O Que Você Procura ?

raiz de dente exposta

Raiz do dente exposta: o que é e como tratar?

dentista2

Raiz do dente exposta é um problema que está diretamente relacionado a hábitos cotidianos e que envolvem a higiene bucal. Com isso, para que ocorra essa exposição, há a retração da gengiva.

Por deixar a sustentação da arcada dentária exposta e passiva a riscos, é um problema grave e que requer um tratamento específico o quanto antes.

Saiba mais sobre o problema da raiz do dente exposta e as suas particularidades. Boa leitura!

Raiz do dente exposta, o que é?

A raiz do dente exposta, também chamada de retração gengival, por estar relacionada ao estilo de vida, é uma incidência comum. Por isso, o problema que envolve o encolhimento da gengiva está cada vez mais popular.

Além da raiz exposta, a identificação dessa complicação também está nos dentes quebradiços e sensíveis. O problema começa pela inflamação do tecido gengival, que leva à compressão da gengiva e, assim, à sua receção.

As principais motivações são traumas durante a escovação, hábito de fumar, alergia ao metal componente da prótese dentária, caso de periodontite agressiva ou crônica e diabete.

Ademais, a posição errônea do dente, certos tratamentos ortodônticos, e casos de biótipo gengival quanto um tecido gengival muito fino, também podem motivar a exposição da raiz da dentição.

Por fim, esse problema é gradual e afeta qualquer faixa etária, enfatizando a importância das visitas regulares ao dentista para a sua rápida detecção.

As dores que esse problema traz ou a própria identificação da retração são sinais que mostram a complicação já desenvolvida, sendo difícil reverter a condição.

dentista1

Caso não haja o tratamento devido, a recessão pode assumir um quadro irreversível, dificultando o processo de mastigação e impactando negativamente a estética do sorriso.

Quais as causas da raiz do dente exposta?

A raiz do dente exposta pode acontecer por várias razões. Dentre suas causas estão momentos de estresse constantes, problemas na concentração, bruxismo, e cotidiano movimentado, além de traumas, a doença periodontal e demais doenças locais e sistêmicas.

A doença periodontal tem como uma de suas principais atuações a perda dos tecidos e a degradação dos ossos alveolares. Essa danificação leva à retração gengival, e assim, a raiz exposta.

Além da escovação ser uma das motivações da periodontite através de sua má execução, ela também, quando realizada com muita força e pelas cerdas duras da escova, é capaz de causar os traumas na gengiva, e assim a sua redução.

Em casos de oclusão dental, em que o paciente sofre pelo mau posicionamento do dente, a força a mais que certos dentes realizam sobre os outros também é uma das causas.

Por último, procedimentos odontológicos prolongados e de impacto excessivo, assim como o avançar da idade e suas alterações hormonais também são demais motivos.

Raiz do dente exposta, quais os sintomas?

Mesmo que a raiz do dente exposta não seja identificada como uma enfermidade bucal, ela pode ser identificada por meio de alguns sinais. Por sua vez, os mais comuns são dor diante a contato com alimentos muito gelados ou muito quentes, sangramento no tecido gengival, e a falsa sensação de que parte da dentição está solta.

Um espaçamento maior entre os dentes também pode ser perceptível, isso quando o quadro possui relação com a periodontite. Eventualmente, pela retração da gengiva há um impacto estético forte, que por sua vez, traz a impressão de que os dentes, ao menos sua parte superior, são maiores do que realmente são.

As complicações da retração gengival

No entanto, a exposição da raiz do dente vai muito além da estética e da desarmonia do sorriso. Esse problema traz consigo uma série de riscos aos dentes, como é o caso de seu desgaste e que, futuramente, são identificadas como fraturas dentárias.

A criação de locais propensos ao acúmulo da placa bacteriana também é um grave risco a suas evoluções. Porquanto, esse avanço conta com problemas como o tártaro, as cáries e a gengivite.

Além disso, a raiz de dente exposta pode motivar a sensibilidade dentinária, fraturas radiculares, a perda de dentes por grandes fraturas e o tratamento de canal (endodôntico).

Pelo efeito na aparência, a baixa da autoestima é uma das consequências.

tratamento para raiz de dente exposta
Mulher realizando um procedimento odontológico.

Tratamento para raiz do dente exposta

O tratamento pode ser feito através de diversas abordagens. Dentre elas há um processo cirúrgico, conhecido como Enxerto de tecido conjuntivo subepitelial, que implica na retirada de uma parte do tecido gengival de um sítio doador, e recobrindo assim, o local descoberto.

Vale ressaltar que antes de o procedimento ser feito deve ser realizada a limpeza dental e a remoção de tártaro, fazendo com que não haja mais riscos de doenças periodontais na região.

Em caso de sensibilidade localizada, o procedimento Laserterapia pode ser aderido para amenizar esse sintoma. A higiene bucal, com o uso de creme dental adequado para as causas da retração, também é capaz de aliviar essa sensação.

Em caso de quadros menos alarmantes, as restaurações podem ser a melhor solução, que além de tampar a região, também são capazes de também controlar a sensibilidade

Em suma, mais importante do que o tratamento clínico, o tratamento pela mudança e a adesão de bons hábitos quanto a higiene bucal é a melhor opção.

raiz do dente exposta o que fazer
Mãe e filha realizando uma das escovações diárias.

Raiz do dente exposta, o que fazer para prevenir?

A prevenção da retração gengival é feita justamente pela melhora da higienização. Os bons hábitos, por sua vez, se relacionam a uma higiene bucal completa, que compreende além da escovação e suas técnicas, a passagem do fio dental e o bochecho com o enxaguante bucal.

A realização do processo da escovação deve ser ao menos 2 vezes por dia, sendo ao acordar, em meio aos intervalos das refeições e ao ir se deitar. A escovação noturna é a mais importante, já que nesse período a salivação diminui.

Desse modo, o uso do fio dental deve acompanhar ao menos uma das escovações do dia, eliminando os restos de alimentos nos espaçamentos que as cerdas da escova não conseguem alcançar.

Já o uso do enxaguante bucal, também deve ser diário. Dentre os seus principais objetivos está eliminação das bactérias e dos resíduos que as fases anteriores não conseguiram remover.

Contudo, todas as fases são igualmente importantes e não devem ser puladas, uma vez que nenhuma é eficiente sozinha. Assim, se mantem a saúde bucal em dia e se previne que problemas bucais, como a raiz de dente exposta, aconteçam.

Visitas periódicas ao dentista

Além de uma boa higiene bucal, as idas regulares ao consultório odontológico são essenciais para a manutenção da saúde bucal.

É pelas visitas ao dentista que se realiza a avaliação da zona bucal e se consegue identificar complicações em sua fase inicial. Em seguida, encaminhando o paciente para o tratamento específico o quanto antes.

Nesse contexto, essas idas também vão servir para a retirada de fatores locais agressivos, como os metais de prótese e piercings. Isso caso estejam em contato com a gengiva que sofreu a lesão.

Vale ainda ressaltar a importância da anamnese e do diagnóstico para a identificação não só do problema, mas também a sua causa.

Logo, é somente com a higienização bucal adequada e com esse contato profissional, que se realiza a manutenção da saúde bucal e o seu sorriso se conserva saudável e harmônico.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Deixe um Comentário

(1 comentário)

  • Gustavo Woltmann

    Que Artigo Interessante. Muito bem explicado e interessante.

  • O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!