ferir a gengiva ou o esmalte do dente durante os movimentos. Sua cabeça deve ser arredondada e pequena para não incomodar nas passagens e conseguir alcançar todos os cantos da zona bucal.

Existem no mercado diversos tipos de escova, inclusive alguns bem tecnológicos, como a escova de dente elétrica, que pode ser uma opção à manual caso seja de sua preferência.

O creme dental ideal

A escolha do creme dental é tão importante quanto a da escova. Assim como ela, a pasta de dente também está disponível de diversas formas, possuindo várias especialidades como o tratamento da sensibilidade, do tártaro e da doença periodontal.

Também a aqueles que possuem propriedades branqueadoras e estão entre os mais populares.

Na ausência de contraindicações, devem ser priorizadas pastas que possuam o flúor como componente, já que esse mineral possui uma importante atuação antibacteriana.

O creme dental com flúor também ajuda no combate da halitose, trazendo refrescância ao hálito.

Para a escovação, não exagere na quantidade de creme dental, a proporção semelhante a uma ervilha já é o suficiente para uma limpeza eficiente.

Tenha em mente que a quantidade de espuma não é sinônimo de uma boa escovação e que o uso exagerado de flúor pode trazer complicações como a Fluorose.

Uso do fio dental e do enxaguante bucal

Por fim, para uma higiene bucal completa e eficaz, o uso do fio dental e do enxaguante bucal deve ser diário, acompanhando uma das escovações.

Uma vez que a escovação não atinge todas as áreas da boca, o uso do fio e do enxaguante são essenciais para a manutenção da saúde bucal e da prevenção de danos como a formação da placa bacteriana e de suas evoluções.

Além da higiene bucal devida realizada dentro de casa, as visitas ao odontologista devem ser regulares, fazendo com que o diagnóstico identifique esses problemas bucais em sua fase inicial e que o tratamento seja iniciado o quanto antes.

os benefícios do uso do fio dental

Os benefícios do uso do fio dental

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a escovação, mesmo que bem feita, não é capaz de manter sozinha a higiene bucal. O uso do fio dental e do enxaguante bucal são essenciais para que a limpeza dos dentes seja completa e precisa. Tratamentos e procedimentos estéticos, como o clareamento dental, podem ter seus efeitos produzidos a longo prazo através de uma higienização bucal completa.

Cada produto e procedimento atinge uma área mais ampla da dentição, fazendo com que placas bacterianas sejam eliminadas quase ou totalmente por essa eficiência. Veja os benefícios do uso do fio dental e de realizar sua passagem de forma correta:

Limpeza precisa entre os dentes

A escovação é eficaz para realizar a limpeza da região externa e da superfície dos dentes, entretanto, não consegue efetuar a limpeza dos resíduos e bactérias acumuladas entre os dentes. É somente o fio dental que é capaz de realizar a limpeza dessas áreas, retirando os restos de alimentos que ficaram presos nessas fendas. Caso não seja efetuada a passagem devida de fio dental entre os dentes, problemas como cáries e placas bacterianas podem se desenvolver e se agravar com o tempo.

Ação preventiva a doenças

A passagem do fio dental é eficiente na prevenção de uma série de doenças que atingem a região da boca e que se iniciam pela proliferação das bactérias e do desenvolvimento das cáries. A doença periodontal e a gengivite são exemplos de enfermidades que podem ser evitadas pela higienização completa da arcada dentária e gengiva. Isso se deve aos resíduos que também se acumulam abaixo das gengivas, alimentando bactérias e levando a inflamações e doenças.

Desse modo, quando o fio dental é utilizado corretamente, auxilia na remoção do tecido inflamado, causador da gengivite. É necessário que o seu uso seja feito diariamente, mesmo com a incidência de sangramento. Caso o sangramento continue após uma semana, procure um dentista.

Combate ao mau hálito e a placa bacteriana

A atuação das bactérias sob os restos de alimentos que ficaram estagnados entre a arcada dentária leva a halitose, e é por esse motivo que o fio dental ajuda a manter um hálito mais agradável. Em relação a acúmulo de bactérias e resíduos entre os dentes, sua remoção pelo fio dental é essencial no combate à placa bacteriana, uma vez que é formada por eles.

Na falta da remoção desses componentes, a placa bacteriana se fixa no dente e dá origem ao tártaro, trazendo uma coloração amarelada aos dentes e uma maior probabilidade de incidência das cáries.

uma melhor estética bucal

Uma melhor estética bucal

Uma vez que evita o acúmulo de resíduos e o escurecimento dos dentes pela evolução da placa bacteriana, o uso do fio dental é de grande relevância para a manutenção de um sorriso mais agradável esteticamente. Uma vez que a limpeza dos dentes é completa, precisa e frequente, há a conservação do esmalte do dente, fazendo com que seja mais resistente a manchas, lesões e as alterações de sua coloração.

Portanto, o uso do fio dental é essencial para a manutenção de sua saúde bucal. Se certifique de passar um pedaço ainda não usado em cada fresta e que a sujeira do local seja retirada totalmente. Para a prevenção de doenças e um tratamento ainda mais profundo dos dentes, visite regularmente a clínica odontológica de sua confiança.

os benefícios do uso do enxaguante bucal no sorriso

Os benefícios do uso do enxaguante bucal

A higiene bucal é formada pela boa escovação, pelo uso diário do fio dental e do enxaguante. O enxaguante bucal, por sua vez, muitas vezes é deixado de lado pela correria da rotina, mas possui um papel importante para a manutenção da saúde da boca.

Levando esse papel em consideração, o uso do antisséptico bucal não deve ser subestimado. Vantagens como o combate a bactérias e a prevenção de cáries e da doença periodontal podem ser citadas.

Veja quais são os benefícios à saúde bucal que o enxaguante é capaz de trazer:

Ação antibacteriana

A principal ação do antisséptico bucal é a redução das bactérias na boca. Mesmo com a escovação e o uso do fio dental, muitas vezes não são suficientes para controlar o número desses microrganismos na boca. O enxaguante vem otimizar justamente essa função.

Esse controle é muito importante, já que é justamente a ação das bactérias nos restos de alimentos que leva a formação da placa bacteriana, e assim ao tártaro, a cárie, a gengivite e a periodontite sucessivamente.

Combate a placa bacteriana

A placa bacteriana, como o nome mesmo diz, se trata do acúmulo de bactérias em uma superfície com restos de alimentos e de células descamadas. Esse conjunto gera na formação de uma película “gosmenta” e pegajosa, que impacta a estética da dentição com manchas amareladas.

A placa bacteriana é formada cerca de 4 a 12 horas após a refeição e também da má escovação. Logo, não deixe de lado nenhum dos passos essenciais e que inclui o uso do enxaguante.

Prevenção ao tártaro

O tártaro é resultante da placa bacteriana quando não tratada. Sua evolução é nada mais nada menos do que a placa calcificada. Pode ser identificado por manchas amareladas ou amarronzadas que possuem uma espessura diferente da natural dos dentes.

Ao contrário da placa bacteriana, o tártaro não pode ser eliminado pela boa higiene bucal, mas pode ser prevenido por ela.

Prevenção às cáries

As cáries são a evolução do tártaro. Se tratam do desgaste da estrutura dentária que aos poucos vai se aprofundando, atingindo a dentina e trazendo sensibilidade. Levando isso em conta, fica clara a importância do uso do enxaguante bucal para a prevenção às cáries.

A prevenção é feita, assim como as demais evoluções da placa bacteriana, na eliminação das bactérias, impedindo assim, as suas reações e as demais consequências.

Prevenção às doenças periodontais

Quando a placa bacteriana se aloja na linha da gengiva, ela pode causar uma irritação no tecido gengival, fazendo com que a doença periodontal se desenvolva. A doença periodontal em sua fase inicial possui sintomas como dores, vermelhidão e mau hálito, podendo evoluir para uma inflamação no futuro se não tratada.

Aqui também se faz necessário a presença do uso do enxaguante bucal, associado às técnicas adequadas de escovação, a passagem do fio dental e as visitas periódicas ao odontologista.

Combate a halitose

Uma vez que os problemas bucais são evitados, se combate também o mau hálito, que é uma das principais consequências desses danos.

A principal causa da halitose, por sua vez, é o acúmulo de resíduos na superfície da arcada dentária. A reserva nutritiva desses restos deixados, atraem bactérias que acabam por liberar uma toxina de odor desagradável.

O uso do antisséptico bucal também vem com a finalidade de trazer mais refrescância ao hálito, eliminando as bactérias e assim essas substâncias.

Uso rápido

Mesmo com a correria do dia-a-dia, o uso do antisséptico não é inviável. O seu uso é prático e rápido, sendo o tempo ideal do bochecho de 30 segundos.

Acompanhando a escovação e o fio dental, o uso do enxaguante bucal deve ser preferivelmente feito à noite, levando em conta que a higienização noturna é considerada a mais importante.

