O Que Você Procura ?

restauração de dente

Restauração de dente: o que é, como é feita e qual o preço?

dentista2

A restauração de dente é um dos procedimentos que buscam a melhor estética do sorriso.

Veja aqui quando esse procedimento é indicado, como ele é feito, seus tipos e qual o preço:

O que é restauração de dente?

A restauração de dente, ou dentística restauradora, é um dos procedimentos indicados no tratamento da cárie dentária e de traumatismo.

Como o próprio nome indica, a restauração tem o objetivo de restabelecer o funcional e a estética bucal. No entanto, é uma das fases do tratamento de canal focada na melhora da aparência do dente obturado em relação ao sorriso.

Logo, a restauração dentária está associada à reconstrução dentária ou de parte do dente, usando um material restaurador para que ocorra a reabilitação não só funcional, mas também estética.

Entre os materiais que podem ser usados para o procedimento de restauração, estão as resinas compostas, porcelana, ionômero de vidro, ouro, amálgama (liga metálica – mercúrio, prata, cobre e estanho) e o cerômero. O material mais comum a ser utilizado é a resina composta, tendo em vista a sua coloração esbranquiçada e seu custo mais acessível.

Esses materiais são usados para o preenchimento dos espaçamentos feitos, seja pelo choque ou queda, ou pelo procedimento de obturação feito no dente, os protegendo da ação de bactérias.

fazer restauração de dente

Quais são as principais indicações para a restauração de dente?

O tratamento de restauração pode ser indicado para uma série de situações, entre elas estão:

dentista1
  • Cáries dentárias;
  • Traumatismo (choques e quedas);
  • Fendas e fraturas;
  • Bruxismo (ranger de dentes);
  • Dentes desgastados;
  • Dentes manchados ou amarelados;
  • Diastema.

Vale ressaltar que a falta de tratamento pela restauração não pode ser uma opção, já que pode favorecer e causar uma série de outras complicações, comprometendo ainda mais a saúde bucal.

Como é feita uma restauração

A restauração dentária só é feita diante da indicação do dentista, já que está comumente associada a outros tipos de tratamento.

Antes de tudo, o dentista realiza a retirada da cárie ou da parte danificada, logo após a limpeza da área comprometida e por fim o enchimento da cavidade pelo material restaurador escolhido pelo dentista.

Normalmente, a abordagem é feita utilizando uma anestesia local, isso dependendo da gravidade das cáries e da sensibilidade dentária.

Após o preenchimento, o local está agora protegido da ação de bactérias, evitando assim infiltrações e complicações ainda mais graves, podendo causar até mesmo a perda dentária.

Em caso de cárie profunda, o odontologista pode fazer a retirada de parte ou, dependendo da gravidade, realizar a extração do dente. Diante de um procedimento de exodontia, a finalização vai ser feita pela colocação de uma prótese dentária, um dente artificial que repõe o dente natural com eficiência.

Por fim, pacientes com bruxismo, diastema (espaçamento avantajado entre os dentes), e em casos de correção de cor, o procedimento de profilaxia (limpeza profissional) pode ser feita em associação, devendo ainda ser tomados específicos para cada caso.

Quais os tipos de restauração de dente?

Como dito, a restauração dentária pode ser feita de diversas formas, considerando a variedade de materiais restauradores disponíveis.

A escolha de um material determinante normalmente considera a localização do dente a ser restaurado, presença de algum tipo de alergia, tempo necessário para a sua confecção e o seu preço aquisitivo:

Resina composta

A resina composta é o material mais usado para a reparação do dente, isso já que possui uma preocupação estética e um valor mais em conta. Assim sendo, a restauração feita com resina composta promove um sorriso mais natural e saudável.

Quanto a sua abordagem, após a limpeza é feito o “sistema de união”, assim o dentista coloca os ingredientes do material misturados e colocados diretamente na cavidade, que graças às suas propriedades, possuem um processo rápido de endurecimento pela exposição à luz (fotopolimerização). Logo, o procedimento é capaz de ser finalizado com apenas uma sessão.

