O Que Você Procura ?

paralisia facial

Paralisia facial: o que é e como a odontologia pode trata-la!

dentista2

Paralisia facial ou paralisia de Bell é um distúrbio, que pode acontecer sem nenhum tipo de causa específica. O principal sintoma é causado pela paralisia ou enfraquecimento dos músculos de um dos lados do rosto.

A partir disso, pode acontecer por diversas formas, entre elas reação inflamatória que envolvendo o nervo facial.

Sendo assim, entenda aqui o que é a paralisia facial e como trata-la. Boa leitura!

O que é paralisia facial?

Também conhecida como paralisia facial periférica acontece quando o nervo facial, que controla a contração dos músculos do rosto.

Em 1981, esse distúrbio foi descrito pelo pesquisador escocês Charles Bell – por isso o nome, e o identificou como um tipo de inflamação que também pode causar paralisia facial.

O distúrbio pode ser causado vírus específicos, como o da família herpes, que ao ser adquirido inflama os nervos da face, causando uma fraqueza nos músculos do rosto.

Nesse sentido, esse músculo é lesado por uma inflamação, na qual o nervo para de funcionar de forma parcial ou completa.

Logo após essa inflamação, ocorre o inchaço do nervo e dos pequenos vasos sanguíneos ao redor desse nervo, que devido estarem localizados próximos dos ossos do crânio, são comprimidos por esses ossos.

Isso quando ocorre, interfere na capacidade do nervo em conduzir os impulsos elétricos, provocando a incapacidade de que o nervo se comunique com os músculos do rosto, causando desta forma, a paralisia facial.

paralisia facial causas
Mulher sentindo os sintomas da paralisia facial.

Paralisia facial causas

Entre os diversos fatores que contribuem para a paralisia, estão os seguintes casos:

dentista1
  • Infecção por bactérias, como a doença de Lyme ou vírus que atinge o nervo facial, por exemplo, o vírus do herpes simples (labial e genital), e do herpes zoster.
  • Há também casos como catapora/varicela;
  • Epstein-barr (mononucleose), o citomegalovírus, o adenovírus e os vírus da rubéola e da gripe.

Além desses, temos também: fadiga extrema, baixa imunidade, estresse, distúrbios na glândula parótida, mudanças bruscas de temperatura, otite média, tumores e traumas.

Quando há presença de causa como essas, acontece a alteração que impede a transmissão dos impulsos nervosos para os músculos faciais, de modo que haja a incapacidade e diferença entre os dois lados da face.

Fatores de risco da paralisia facial

Em casos que acontece um acidente vascular cerebral (AVC), existe a possibilidade de ocorrer a paralisia de Bell.

Também conhecido como derrame cerebral, o AVC pode causar uma paralisia facial por causa da lesão que acontece em partes do cérebro responsáveis por comandar os movimentos da face.

Posto isso, o fato do rosto ter maior quantidade de terminações nervosas do que em outras partes do corpo, aumenta as chances de que as musculaturas faciais sejam atingidas por um AVC.

Situações do cotidiano também pode favorecer para que aconteça a paralisia facial, entre elas, os choques térmicos, como o de tomar vento ou friagem depois de sair de um banho quente, forma que deixou a paralisia conhecida com o nome de paralisia a frigore.

Sintomas da paralisia facial

Como já dito no nome, o principal sintoma da paralisia é a perda da movimentação do rosto, porém, por ser um sintoma de AVC, o ideal é ir a um médico para diagnosticar.

A partir do momento que o AVC é descartado, é preciso analisar o que pode ser. Afinal, a paralisia facial também tem sintomas como o de dificuldade em pronunciar palavras, de alimentar, e até o de fechar a pálpebra.

Também é possível que haja dores próximas à orelha e à mandíbula, perda do paladar em partes da língua, dores de cabeça, de ouvido, menor produção de saliva, olho seco, salivação e lacrimejamento sem motivos.

Outros sintomas como dificuldade para assobiar, soprar e manter líquidos dentro da boca também são comuns. Porém, outras complicações acontecem quando a paralisia facial não é tratada.

Nesse sentido, é possível que olho não se feche sozinho, a córnea resseque, contribuindo para os problemas de visão, que é um dos maiores perigos com a presença de paralisia facial.

Como diagnosticar paralisia cerebral?

O paciente com paralisia facial pode desenvolver o medo de que seja um derrame (AVC), já que a esse problema é um dos sintomas desse distúrbio.

O maior medo do paciente com paralisia de Bell é a preocupação de estar apresentando um derrame (AVC).

Entretanto, o corpo humano dá algumas dicas se é ou não um derrame, por exemplo, o fato de não ter paralisia em outras regiões do corpo. Uma vez que a paralisia de Bell atinge a parte superior do rosto, já no derrame, acontece boca entorta sem que atinja o olho.

Apesar das dicas, ir em um profissional especializado é essencial. Afinal, o diagnóstico de paralisia facial é um diagnóstico clínico, que não depende de outros exames.

É comum que haja exames complementares para casos em que a paralisa dura mais do que uma semana. O mesmo serve para casos que podem demorar mais de 3 meses (que pode acontecer).

Paralisias causadas por doenças infecciosas, como vírus e bactérias necessita de exames. O objetivo desses exames é analisar o nervo, por exemplo, o de eletroneuromiografia.

paralisia facial tratamento
Mulher com a expressão de preocupação, pensando no tratamento da paralisia facial

Apesar de não causar incômodo, a paralisia facial pode indicar a presença de outras doenças, podendo causar outros sintomas, como a dor que essa moça sente.

Paralisia facial tratamento

Logo após o diagnóstico, começa-se os tratamentos, que inclui o uso de medicamentos, fisioterapia, fonoaudiologia, entre outras áreas.

Isso porque não há uma conduta terapêutica padrão para a doença, afinal, a forma como a paralisia pode aparecer influencia no seu tratamento.

Na maior parte dos casos, a paralisia facial costuma desaparecer sem um tratamento, desse modo o inchaço que acontece no nervo diminui de maneira espontânea.

A fisioterapia e fonoterapia servem para estimular a musculatura facial, já que elas promovem melhora na mastigação e a fala, e evitam conflitos e atrofia nas fibras musculares.

Toxina botulínica

Outra alternativa é a da toxina botulínica ou botox, que é injetada nos músculos contralaterais normais da face de modo que eles sejam enfraquecidos e restaure a simetria dos movimentos.

Por causa da toxina diminuir a tensão muscular, sua aplicação não afeta os demais músculos e tem um efeito mais satisfatório.

A partir disso, esse tipo de tratamento tende a favorecer todos os graus de paralisia. Afinal, a toxina botulínica melhora a simetria dos pacientes com paralisia facial.

Como prevenir a paralisia facial?

Assim como outros tipos de doenças, é possível evitar a paralisia facial.

Confira algumas dicas para prevenir:

  • Trate as inflamações da região facial assim que surgirem;
  • Evite estresse,
  • Tenha cuidado com choques bruscos de temperatura;
  • Fadiga extrema;
  • Imunidade baixa.

Já esse esses são fatores que originam o problema da paralisia facial, a dica é estar com a saúde bucal em dia. Afinal, dentistas tratam de outros assuntos, além do sorriso, envolvendo estética e ortodontia.

Por isso, você consegue agendar sua avaliação aqui, com mais eficiência na sua saúde bucal.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida ou algum outro tipo de informação? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!