A compra do antisséptico bucal ideal deve ser intermediada pelo seu dentista, dessa vez considerando as indicações e contra indicações de suas particularidades.

Dentre as contraindicações estão crianças menores de 3 anos, idosos que sofrem de alguma debilidade motora, pacientes diabéticos e que passaram pelo procedimento de clareamento dental.

Por fim, tenha em mente que todas as fases da higiene bucal são igualmente importantes e essenciais para um sorriso mais harmônico e saudável.

a importância da adesão dos bons hábitos

A importância da adesão dos bons hábitos

Para evitar tais procedimentos, nada melhor do que prevenir com uma boa higienização bucal. A boa escovação, o uso do fio dental e do flúor são imprescindíveis para evitar alguns dos problemas solucionados por esses processos. Além disso, uma boa alimentação, evitando a ingestão de alimentos industrializados e com alto índice de açúcar. O ato do fumo também é prejudicial e deve ser evitado.

É indicado visitar o dentista regularmente, de 6 a 6 meses, para ser feita uma limpeza completa e uma avaliação geral do estado de sua saúde bucal, precavendo de eventuais problemas.

Os benefícios do flúor para o sorriso

A aplicação de flúor nos dentes por meio do creme dental ou por meio do enxaguante bucal é algo feito quase sem pensar e obrigatoriamente. O seu uso em produtos de higiene bucal é algo indicado pelas maiorias dos dentistas, sendo assim, as suas propriedades, o seu uso e efeito nos dentes não é questionado.

No entanto, uma das principais motivações para o seu uso é livrar os dentes das incômodas cáries, incidência essa responsável por uma série de problemas graves a longo prazo. O flúor também pode ajudar na eliminação e na precaução de manchas, sendo potencializado pelo procedimento de clareamento dental. Saiba mais sobre tratamento com flúor e como ele afeta nossa saúde bucal:

O que é o flúor?

Foi comprovado por uma pesquisa que pessoas que consomem a água fluoretada possuem um menor sofrimento com as cáries. O flúor pode ser encontrado na natureza e ser projetado em alimentos ou na própria água por intervenção humana. Esse mineral atua em nossa saúde bucal em processos, são eles a desmineralização e remineralização dos dentes, que ocorrem nessa ordem após alguma refeição e da reposição mineral subsequente.

O flúor atua na prevenção das cáries de diferentes formas, na infância, por exemplo, ele ajuda criando uma barreira de proteção, já nos adultos, atua fortalecendo o esmalte da arcada dentária.

Indicação do tratamento

A aplicação de flúor nos dentes é recomendada majoritariamente em crianças e adolescentes, uma vez que quanto mais cedo, mais serão os benefícios e as precauções à danos futuros. Essa prevenção de eventuais problemas bucais também é uma vantagem aos adultos, principalmente aqueles que estão no grupo de risco. Entre os grupos de risco para a ocorrência das cáries estão as gestantes, os fumantes, diabéticos, dependentes químicos e até mesmo consumidores regulares de bebidas alcóolicas.

Procedimento e contraindicações

Esse procedimento, uma vez que pode ser realizado em qualquer faixa etária e circunstância, não possui contra indicações relevantes. O odontologista fará uma análise do caso e verá se precisa ou não da intervenção do tratamento. Além disso, o profissional indicará também a quantidade que deve ser utilizada pelo paciente em seu dia-a-dia, uma vez que essa quantidade varia de pessoa a pessoa.

É importante se atentar que o seu uso durante a escovação é geralmente indicado a ser semelhante ao tamanho de uma ervilha, e em casos de exagero, pode trazer uma série de prejuízos.

Os benefícios da aplicação do flúor

O principal benefício da aplicação do flúor é o fortalecimento da arcada dentária e de sua proteção contra microrganismos nocivos. Outro fator importante dessa aplicação é o seu auxílio no tratamento e no reparo de danos que já foram causados por esses vilões da saúde bucal. O flúor não atua na cura da cárie, mas sim na prevenção de que a situação se agrave.

Portanto, se atente quanto a sua higienização bucal, não esqueça do uso do creme dental com flúor na quantidade recomendada e do uso do enxaguante bucal no final da escovação. Alie essa rotina também a uma visita regular ao consultório odontológico, só assim você saberá se há necessidade desse procedimento e poderá realmente sanar os problemas que já afetam a sua saúde bucal.

a saúde bucal para bebês

A saúde bucal para bebês

Os cuidados com a saúde bucal devem começar desde os primeiros meses de vida, e a partir do nascimento do primeiro dente. Isso se deve a complicações que podem aparecer a partir da formação da dentição, como a cárie de mamadeira e o sapinho.

Esses danos são influenciados pelo consumo de açúcar, que são capazes de comprometer a limpeza de dentes e atuar na gengiva do bebê desde os primeiros momentos.

Os cuidados com a saúde bucal do bebê se diferem dos cuidados feitos após a formação completa da dentição. Saiba quais são eles:

A saúde bucal nos primeiros dias de vida

Mesmo que todos os dentes não tenham nascido, os cuidados quanto à saúde bucal começam desde as suas primeiras formações.

Segundo a nova orientação da Associação Brasileira de Odontopediatria, a higiene bucal deve se iniciar quando o primeiro dente começar a aparecer, já que no recém-nascido o leite materno é uma proteção à boca.

Assim que o dente apontar, o hábito da escovação começa a fazer parte da rotina do bebê, assim como as visitas ao odontopediatra. Assim como na vida adulta, as visitas ao especialista estão diretamente relacionadas a ação preventiva e a identificação de futuros prejuízos.

Além disso, o dentista é capaz de orientar situações que podem comprometer a saúde bucal do bebê, como a incidência de quedas e perdas.

Como realizar a escovação de forma correta?

O primeiro dente pode aparecer entre os 4 e os 9 meses de idade e a sua escovação requer uma escova de cerdas macias e apropriada, com cabo alongado e cabeça pequena.

Durante o nascimento do dente a higiene deve ser feita apenas com água. Após um determinado período indicado pelo dentista o uso do creme dental infantil pode ser iniciado, mas em quantidade moderada, como o tamanho de um grão de arroz cru.

A escova deve iniciar a atuação pela parte inferior da arcada superior, dando atenção especial aos dentes molares. A limpeza da língua não deve ser ignorada e após finalizada, o creme dental restante deve ser removido com uma gaze molhada.

A escovação deve ser feita ao menos 2 vezes diariamente. Se feita de modo inadequado, a má escovação pode influenciar o desenvolvimento da placa bacteriana e de complicações na gengiva.

Como adaptar o bebê à escovação?

Por ser algo novo e invasivo, o bebê pode não se adaptar bem inicialmente à escovação, para isso, é necessário tornar essa experiência a mais agradável possível.

Para gerar mais conforto, a cabeça da criança deve ser apoiada e para distraí-lo, a adesão de músicas, desenhos, livros e vídeos educativos pode ser algo eficiente. Com essa prática, se associa a higiene bucal a algo importante e divertido.

As escovas de dentes também podem ser grandes aliadas para a melhor adaptação ao processo, quando coloridas e de algum personagem pode fazer com que não haja resistência e sim vontade.

É importante que com a aceitação da criança se passe as informações necessárias para a futura independência.

Leve em conta que a higienização bucal deve ser feita após as mamadas, refeições principais e antes de dormir.

a importância da higienização da gengiva

A importância da higienização da gengiva

Assim como a escovação é importante, também é a higienização da gengiva. A higienização do tecido gengival é feita com o uso de uma gaze ou tecido macio acima do dedo indicador.

A passagem deve ser feita logo após a ingestão do leite materno, pressionando levemente a região interna da bochecha e a gengiva abaixo dos dentes. A água utilizada deve estar na temperatura ambiente e pode ser mineral ou fervida. O mesmo tecido pode ser passado na língua para que também haja a sua higienização.

O uso de uma dedeira com ponta de silicone também pode ser aderido. A dedeira após o uso deve ser esterilizada, assim como ocorre com as famigeradas chupetas.

Orientações adicionais

A rotina de saúde bucal do bebê vai incluir o uso do fio dental assim que a parte da dentição se juntar. Uma vez que a escovação não se mostra suficiente para remover os resíduos entre os dentes, o fio dental previne que cáries se desenvolvem nesses espaços.

Deve-se atentar a mamada noturna, já que os bebês facilmente dormem logo após esse momento. São os resíduos deixados após a ingestão do leite materno nesse período que provocam a chamada “cárie de mamadeira”, devendo ser removidos antes que a criança caia no sono.

Por fim, deve ser dado exemplo, os bebês tendem a imitar as ações dos pais e nada melhor do que a reprodução de bons hábitos.

Procedimentos odontológicos que beneficiam o sorriso

A odontologia a cada dia mais vem ganhando espaço no mercado, ganhando cada dia mais investimento e sendo passiva a inovações tecnológicas e a novas técnicas de tratamentos.