No entanto, a resina composta peca quanto a sua resistência, não sendo recomendadas em casos de restaurações de grandes extensões. O material tende a ter alterações de cor facilmente, além de estar suscetível a lascas e desgastes. Sua duração média vai de 3 a 10 anos.

Restauração de porcelana

Buscando um impacto estético ainda mais marcante, associado a uma resistência considerável, a restauração de porcelana é a melhor opção. Ainda mais fiel ao aspecto e coloração do dente natural, a porcelana proporciona um sorriso mais harmônico e ainda mais estético.

Diferente da restauração de resina composta, a restauração com porcelana é a mais indicada pelos dentistas, isso graças ao seu fator discreto e que consegue camuflar o dente restaurado dos demais.

Em caso de quebra ou fratura do dente da frente, essa qualidade é levada ainda mais em conta. Outras características a ser levada em conta é sua significativa resistência a manchas, mantendo a boa aparência do sorriso, e a sua proteção a estrutura dentária, já que cobre a maior parte do dente.

No entanto, a porcelana, também em contraste com a resina composta, possui um valor aquisitivo maior. Vale ressaltar que esse processo restaurador é feito em algumas etapas, sendo primeiramente o envio do molde ao laboratório, para assim ser feita a confecção do material, fazendo com que a porcelana seja fixada ao dente logo depois de finalizado todo o processo. A duração desse procedimento pode passar de 13 anos.

Por fim, procurando baratear o processo, a porcelana pode ainda ser associada à composição da resina, formando o material de nome cerômero, que é capaz de manter um impacto estético positivo e uma boa durabilidade.

Restauração de ouro

As restaurações de ouro, assim como as de porcelana, são marcadas por seu preço mais elevado, nesse caso um pouco mais valorizado. São feitas sob encomenda em um laboratório de prótese, enviadas ao consultório e sendo cimentadas no dente a ser restaurado.

O valor superior, além de considerar o preço de mercado do material, também se deve a sua boa resistência, que pode perdurar por volta de 20 anos.

Ao contrário do que muitos pensam, o material é bem aceito pelas mucosas e tecidos gengivais, não possuindo riscos de rejeição. Mesmo assim, por ser um material de propriedades metálicas, requer visitas regulares ao dentista para que seja feita a avaliação.

Restaurações de amálgama

As restaurações de amálgama são confeccionadas pela liga metálica composta da combinação de prata, mercúrio e outros tipos de metais como cobre, estanho e algumas vezes zinco. É uma das opções mais baratas e também mais resistentes.

No entanto, tendo em vista a sua coloração metálica, não proporciona um impacto estético tão agradável quanto as restaurações de resina e porcelana. Por isso, não costumam ser utilizadas em áreas muito visíveis.

Contudo, com o passar dos anos, muitos estudos foram feitos quanto ao material e a sua toxicidade. Ao final foi concluído que a amálgama é capaz de levar a intoxicação do paciente, fazendo com que muitos profissionais parassem de indicar a restauração por esse tipo de material.

A intoxicação se deve às partículas dessa substância que são engolidas durante o tratamento, ou ainda, ao metal infiltrado no tecido gengival. No organismo, o componente é capaz de trazer uma série de malefícios ao metabolismo celular e assim, comprometer várias partes do corpo.

Após essa descoberta, dentistas estão indicando que pacientes que já passaram por algum procedimento com essa liga metálica, façam a sua troca para uma das demais opções.

Restauração de ionômero de vidro

A restauração de ionômero de vidro é uma das restaurações menos utilizadas, já que não se destaca em relação às demais, seja quanto a estética ou quanto a resistência. Dessa forma, se trata da indicação para casos que envolvam o reaparecimento de cáries ou também em casos de dente de leite.

Para casos em que a fratura ou cárie identificada comprometem grande parte do dente, o dentista pode indicar outro tipo de tratamento, como o revestimento com coroa dentária ou o procedimento de exodontia, seguido de implantes e prótese dentária.