Assim como ocorre na saúde, a odontologia possui uma série de especializações e procedimentos que visam diferentes situações na zona bucal.

Por solucionarem problemas comuns quanto a condição e a estética do dente, alguns desses procedimentos se destacam dentre os demais.

Conheça quais são os principais procedimentos odontológicos e suas particularidades:

aparelho odontológico

Aparelho odontológico

O aparelho odontológico é de longe um dos tipos de tratamentos com maior adesão entre os pacientes. Tendo em vista o alinhamento da arcada dentária e um sorriso mais harmônico, o aparelho ajuda na recuperação da confiança e da autoestima.

O aparelho odontológico possui diferentes modelos, cada um recomendado para determinada correção. Aparelho fixo, aparelho fixo estético, aparelho móvel, lingual e invisível, que atuam não só na dentição, mas em sua sustentação óssea.

Implante dentário

O implante dentário também é um dos procedimentos odontológicos mais requisitados nas clínicas. Busca solucionar o problema da perda de dente através da colocação de um dente sobre uma peça de titânio.

As cáries, por sua vez, são as principais responsáveis pela queda de parte da arcada, o que as fazem a principal motivação do implante.

Esse procedimento é recomendado pelo dentista quando a colocação da prótese dentária móvel não é possível, pelo fato de a raiz também ter sido comprometida. O implante dentário por sua vez substitui não só o dente, mas também a sua raiz perdida.

Prótese dentária

O paciente precisa recorrer a prótese dentária quando há a perda de parte da arcada dentária, seja pela evolução da cárie ou por um acidente. A aplicação da prótese muitas vezes é a primeira opção dos dentistas diante dessa situação.

Assim como o implante, a prótese dentária visa restaurar a estrutura completa da arcada, completando o espaço faltoso. Além do fator estético, tem como objetivo restabelecer o bom funcionamento da mastigação.

Dentre os tipos de prótese, estão a prótese móvel; mais comum, a fixa, que podem ser parciais ou fixas. A prótese dentária parcial é aplicada quando os demais dentes do paciente ainda se encontram saudáveis, substituindo apenas os faltosos, já a total, quando todos os dentes precisam ser substituídos.  

Clareamento dental

O clareamento dental é indicado quando a arcada dentária se encontra com uma coloração escura, que se distancia do natural. Logo, visa remover o amarelado do dente e retomar a estética agradável do sorriso.

O procedimento geralmente é feito pelo uso de gel ou laser, de acordo com a escolha do dentista. Pode ser realizado no consultório ou por método caseiro, que nesse último caso é feito por uma moldeira e é administrado pelo odontologista a distância. A mesclagem das duas abordagens também é possível.

O procedimento não é invasivo e após a sua realização necessita de cuidados específicos quanto à higiene bucal e alimentação para a conservação do resultado.

Lentes de contato dental

As lentes de contato dental, assim como o clareamento, têm como objetivo final dentes mais brancos, mas também mais uniformes. Essas lentes corrigem pequenos desníveis e cobrem danos que trazem prejuízos estéticos.

Se refere a um material resistente feito de Dissilicato de lítio que faz a cobertura apenas da parte frontal do dente. Possui várias espessuras, que dependem da escolha e do acordo entre paciente e dentista.

A colagem é eficaz, o que traz não só conforto, mas uma maior confiança em relação ao sorriso. A tecnologia que envolve esse procedimento permite uma aparência natural ao olhar.

facetas de porcelana

Facetas de porcelana

Por fim, as facetas de porcelana são comumente confundidas com a lente de contato, mas, necessitam do desgaste da arcada para serem anexadas. São recomendadas para uma dentição que possui imperfeições consideráveis a serem cobertas.

É considerada uma das mais recentes inovações tecnológicas na odontologia, e se trata da aplicação de uma peça de porcelana sobre os dentes danificados. Também permite colorações e formatos naturais.

Existem uma série de outros procedimentos, todos com a finalidade de preservar a saúde bucal e um sorriso mais saudável e harmônico.

Os tratamentos preventivos não devem ser subestimados e devem ser realizados periodicamente, como é o caso da limpeza dental. É por meio da visita regular ao dentista, da higiene bucal precisa e completa e de uma dieta equilibrada que os problemas que motivam os principais procedimentos odontológicos são evitados.

a valorização da estética do sorriso

A valorização da estética do sorriso

Nos dias de hoje, a preocupação com a aparência influencia pessoas a optarem por procedimentos estéticos, sendo alguns realizados também por dentistas. Gengivite, dentes tortos, amarelados, ou danificados por cáries e outras lesões deixam as pessoas envergonhadas.

Estudos apontam que quando contentes quanto a própria imagem, as pessoas tendem a se sair melhor em suas relações, sejam elas amorosas ou profissionais.

Procedimentos

Há várias opções de procedimentos estéticos, com vários objetivos e resultados para cada situação, ajudando a restituir a autoestima. Seguem alguns exemplos:

Clareamento dental

Atua contra o amarelado dos dentes, pode ser feito na clínica, em casa, ou intermediando os dois locais dependendo da orientação do dentista. São utilizados um molde e a aplicação de gel de clareamento. O efeito perdura de 1 a 2 anos sem interferência de corantes, café ou tabaco.

Aparelho ortodôntico

Apresenta diversos modelos e seu uso depende da necessidade do paciente. Pode ser usado para reposicionar dentes, evitar desgastes, consertar a mordida, restabelecendo assim sua função, a da mastigação e respiração. Pode ser removível ou fixo, sendo o último o mais comum é feito de inox, porcelana, aço ou safira.

Toxina botulínica

Conhecida popularmente como botox, é o método utilizado para pacientes de sorriso gengival. Se trata de uma neurotoxina, produzida pela bactéria Clostridium botulinum que durante o processo reprodutivo, cresce e produz essa e mais seis divergentes toxinas, sendo a do sorotipo A mais potente.

Lente de contato dental

É a solução de pequenos problemas como manchas, fraturas, ‘’dentes separados’’ e dentes pequenos, e formada por porcelana ou cerâmica. A lente de contato dental possui uma espessura fina e límpida, possuindo longo período de duração e baixos riscos de deslocamentos e rupturas

Implantes dentários

É o procedimento indicado para perdas de dentes, substituindo suas raízes por essas armações de titânio que formam a prótese. O implante, diferente das próteses móveis e pontes, é fixo, e indo além da função estética, melhora a mastigação e fala.

Preenchimento labial

Procedimento realizado com ácido hialurônico, atua no aumento do volume dos lábios e define o contorno labial. É minimamente invasiva e não necessita de ida a um centro cirúrgico, sendo realizada basicamente pela introdução do ácido que preenche os lábios.

Facetas dentárias

As facetas dentárias são estruturas de porcelana ou resina composta que ajudam na reconstrução do sorriso. Não há invasão e as facetas são montadas sob medida para o paciente. É a solução para desníveis dos dentes, manchas, diastemas e dentes desgastados.

Gengivoplastia e gengivectomia

Ambas as técnicas buscam solucionar o excesso de gengiva, se diferindo apenas no objetivo final. A gengivoplastia, objetiva moldar o contorno da gengiva, já a gengivectomia retira seu excesso motivada por problemas periodontais.

invisalign

Invisalign

O Invisalign é uma alternativa ao aparelho ortodôntico tradicional, sendo discreto e igualmente eficiente. O tratamento com esses alinhadores invisíveis é confortável por ser elaborado baseando-se nas necessidades do paciente, evitando ferimentos e gastos no interior da boca.

Como a idade demanda, o envelhecimento do corpo é gradual e também inclui os nossos dentes. Isso geralmente acontece no período que se começa a perder o tônus da musculatura labial, os dentes se desgastam e amarelam e há rugas de expressão começam a aparecer. É para tratar esse problema que existe o rejuvenescimento facial, um conjunto de intervenções que branqueia os seus dentes e deixa a sua face mais harmônica.

O que é o rejuvenescimento do sorriso?

O rejuvenescimento do sorriso é um dos procedimentos estéticos que vem ganhando força na odontologia. Com a expansão do ramo e a divulgação dos diferentes métodos, o interesse sob esses tratamentos aumentou, e com ele a autoestima e a confiança dos pacientes.

As técnicas utilizadas no rejuvenescimento do sorriso atuam desde dentes tortos e de coloração amarela, retirada de demasia da gengiva, na perda de tônus muscular, em rugas de expressão, desarmonia facial até a falta de dentes. Os resultados visam um sorriso mais agradável e harmônico ao rosto, o que resulta também no bom humor do paciente.

Há uma variedade de tratamentos relacionados, são eles:

Clareamento dental

Indicado para as pessoas que apresentam um sorriso amarelado por fatores como má higienização da zona bucal e má alimentação. Pode ser realizado em casa ou em consultório odontológico, ou até mesmo dividir o processo entre as duas localidades para um resultado melhor.

Depois desse procedimento, há reivindicações como promover uma boa higienização e evitar alguns alimentos com corantes.

Facetas ou lentes de contato

Em casos onde o clareamento não obtiver sucesso, como em pacientes que apresentam manchas advindas de medicamentos, demasia do uso do flúor e os que apresentam imperfeições dentárias, o uso das facetas ou lentes de contato dental de porcelana é indicado.

Ambos os procedimentos são parecidos, uma lâmina de porcelana envolve o dente, revertendo a coloração e fazendo com que o sorriso fique uniforme. A diferença se resume no fato da faceta possuir uma maior espessura, exigindo assim um desgaste do dente.

Plástica gengival

São muitos os casos de pessoas que apresentam o que se chama de sorriso gengival, a demasia de gengiva na boca que é visível quando sorriem. São várias as soluções para essa situação, como o uso do botox, que estica os lábios para cima ao paralisar a musculatura, e a plástica gengival.

A plástica gengival se trata de um recorte feito pelo dentista, removendo o excesso de gengiva e assim, deixando os dentes mais amostra. O tratamento com botox tem a duração do efeito da toxina, ao contrário da plástica que é irreversível.

Implantes

Na ausência de algum dente, o implante é a solução. O implante visa substituir o dente que falta, recuperando assim a função mastigatória e melhorando a fala e a respiração. Esse procedimento é realizado com um pino de titânio, que substitui a raiz do dente, e também uma parte de cerâmica, a coroa, que copia as propriedades do dente.

Se a perda de dentes é frequente, são várias as próteses que trazem mais conforto e boa aparência para os pacientes, podendo ser fixas.

harmonização facial

Harmonização facial

A harmonização facial também pode ser feita por dentistas, que realizam as injeções de botox e ácido hialurônico. O resultado é preenchimento das áreas com rugas e que se achataram com o passar do tempo.

Pacientes que sofrem com a face assimétrica ou com dores na articulação entre o maxilar e o crânio (ATM), também podem obter um bom resultado com esses tratamentos.

Ortodontia

A Ortodontia é o estudo da face e arcos dentários e é capaz de tratar os desníveis dos dentes. Os dentes desalinhados vão além de apenas um problema estético, pode ocasionar desde o desvio da mordida, a dentes apinhados e o mau posicionamento da língua.

Para solucionar esse problema é recomendado o uso do aparelho ortodôntico que reposiciona os dentes e evita eventuais problemas. Apenas o dentista consultado pode indicar o tipo do aparelho e o tipo de tratamento a ser procedido.

Benefícios do tratamento

  • Satisfação com o sorriso;
  • Solução para problemas ortodônticos que costumam gerar dor e incômodo;
  • Pode-se devolver a funcionalidade de mastigação, também melhorando a fala e respiração;
  • Harmonia entre rosto e face;
  • Saúde bucal restaurada.

A importância da adesão dos bons hábitos

Para evitar tais procedimentos, nada melhor do que prevenir com uma boa higienização bucal. A boa escovação, o uso do fio dental e do flúor são imprescindíveis para evitar alguns dos problemas solucionados por esses processos. Além disso, uma boa alimentação, evitando a ingestão de alimentos industrializados e com alto índice de açúcar. O ato do fumo também é prejudicial e deve ser evitado.

O consumo ideal de água é de no mínimo 2 litros por dia, e além de manter o funcionamento do corpo, possui grande importância contra os eventuais problemas bucais, já que atua contra a acidez da região. 

Ademais, o indicado é visitar o dentista regularmente, de 6 a 6 meses, para que seja feita uma limpeza completa e uma avaliação geral do estado de sua saúde bucal, precavendo de eventuais problemas.

Principais problemas estéticos

Os problemas mais recorrentes e que afetam a estética e a saúde bucal das pessoas são:

Perda óssea e dentária

A perda óssea e dentária influencia diretamente na funcionalidade da mastigação e boa digestão. São em sua maioria causados por doenças periodontais e cáries sem tratamento, abalando a estrutura dos dentes. O sorriso começa a apresentar falhas e desconforto tanto físico quanto emocional. 

Diastema

Se trata dos espaços entre os dentes, que costumam formar espécies de buracos. Possui maior recorrência entre os dois dentes superiores frontais, o que implica grande impacto na aparência. Pode influenciar no surgimento de outros problemas como o acúmulo de restos, o que leva ao mau hálito, a incidência de cáries e inflamações na gengiva. 

Dentes amarelados e com manchas

As manchas podem surgir com o tempo, mas podem ser evitadas com o corte dos alimentos que aceleram esse processo. Podem ter causas internas e geram desconforto excessivo, levando a impressão dos dentes estarem sempre sujos. Só possui solução com tratamento.

Halitose

O mau hálito pode não ser temporário e sim um problema grave que deve ser tratado. Mesmo que possa não possuir uma causa necessariamente bucal, mas sim advinda de algum desequilíbrio no organismo, é importante consultar com um dentista para que se tenha o diagnóstico e a solução do problema.

a alimentação e a saúde do sorriso

A alimentação e a saúde bucal

Mesmo com todos os procedimentos que a odontologia oferece atualmente, como a limpeza dos dentes, implante e lente de contato dental, a ida ao dentista não se limita a esse tratamento hoje em dia. A saúde bucal está diretamente ligada com a saúde geral, e um dos pilares da vida saudável, além da prática de exercícios físicos, é a boa alimentação.

Uma alimentação saudável e equilibrada é uma das principais motivações para uma melhor qualidade de vida.

A alimentação, quando feita corretamente, é capaz de prevenir uma série de doenças, inclusive aquelas que se desenvolvem na região oral. Além disso, existem alimentos que são capazes de trazer danos aos dentes, influenciando essas complicações, e dependendo da gravidade, em sua perda.

Portanto, nesse artigo abordaremos a relação da alimentação com a saúde bucal e os alimentos que podem ser benéficos e trazer prejuízos aos dentes.

Como os alimentos consumidos podem afetar a saúde bucal e do sorriso?

Como a primeira fase do processo digestivo, a boca possui um papel essencial para a saúde do corpo, tendo o quesito nutricional uma das principais influências. Uma vez que os alimentos ingeridos não possuem boas propriedades, essa falta pode ser nociva em várias partes da boca, assim como no restante do organismo. Esse enfraquecimento, juntamente com a falta da higiene bucal devida, pode fazer com que a saúde bucal se debilite ainda mais.

Essa combinação nociva pode vir em formas de complicações bucais como as cáries, o tártaro e a gengivite; uma vez que a região se encontra enfraquecida pela falta de nutrientes e desprotegida contra a ação de bactérias. Um alimento mais complicado de ser removido das superfícies dentárias também pode afetar negativamente a saúde bucal, fazendo com que seja necessário levar em conta a sua espessura.

Os alimentos e as suas propriedades

Certos alimentos são capazes de trazer uma série de benefícios à saúde bucal, sendo responsáveis por fazer a limpeza de resíduos deixados por outros alimentos, o que motiva eles serem chamados de alimentos “detergentes”. São exemplos desses alimentos: a maçã, a pêra, a laranja e a cenoura. 

Em contraste, alimentos com grande teor de açúcar podem motivar uma série de danos, como a queda do pH do dente, que leva a sua desmineralização. Esse fato aumenta consideravelmente o risco da incidência de cárie, mostrando a importância de controlar o consumo de doces e priorizar a higiene bucal em sua completitude.

Além desses danos, certas carências nutricionais são capazes de levar a alterações bucais. Um exemplo é a ausência de ferro que pode influenciar a ocorrência de feridas no canto da boca, aftas, queimação bucal, certas infecções, podendo, em casos mais graves, motivar o câncer de boca. 

A falta da vitamina C também pode influenciar várias complicações, como mudanças quanto ao paladar, maior risco de cárie, doença periodontal, cicatrização lenta e sangramento da gengiva. A falta do magnésio, das vitaminas D, B2, B3 e B12, além do zinco e do cálcio, também podem trazer danos à saúde bucal.

Alimentos vantajosos

  •         Frutas (maçã, laranja e pêra);
  •         Gorduras boas (castanhas, abacate e azeite extra virgem);
  •         Alimentos fibrosos (frutas, verduras e legumes);
  •         Alimentos ricos em fibras, vitamina A, B, C e ferro;
  •         Água.

Alimentos nocivos

  •         Café;
  •         Refrigerante;
  •         Bebidas alcoólicas;
  •         Alimentos ricos em açúcar.

Alimentação restritiva é uma opção?

Mesmo que alguns alimentos tragam mais benefícios à saúde bucal do que outros, a ingestão desses alimentos que trazem certo dano não precisa ser eliminada; uma vez que os danos só ocorrem pelo consumo excessivo e em longo período de tempo.

Logo, não é preciso deixar de consumir certos alimentos, mas sim, procurar uma alimentação equilibrada e saudável, juntamente com uma higiene bucal completa.