Diante de uma cárie dentária que tenha atingido o nervo ou a polpa do dente, o dentista pode encaminhar o paciente para um tratamento de canal, removendo o nervo atingido ou ainda para um procedimento chamado de capeamento pulpar, em que há o recobrimento da polpa, quando ainda há chances de manter o nervo vivo.

restauração de dente antes e depois

Restauração de dente antes e depois

Considerando o seu objetivo principal de restaurar o dente, e realizar a sua reabilitação funcional e estética, pela restauração o paciente consegue se livrar do desconforto causado pela cárie e por um sorriso prejudicado.

Logo, há um benefício significativo para com a autoestima e a confiança, ajudando a melhorar relacionamentos, sejam eles sociais ou profissionais.

Quanto tempo dura a restauração?

A duração certa da restauração vai depender não só do material escolhido, mas de como foi feita a abordagem em consultório odontológico e se os cuidados necessários com a restauração são ou não mantidos.

É necessário que ainda aqui sejam consideradas as prioridades do paciente quanto ao tratamento, já que a resistência do material é decisiva nesses casos. Logo, é importante que se consulte o seu dentista para que seja feita não só a avaliação, mas também o planejamento do processo.

Quais são os cuidados necessários com a restauração de dente?

Visando a maior durabilidade do tratamento e uma experiência mais tranquila, é necessário que alguns cuidados sejam mantidos após a finalização do tratamento, são eles:

  • Higiene bucal adequada – escovação 3 vezes ao dia, com uma escova macia e creme dental com flúor, com a passagem do fio dental e o bochecho com antisséptico bucal (sem álcool) diário;
  • Alimentação adequada – evitando alimentos muito pigmentados – como chás, café, vinho, refrigerante;
  • Controle de vícios – como tabagismo e ingestão de bebidas alcóolicas;
  • Evitar maus hábitos – abrir garrafas e embalagens com os dentes;
  • Visitas regulares ao dentista – sendo feita a substituição da restauração quando necessário, especialmente em casos de infiltração.

É normal que a restauração deixe o dente sensível, dessa forma, alguns cuidados podem ser adotados para diminuir a sensibilidade, tal como o uso de pastas de dentes específicas, escovação suave, evitando bebidas e alimentos açucarados e ácidos.

Seguindo as medidas e orientações dadas pelo dentista, se evita riscos de proliferação de bactérias e de outros microorganismos, e assim, do aparecimento novamente de cáries ou de outros problemas bucais.

Qual a diferença de obturação para restauração?

A obturação é outro procedimento que está associado a caso de fraturas e cáries dentárias. Assim como a restauração, tem como objetivo recuperar o funcional e a estética do sorriso.

Contudo, a principal diferença entre a obturação e restauração está na abordagem do material utilizado no procedimento. Entre os materiais que podem ser utilizados para a realização da obturação estão: resina composta, porcelana, ouro e amálgama.

Na obturação, o dentista primeiramente realiza a remoção da área comprometida, logo após a limpeza do local e assim a colocação do material obturador, que pode durar anos, mas tem a função de atuar como um curativo. Logo, aqui, ao contrário da restauração, a prioridade é funcional e preventiva, não estética.

restauração de dente preço

Qual o preço da restauração de dente?

O preço da restauração é bastante variável e depende do material utilizado, da extensão do dano do dente, quanto o dentista, a clínica e localidade.

Logo, a média do custo do procedimento pode variar de R$100 (cem reais) a R$300 (trezentos reais).

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso de qualquer tratamento odontológico, assim como a restauração.

É por um acompanhamento odontológico adequado que se é possível também realizar a ação preventiva, mantendo a saúde bucal sempre em dia.

O indicado é que nesses casos especiais, a visita ao dentista ocorra de 4 a 6 meses, ocorrendo antes em caso de desgaste, infiltrações, novas fraturas e de fortes alterações de coloração.

Logo, as visitas regulares à clínica odontológica OralDents visam não só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!