A higiene indicada pelos odontologistas inclui a escovação com creme dental com flúor, a passagem do fio dental e o uso do enxaguante bucal, também com flúor. A escovação deve ser realizada sempre após as refeições, acompanhada pela passagem do fio dental, já o uso do enxaguante pode ser realizado no fim ou no final do dia.

O acompanhamento de um odontologista, feito por visitas regulares, também é indicado, já que só assim é possível realizar a ação preventiva de doenças e descobri-las no início.

O que são alimentos adstringentes e suas vantagens ao sorriso?

Muito se fala dos alimentos que danificam nossos dentes e influenciam no desenvolvimento da placa bacteriana, gengivite, cárie e tártaro. O que poucos sabem é que existem alimentos capazes de potencializar a limpeza da arcada dentária e prevenir a incidência de manchas, danos como lesões, erosão do dente e até mesmo de doenças.

Esses alimentos são chamados adstringentes, ou detergentes, e atuam na remoção da placa bacteriana por meio da mastigação, impedindo alterações na coloração do dente que só podem ser revertidas através do clareamento dental.

Tendo em vista que uma boa alimentação é um dos principais pilares da saúde e do bom estado do organismo, não seria diferente com a boca. A alimentação é essencial para o fortalecimento dos dentes, e para isso, ela deve ter em sua composição alimentos adstringentes.

Um dos exemplos mais conhecidos desses alimentos é a maçã, porém a uma série de outros exemplos, como as castanhas, certas frutas e o iogurte natural.

quais são os alimentos adstringentes para o sorriso

Quais são os alimentos adstringentes?

Veja a seguir alguns exemplos:

Vegetais crocantes

A ação de mastigar certos tipos de alimentos pode ser capaz de ajudar na limpeza bucal, é o exemplo dos vegetais crocantes e de consistência dura. Alguns exemplos desses alimentos são o aipo, o brócolis, o pepino, a acelga, a cenoura e a couve-flor. Isso se deve ao fato de que esses vegetais, através de sua firmeza, ajudam a remover restos de alimentos e bactérias acumulados durante sua mastigação.

Frutas ricas em fibra

As frutas fibrosas também ajudam bastante na remoção dos resíduos presentes nos dentes, atuando de forma semelhante aos vegetais crocantes. Também atuam na mastigação e potencializam seu efeito por meio da fricção. São exemplos a maçã, o kiwi e a pera.

Durante a mastigação, as frutas que são ricas em fibra atuam na produção de saliva, fazendo com que o pH diminua a acidez da boca, diminuindo a quantidade de bactérias. É dessa forma que a ingestão desses alimentos previne o desenvolvimento de doenças.

Nozes e castanhas

As nozes e castanhas como a castanha-do-pará e a castanha-de-caju, por exemplo, também auxiliam na limpeza do dente pelo forte atrito, auxiliando na retirada da placa bacteriana existente acima do esmalte.

Melancia e limão

A melancia é uma fruta que é majoritariamente composta por água, contudo, assim como a água também atua para uma melhor limpeza dos dentes, também essa fruta. Além disso, ela incita a produção de saliva.

Já o limão é uma fruta de alta capacidade adstringente e bactericida, possuindo uma relevante importância na eliminação das bactérias instaladas na cavidade oral. Além disso, esse alimento é responsável por proporcionar frescor ao hálito.

Iogurte natural e chiclete sem açúcar

O iogurte natural atua na diminuição dos níveis de gás sulfídrico, um dos fatores que influenciam na halitose, também sendo considerado um alimento adstringente. Já o chiclete sem açúcar, ao contrário do que muitos pensam, não possuem os efeitos negativos que os chicletes açucarados trazem, muito pelo contrário, os benefícios são grandes. O chiclete sem açúcar, quando é mascado, faz com que a sujeira que localizada no esmalte grude e seja removida junta ao cuspir.

Cuidados com a alimentação e saúde bucal

Para manter a saúde bucal uma boa escovação e higienização da boca é recomendada. Porém, a higienização bucal correta e frequente não é capaz de evitar sozinha os diversos danos e problemas que atingem essa região. Existem uma série de alimentos que quando ingeridos em excesso mancham os dentes, e se for o caso, a lente de contato dental.

Os sermões que nossos pais nos davam na infância, como evitar o consumo de doces e refrigerantes, não eram apenas para evitar problemas digestivos, mas também para a manutenção da nossa saúde bucal. Essas complicações não afetam apenas a estética de nossos dentes e gengivas, mas levam a demais problemas, como a halitose. Porém, não são apenas os refrigerantes, balas e chicletes os vilões da saúde de nossa boca. 

alimentos que prejudicam seu sorriso

Alimentos que prejudicam os dentes

Frutas cítricas

Poucos sabem, mas o suco de frutas como a laranja e o limão podem trazer prejuízos a nossa saúde bucal. Isso se deve ao fato de que as frutas cítricas, como também a mexerica e o abacaxi, possuírem um alto teor de acidez. Essa acidez quando entra em contato com o esmalte dos dentes provoca o que chamamos de “erosão ácida”, e levando assim ao seu desgaste gradual.

Desse modo, se favorece o desenvolvimento das cáries e da placa bacteriana, uma vez que a arcada dentária se encontra desprotegida. Além disso, a gengiva fica mais vulnerável devido ao contato com grande quantidade de ácido. Então, não exagere no consumo desses alimentos, uma vez que tudo em excesso traz certo tipo de dano ao nosso corpo, com a boca não seria diferente.

Café com açúcar

O café é um dos fiéis companheiros de muita gente. Infelizmente, apesar de trazer benefícios como o fortalecimento da memória e a energização do corpo, pode influenciar a incidência de estragos na saúde bucal. Essa bebida possui pigmentos que causam o escurecimento dos dentes, fazendo com que tomem uma coloração amarelada e de aparência duvidosa.

Em conjunto com o açúcar, esses danos são ainda maiores, uma vez que influencia diretamente no desenvolvimento das cáries. Logo, evite ingerir o café frequentemente, ainda mais com açúcar, reduzir as colheres ou substituí-las por açúcares naturais também são opções. 

Castanhas

As castanhas são alimentos frequentemente indicados pelos nutricionistas, mas, não tanto pelos dentistas. Esse tipo de semente traz uma série de benefícios ao nosso organismo e seu funcionamento, já que possuem proteínas e fibras em sua composição.

Mesmo com as vantagens para a boa condição dos cabelos, pele e o bem-estar geral, as castanhas possuem o seu lado negativo. As castanhas, em especial as de consistência mais dura, influenciam na quebra do esmalte natural da dentição e permite que fique desprotegida.

Outro fator negativo é que no caso de algum tratamento odontológico, como o de implante dentário ou aparelho ortodôntico, a castanha pode danificar e até mesmo quebrar as peças por sua dureza. A solução seria cortar esse alimento em pedaços, facilitando a mastigação, ou consumi-lo em pasta ou creme.  

Alimentos ricos em carboidratos

 São vários os alimentos ricos em carboidratos e nessa listagem podemos citar os pães, as massas e a maioria dos tubérculos. Por serem de fácil identificação estão presentes em grande parte do nosso dia-a-dia e em nossas principais refeições. Contudo, estão sendo citados aqui por um motivo. 

Alimentos com grande quantidade de amido, como os evidenciados, para a sua total absorção, são metabolizados como açúcares no processo de digestão no organismo. Por esse motivo, se torna possível, em conjunto com as bactérias, a produção do ácido que leva os danos no esmalte dos dentes.

Além disso, alimentos ricos em carboidratos, quando mastigados, ficam viscosos e se unem aos dentes com facilidade, influenciando o desenvolvimento das bactérias e assim, da placa bacteriana. No entanto, assim como os demais alimentos presentes nesta listagem, não há necessidade de exclusão, porém, ter um consumo controlado é fundamental.

Logo, para uma melhor saúde bucal e o melhor estado dos dentes e gengivas, é necessário que haja a moderação desses tipos de alimentos, juntamente com uma escovação precisa e uma higiene bucal completa, com o uso do fio dental e do flúor. A visita regular a clínica odontológica também deve ser parte dessa rotina de cuidados, fazendo com que problemas como lesões e a erosão dos dentes sejam percebidos, e futuras enfermidades sejam evitadas.

Dor de dente e a saúde do sorriso

O desconforto causado pela dor de dente pega qualquer um de surpresa. Essa situação pode ser um sinal de que algo não está em ordens em seu organismo, não devendo ser deixada de lado ou tratada de forma relaxada. Para um tratamento correto, deve-se consultar com um cirurgião dentista.

A dor pode vir forte ou leve, dependendo da gravidade da situação, porém mesmo as mais fracas devem ser supervisionadas por um profissional e cuidadas corretamente. O cuidado deve ser o mesmo, pois as doenças graves também podem apresentar sinais e sintomas menos visíveis.

A dor de dente também pode ser gradual, aumentando sua intensidade aos poucos e pode ser advinda das lesões por cáries, doenças periodontais, retração gengival, traumatismo dentário, hipersensibilidade, ou até mesmo o envelhecimento do dente. Esse incômodo pode ser amenizado pelo curativo dental.

Veja as demais características da dor de dente:

Qual a origem da dor?

A dor de dente pode se desenvolver através da aproximação de um trauma da polpa dentária, um tecido da região interna do dente. Essa área interna do dente é muito sensível por conter vasos sanguíneos e nervos, gerando desconforto com uma mínima mudança.

Quando a dor de dente atinge uma profundidade maior, causa dor intensa e a sensibilidade dentária, principalmente durante a mastigação de alimentos e sua digestão. Ao entrar em contato com nervos, em casos mais graves, causa uma forte dor constante.

Os chamados “dentes de siso” também podem gerar incômodo ao nascerem, essa dor está relacionada a inflamação da região que não consegue acordá-lo perfeitamente. Pela falta de espaço, cabe à avaliação do odontologista e na maioria dos casos, o dente deve ser extraído.

Fatores externos

Alguns fatores externos podem influenciar no desenvolvimento da dor de dente e devem ser levados em consideração nas consultas em clínicas odontológicas, como: fatores socioeconômicos, fatores demográficos, fatores familiares e fatores culturais.

Os fatores socioeconômicos estão relacionados a carência financeira que impede a pessoa de procurar ajuda profissional, os demográficos são aqueles relacionados a localidade do indivíduo que é distante dos centros de saúde, os familiares retratam a ausência de informações sobre a higiene bucal devida dentro de casa,  já os culturais abordam essa restrição de conhecimento na sociedade.

Curativo dentário

Um curativo ajuda na melhora da cicatrização e previne que bactérias contaminem o local, evitando a possibilidade de infeccionar. O curativo dentário não é diferente; é um selante feito de óxido de zinco e eugenol e pode ser a opção a ser adotada dependendo do tipo de tratamento. É uma solução temporária e deve ser realizada a restauração após alguns dias.

A restauração é a base de resina e reconstrói o dente atingido por cárie ou fratura, recuperando sua aparência e funcionalidade.

O curativo dentário deve ser utilizado em casos de remoção da cárie dentária, protegendo o local de bactérias para um futuro tratamento, seja a restauração ou o canal; quando é necessário remover a polpa inflamada do dente. Além desse intervalo, o curativo também pode ser usado quando a restauração dentária desprende e há a busca pelo o motivo por determinado período.

Para o cuidado requisitado, durante o tratamento é necessário evitar mastigar acima do local, manter a boa higienização e não remover o curativo em hipótese alguma.

Cuidados e tratamento

Se a dor de dente não for examinada por um especialista e devidamente tratada, pode causar uma série de complicações de diferentes origens. São muitos os indivíduos que perante a esses efeitos, se sentem impossibilitados de realizarem ações cotidianas, afetando até mesmo o cotidiano das pessoas em sua volta.

Com isso, a automedicação é vista como a solução, mas essa ação perigosa pode levar a efeitos colaterais e agravar ainda mais o seu estado.

Cada tipo de dor de dente possui uma recomendação terapêutica correta. Em casos de incidência de cárie o odontologista pode indicar restaurações ou, dependendo do fator agravante, a efetivação do canal.

O método mais eficaz de se precaver do incômodo no dente é a boa higienização bucal, possuindo uma boa escovação, o uso frequente do fio dental e do flúor, sempre depois das refeições. Se você aparenta ter os sintomas, consulte um cirurgião-dentista para saber como sanar a dor e evitar consequências graves.

mau hálito e saúde do sorriso

Mau hálito e saúde bucal

O mau hálito, ou halitose, é um dos problemas mais comuns em relação à saúde da boca. É uma problemática muito desagradável para quem porta e para as pessoas ao seu redor, podendo influenciar situações constrangedoras. As causas do mau hálito podem ser várias, entretanto, maus hábitos do cotidiano podem contribuir para esse acontecimento.

Saiba mais sobre o mau hálito e como tratar:

Quais maus hábitos podem favorecer a incidência do mau hálito?

Como dito, o mau hálito pode ser influenciado por maus hábitos mantidos no dia-a-dia, principalmente pela má higiene bucal. A falta de uma higienização correta e completa pode ser uma das influências desse incômodo, sendo que a indicada compreende a escovação logo após as refeições, juntamente com a passagem de fio dental e o uso do enxaguante bucal.

É importante ressaltar que a escovação deve ser feita com um creme dental com flúor, e o uso do enxaguante deve ser feito pelo ao menos uma vez ao dia.

A halitose possui motivações centradas na boca, e externas a ela. Podendo, além da má higienização bucal, ser advinda da má alimentação, mudanças no fluxo de saliva; chamada xerostomia, e por influência do estresse.

Como evitar, tratar a halitose e manter um hálito refrescante?

Para se evitar a halitose, a boa e completa higienização bucal é a melhor solução, porém, outras formas como a manutenção de uma alimentação de qualidade, equilibrada e com a ingestão devida de fibras, e uma boa e regulada ingestão de água também são eficientes ações preventivas a esse problema.

Para quem já foi identificado com esse dano, procure por um odontologista de sua confiança. Esse profissional te avaliará e dará as direções com os cuidados necessários, dando orientações quanto a boa higiene bucal e uma boa alimentação, as relacionando com o caso. Dependendo da situação, uma intervenção por meio de uma limpeza dental profissional pode ser necessária, além de uma profilaxia ou uma avaliação profunda das causas do mau hálito.

O mau hálito e suas outras possíveis causas

Existe um senso comum errado de que o mau hálito pode ter origem no estômago, entretanto, a verdade é que ele pode vir do biofilme lingual; placa bacteriana localizada no fundo da língua, ou por cáseos amigdalianos; formados dentro das amígdalas, ou por doenças na gengiva; gengivite e periodontite.

No entanto, existem cerca de 90 causas para o mau hálito, sendo algumas advindas de doenças sistêmicas desenvolvidas na boca ou por causas raras. Ao identificar a halitose, busque imediatamente pelo seu odontologista de confiança para que o problema seja devidamente tratado e solucionado. 

O diagnóstico e tratamento do mau hálito

O diagnóstico da halitose é realizado na clínica odontológica através de um questionário completo, colhendo informações desde o histórico da alimentação e o de exames clínicos e odontológicos, até a testes de saliva, estresse, e do hálito por aparelhos próprios.

É por essas informações colhidas que se é estipulada a forma de tratamento e que muito provavelmente incluirá fatores aqui abordados como, cuidados quanto a higienização bucal e alimentação. Demais medidas possíveis incluem o tratamento da baixa produção de saliva, requerendo certos exames laboratoriais e demais prescrições dependendo da causa do mau hálito.

As pessoas que sofrem com o mau hálito não conseguem identificá-lo sozinhas, uma vez que não conseguem sentir o próprio hálito. Isso se deve a um processo fisiológico denominado fadiga olfatória, em que nos calhou a um odor específico, e em caso haja constância, odores diferentes podem ser sentidos. Essa situação necessita que alguém do ciclo social fale com a pessoa e reforce a necessidade de um dentista.

Caso o paciente tenha uma certa desconfiança dessa incidência, é importante que pergunte a outra pessoa para confirmar e levar o caso ao dentista, refazendo a pergunta em diferentes partes do dia e conversando perto ou soprando para a melhor percepção. Essa ação ajuda no fortalecimento da identificação e no diagnóstico preciso do dentista.

Lembre-se da importância da intervenção desse profissional, uma vez que se o problema existe é por causa de algum mau hálito e irregularidade, e somente o especialista é capaz de apontar esses fatores com propriedade.

Placa bacteriana, o que é?

A placa bacteriana, que também é conhecida como biofilme dental, se trata de uma película incolor ou amarelada que se forma na superfície do dente. Sua principal causa é a má higienização dos dentes e a ingestão exagerada de alimentos açucarados e bem pigmentados.

A placa bacteriana é formada pela ação de bactérias naturais da boca e a sua proliferação nos resíduos alimentares deixados pela escovação. Uma vez que há o acúmulo de restos de alimentos na arcada dentária, há o acúmulo desses microrganismos por meio da absorção das propriedades nutritivas existentes.

Isso se deve ao fato de alimentos ricos em açúcar e amido, como balas, chocolate e pães se grudam facilmente no esmalte do dente, e por meio da ausência da boa escovação e do uso do fio dental e do enxaguante bucal, tornam a dentição suscetível a ação das bactérias. 

Logo, necessitando além de uma alimentação mais saudável, de uma rotina de higiene bucal completa e precisa.

Como identificar a formação da placa bacteriana?

A identificação da placa bacteriana é feita pela percepção de um aspecto mais rugoso e áspero da superfície do dente. Deve-se considerar o fato de que a placa bacteriana se formar entre as 12 horas após a alimentação.

Caso essa espessura anormal seja identificada, indica que a escovação e os demais cuidados com a higiene não foram executados corretamente. O tratamento da placa bacteriana, por sua vez, é feito justamente pela adesão de bons hábitos, assim como as visitas regulares ao dentista.

Com as visitas periódicas ao consultório odontológico, a detecção da placa pode ser feita durante a avaliação geral do dentista, que pode encaminhar o paciente para o procedimento de limpeza.

A profilaxia é um procedimento que deve ser feito a cada 6 meses e é capaz de eliminar essa película e impedir que a placa bacteriana evolua para demais problemas bucais como o tártaro e as cáries. 

Nessas idas, o dentista também é capaz de identificar esses problemas de forma precoce, e encaminhar o paciente para o tratamento mais indicado.

O que é o tártaro no sorriso?

O tártaro se trata da evolução da placa bacteriana a ponto de ela se fixar ao esmalte do dente. É a calcificação desse acúmulo de bactérias de cor amarelada e que, na falta de um tratamento, pode levar a manchas e a ocorrência da cárie, halitose e gengivite. A prevenção do tártaro é justamente a boa higienização bucal, formada pela a escovação, uso do fio dental e enxaguante bucal.

A visita regular ao dentista com a realização de tratamentos e procedimentos, como o clareamento dental, também possui uma relevante ação preventiva. Outra orientação é uma alimentação saudável e equilibrada, uma vez que a dieta é capaz de fortalecer ou enfraquecer a arcada dentária, e no caso de grande consumo de açúcar, esse carboidrato ajuda na proliferação desses microrganismos nocivos. Saiba mais sobre essa complicação:

Como identificar o tártaro?

O tártaro é percebido por sua espessura e coloração, na maioria das vezes amarelada, e se desenvolve na região mais próxima entre os dentes e a gengiva, na base ou entre a arcada, e uma vez percebido, não sai mesmo com uma escovação precisa.

A identificação do tártaro mostra que a higienização não está sendo realizada de maneira correta, ou não está sendo realizada completamente, ajudando através dessa debilidade o acúmulo de microrganismos e de resíduos nos dentes. É importante que as três fases da higiene bucal sejam realizadas devidamente.

Como realizar a remoção do tártaro?

Uma vez fixados na superfície do dente, a remoção do tártaro não pode ser realizada através da escovação. Entretanto, ainda se estuda se há ou não a eficiência do bicarbonato de sódio sob essa incidência, já que esse composto químico é capaz de ultrapassar a placa bacteriana, aumentando o pH da região e atuando contra as bactérias e na remoção do tártaro.

Contudo, uma vez usado deliberadamente, o bicarbonato de sódio pode levar a uma alteração da porosidade do dente em que foi aplicado, aumentando sua sensibilidade.

A retirada dos tártaros percebidos é comumente executada pelo odontologista durante a realização do procedimento de limpeza do dente, em que é há a raspagem para a sua remoção, livrando os dentes dos restos de alimentos encontrados e os deixando mais saudáveis e com uma melhor aparência estética. Durante esse procedimento, o profissional realiza também a remoção das bactérias acumuladas, impedindo o desenvolvimento do tártaro.

Como evitar a sua incidência?

Como dito, a principal maneira para prevenir a formação do tártaro é através da manutenção de uma higiene bucal de qualidade, com a escovação logo após alguma refeição e não esquecendo da passagem do fio dental e do enxaguante bucal nos períodos de manhã e noite. Veja como prosseguir com sua higiene bucal evitando complicações e demais problemas bucais:

Escovação completa dos dentes

Com o cotidiano cada vez mais corrido e a agenda cada vez mais cheia de compromissos, é normal que deixemos a saúde bucal fora das prioridades. Com a ilusão de que somente uma escovação sem muita atenção é suficiente, e nos limitando apenas ao combate da halitose e a remoção dos restos de alimentos, caímos na armadilha e poderemos perceber manchas no esmalte em longo prazo.

A escovação deve ser realizada pacientemente, atingindo toda a dentição, realizada com intensidade moderada e com o tempo necessário até o efeito de limpeza ser totalmente perceptível. Não deslize, é somente com a atenção devida que terá descanso e uma melhor saúde bucal no futuro.

Passagem de fio dental

A placa bacteriana pode se formar em qualquer lugar em que resíduos se instalem, sendo principalmente os lugares que a escova não atinge. Portanto, o uso do fio dental é essencial, já que as regiões entre os dentes são as mais suscetíveis ao acúmulo de bactérias. É só com ele que a limpeza bucal pode ser considerada completa e alcançar sua quase totalidade.

Uso do enxaguante bucal

O uso do enxaguante bucal também é fundamental para uma higienização mais completa. Esse produto atinge áreas em que nem a escovação e nem mesmo o fio dental são capazes de atingir. Além disso, o enxaguante é responsável por trazer frescor ao hálito e uma sensação de limpeza que as demais etapas não é capaz de trazer.

Visitar o dentista regularmente

Caso o tártaro já tenha sido formado, a única atitude a ser feita é a visita ao consultório odontológico. O procedimento de raspagem realizado pelo dentista não traz dores ao paciente e proporciona a remoção e a prevenção de novos problemas bucais. 

Evitar a ingestão de açúcar

É importante que o consumo de açúcares seja controlado, uma vez que os resíduos desses alimentos ficam na boca e favorecem a proliferação de microrganismos. No entanto, carboidratos e pães também podem proporcionar esse efeito. Alie todas as medidas citadas, e além de se precaver do tártaro, alcance a saúde bucal tão sonhada.

as cáries e a saúde do sorriso

As cáries e a saúde do sorriso

Manter a saúde bucal pode não ser tão simples para algumas pessoas, pois requer tempo e cuidados que vão além da boa higienização. Com as faltas da higiene bucal devida e dessas medidas extras, uma série de problemas a saúde bucal pode se desenvolver, e uma das complicações mais comuns é a incidência da cárie.

As cáries se devem às lesões e fendas que se desenvolvem na arcada dentária advinda das manchas causadas pela placa bacteriana, e ao contrário delas, não pode ser removida pelo clareamento dental. A incidência dessa doença, ao ser percebida, deve ser tratada o mais rápido possível, uma vez que pode influenciar uma série de outras enfermidades. Os sintomas desse problema bucal abrangem sensibilidade e dor, que são facilmente sentidos.

Saiba mais sobre as cáries e suas complicações à saúde bucal:

A cárie e suas causas

A cárie é um dos principais danos à saúde bucal causada pelas bactérias acumuladas por meio da alta ingestão de açúcares e da má higienização.

Essa enfermidade é uma evolução dessa placa bacteriana, formada por microrganismos que usam os açúcares acumulados na zona bucal como fonte de energia, formando ácidos.

Sinais da incidência de cárie no dente

Os sinais da cárie são bem perceptíveis, na sua fase inicial se vê uma mancha branca sob o dente, que indica a ação de ácidos formados pelos microrganismos sobre o esmalte do dente.

Caso não haja o tratamento desde sua primeira fase, a cárie pode evoluir para um orifício acima do dente e a região assume uma coloração mais escura.

Se desenvolve a sensibilidade do local, especialmente relacionada a mastigação e sua temperatura. Não havendo ainda interferência por um odontologista, a dor pode aumentar e se tornar ainda mais intensa.

A cárie e suas complicações ao sorriso

Na falta do tratamento devido, a evolução da cárie chega ao nervo do dente, fazendo com que as bactérias localizadas na cavidade bucal entrem em contato com a corrente sanguínea, transitando por ela e atingindo tecidos e adentrando órgãos.

A partir desses contatos, complicações como doenças cardíacas, pneumonias, e danos ao funcionamento do cérebro podem ocorrer. É por esse motivo que a ação e a recorrência da clínica odontológica devem ser realizadas rapidamente.

Como tratar a cárie no dente?

Caracterizada como sendo o estado de perda de mineral do dente, o tratamento da cárie vai depender de qual quadro a complicação se encontra. Entre as formas de tratamento estão: aplicação de flúor, restauração do dente e tratamento de canal.

Uma vez que a restauração e o canal são procedimentos mais invasivos, ao identificarem a cárie em casa, é comum os pacientes adiarem a consulta com o dentista. No entanto, tenha em vista que a evolução desse problema pode favorecer o aparecimento de outros ainda mais graves.

A restauração ou obturação, por exemplo, é feita com a aplicação de anestesia, já que, logo em seguida se inicia a abordagem com a broca específica, removendo a parte do dente atingida.

A cobertura da fresta pode ser feita por resina composta ou porcelana, restaurando a estética natural do dente, como o próprio nome indica. Ademais, se busca restaurar as funções mastigatórias e evitar a incidência de infiltrações.

Quanto ao tratamento de canal ou endodontia, é a solução para quando a cárie é profunda, atingindo a polpa ou algum nervo. Em seu processo o dentista, após o diagnóstico, realiza a remoção da polpa e a limpeza dos canais. Logo após a abertura também é preenchida e selada.

É importante levar em conta as ações preventivas comuns dos problemas bucais vindos do acúmulo de placa bacteriana.

Doença periodontal e saúde do sorriso

Existem várias complicações que atingem a nossa saúde bucal, e uma série de enfermidades podem começar com sintomas como a dor de dente. Uma dessas enfermidades frequentes é a doença periodontal, que atinge os tecidos da cavidade oral e pode ser advinda de outra doença, a gengivite.

Atingindo os tecidos, responsáveis pela sustentação e proteção da arcada dentária, pode levar até mesmo a perda de parte da dentição. As bactérias que se desenvolvem através da doença periodontal podem influenciar uma série de outras complicações, fazendo com que os cuidados preventivos necessários sejam feitos o quanto antes. Saiba mais sobre:

O que é a doença periodontal?

A doença periodontal é chamada pela medicina de doença gengival, podendo também definir a amplitude da doença gengival, incluindo até mesmo a gengivite, sua fase inicial. Entretanto, esse termo é remetido mais frequentemente para a frase mais agravante das complicações na gengiva, periodontite.

A doença periodontal é uma das principais doenças que atingem a saúde bucal, e é a principal das causas de perda da dentição em adultos. Com isso, é importante se atentar a higiene bucal e saber detectar a incidência de danos o quanto antes, para que as doenças possam ser prevenidas devidamente o quanto antes.

A gengivite, por sua vez, é capaz de evoluir para a periodontite, que se trata de uma doença inflamatória crônica que impacta o periodonto. Uma vez não tratada, a periodontite pode proporcionar uma série de danos graves que levam a perda dos dentes. A periodontite atinge além dos tecidos, os ligamentos e os ossos que também auxiliam no suporte da arcada.

Quais as causas da doença periodontal?

A maioria das bactérias que se estalam na cavidade bucal não são nocivas, porém, a bactéria periodontal, que leva a doença periodontal, não é uma delas. Esse tipo de bactéria se torna danosa em determinado estado, quando entram em contato com resíduos de alimentos e formam a placa bacteriana, incapaz de ser removida através da escovação, mesmo que precise.

Sem o tratamento indicado, as bactérias periodontais se proliferam e, em determinadas condições, incitam a resposta inflamatória natural e faz com que as gengivas incham e inflamam. A doença periodontal se agrava com o endurecimento gradual da placa bacteriana e evolui para um tártaro, necessitando de um tratamento o quanto antes.

Com o desenvolvimento do tártaro, o crescimento da placa atinge as raízes dos dentes e faz com que a inflamação se torne crônica. Bolsas surgem e começam a afastar a dentição, a infecção continua a evoluir e lesiona o osso do maxilar e demais estruturas que envolvem os dentes, promovendo assim, a perda de parte da arcada dentária.

Sinais, sintomas e diagnóstico

Partindo da gengivite, a doença periodontal é perceptível pelo paciente em sua fase inicial por sintomas como: vermelhidão, inchaço, sensibilidade, alterações na textura do tecido e na tonalidade da pele, e o sangramento da gengiva. Quando a gengivite evolui para a periodontite, não há a incidência de dores, entretanto, o sangramento é bastante comum.

O diagnóstico dessa doença é realizado através da avaliação dos tecidos pelo dentista, assim, o profissional capta os incômodos e os sintomas do paciente e pela sondagem da dentição pode identificar características como o sangramento. Um exame radiológico pode ser requerido para que as estruturas internas também sejam analisadas, fazendo com que seja possível identificar a proporção da doença.

Como é o tratamento das doenças gengivais?

Em sua fase inicial, as doenças gengivais podem ser reversíveis através dos cuidados quanto à higiene bucal e alimentação. Além da adesão dessas medidas, a raspagem do tártaro feita em consultório odontológico é a única opção para solucionar essa causa.

Em casos mais graves, há a necessidade de ser feito um alisamento radicular, que tem como objetivo alisar as anormalidades nas raízes da dentição, controlando e evitando a formação da placa bacteriana.

Por sua vez, diante de quadros de recessão gengival, em que se expõe a raiz do dente, não é feita a cobertura do esmalte dentário, mas sim a aplicação de um produto específico para controlar a sensibilidade.

Por fim, cabe ao odontologista identificar por sua análise o melhor tratamento para cada situação. Não subestime seu tratamento, mesmo sendo o estágio final das demais complicações na boca, pode ser o estágio inicial de problemas no organismo como a Endocardite bacteriana.

Sangramento na gengiva, o que diz sobre a saúde do sorriso?

 O sangramento nas gengivas é um sinal de que algo não está indo bem em sua saúde bucal e geral. Gengivas, quando saudáveis, não sangram e quando isso ocorre pode indicar a ocorrência de inflamação no tecido bucal; gengivite, ou no periodontia; periodontite. Com isso, os cuidados devem ser tomados, ainda mais medidas preventivas como visitas regulares a sua clínica odontológica, ou a sede de sua franquia odontológica de confiança.

Logo, é essencial que se perceba e trate o sangramento o quanto antes, por meio da avaliação profissional e da percepção durante a escovação e morder alimentos duros, como a maçã. A ação preventiva impede ainda que a situação se agrave e que haja a incidência da perda de parte da arcada em longo período.

As gengivas afetadas pela inflamação, possuem uma coloração mais escura, além de ser maior a sensibilidade e flacidez. Outro fator é que possuem um forte odor, e, a incidência dos sangramentos.

Saiba mais sobre o sangramento gengival:

Causas do sangramento da gengiva

A causa principal da inflamação e do sangramento da gengiva é a má higiene bucal. Uma vez que a higiene oral não é praticada de forma correta e completa; com uma escovação precisa, a passagem de fio dental e o uso do enxaguante bucal, a dentição fica suscetível à formação de placas bacterianas.

Por sua vez, o espaçamento entre os dentes e gengivas; sulco gengival, são os que mais são passivos a proliferação de bactérias. A passagem do fio dental deve então acompanhar as escovações, assim como o uso do enxaguante bucal deve ser diário.

A inflamação das gengivas ocorre pelas endotoxinas; toxinas liberadas pelas bactérias que impactam diretamente o sistema imunológico. Dessa forma, a gengiva se enfraquece, e caso a inflamação não seja devidamente tratada, o periodonto pode ser afetado, e por fim o osso maxilar.

Dentre os demais fatores que podem impulsionar o sangramento gengival estão o tabagismo, as alterações dos hormônios, falta de vitamina K, leucemia, desordem hemorrágica, diabetes mellitus e gravidez.

A higiene bucal ideal para o sorriso

Os sangramentos eventuais, assim como demais problemas bucais, em torno da dentição geralmente são um sinal de que a higiene bucal está falha. Com isso, não é uma opção reduzir sua intensidade, mas sim, otimizar o processo. A gengiva só irá se recuperar adequadamente se a placa bacteriana for removida, por meio da higiene bucal e também dos tratamentos feitos regularmente na clínica odontológica.

A escovação deve ser feita logo após as refeições, acompanhada de um creme dental com flúor e realizada ao menos 3 vezes por dia. A passagem do fio dental, por sua vez, deve ser feita ao menos uma vez por dia e de forma paciente, buscando remover os resíduos que a escovação não conseguiu. Já o uso do enxaguante bucal, preferivelmente com flúor, também deve ser feito ao menos uma vez por dia, logo após acordar ou antes de se deitar.

A limpeza caseira do dente não substitui a limpeza profissional realizada na clínica e as visitas regulares ao consultório odontológico.

Tratamento do sangramento gengival

O tratamento do sangramento gengival é feito logo após a sua detecção, logo, não é uma opção deixar a incidência de lado. Deve-se atentar ao sangramento desde seu início, já que pode indicar um problema ainda mais sério. O tratamento do sangramento é mediado pelo odontologista, que por meio de uma avaliação indica a possível causa, quando se tem a ver estritamente com a saúde bucal.

Logo, orientações quanto à higiene bucal irão ser feitas, necessitando da disciplina do paciente para a recuperação do local. Tenha sempre em mente que a aparência ideal da gengiva é justa e de coloração rosada, e em sinal de qualquer alteração, procure já por um dentista.

confie na OralDents

Confie na OralDents

Por fim, na clínica odontológica OralDents, mais do que recuperar sua saúde bucal, você recuperará a alegria de viver.

Um sorriso bonito e saudável faz toda a diferença e é sabendo disso que nossa rede compreende profissionais qualificados e comprometidos em proteger a sua dentição.

A Clínica OralDents vem cada dia mais se inovando e trazendo para o mercado um novo conceito em Odontologia. Fazendo a junção de conforto, inovações, técnicas avançadas e de uma equipe capacitada, que se reverte em uma prestação de serviço de qualidade e clientes satisfeitos.

A OralDents busca oferecer em um só lugar, uma gama completa de tratamentos odontológicos, desde aparelhos ortodônticos a procedimentos de estética bucal. Uma prestação de serviço de qualidade e que possui uma excelente relação custo-benefício.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!