O Que Você Procura ?

o que é profilaxia

O que é profilaxia?

dentista2

Você sabe o que é profilaxia? Talvez a palavra seja desconhecida, mas não o significado dela. Por isso, separamos algumas informações importantes para você entender melhor sobre profilaxia. Vamos lá!

A profilaxia é um conjunto de medidas que são utilizadas com o intuito de impedir ou reduzir o risco de transmissão de determinada doença. Este é um conceito muito importante dentro da área da saúde, sendo então, uma soma de atividades que se propõem em proteger a população do acontecimento ou da evolução de um episódio que seja desfavorável à saúde das pessoas.

Portanto, vamos agora entender qual a relação entre higiene e profilaxia e também quais os principais tipos de profilaxia existentes.

o que é profilaxia

O que é profilaxia?

Sendo assim, podemos simplificar o conceito de profilaxia, como a área da saúde que trabalha com ações para a prevenção de doenças no nível populacional, com o foco em sua proteção e no seu desenvolvimento.

Dessa forma, existem tomadas de ações e medidas para que não aconteça o contato de um agente infeccioso com o organismo, com a finalidade de conter a inserção de doenças e, quando isso não é possível, organizar o controle para que as doenças não espalhem.

Existe certa relação da higiene com a profilaxia, já que os hábitos de higiene pessoal condizem com os processos de profilaxia existentes a higienização, contribuindo para a eliminação de microrganismos nocivos aos seres humanos, sendo uma das formas de controle de doenças mais  adotada pela humanidade como um todo.

Além da adesão aos hábitos sanitários e de higiene com papel profilático, as vacinas podem ser consideradas técnicas de profilaxia, sendo que, elas também são um método eficaz e comprovado de combate à disseminação de doenças contagiosas e não contagiosas.

Profilaxia e Higiene

De forma geral, a higiene pode ser definida como sinônimo de asseio e limpeza. Entretanto, no meio clínico e hospitalar, a higiene pode ser definida como o conjunto de conhecimentos, processos e técnicas cuja utilização colabora para a conservação da vida e da saúde, proporcionando o bem-estar físico e mental, sendo uma prática de grande importância para a sobrevivência do ser humano.

Sendo assim, é possível associar os hábitos de higiene com a profilaxia, visto que os cuidados adotados nas praticas de higienização são importantes para evitar doenças, combater o contágio e evitar sua disseminação, seja ela direta ou indireta.

Portanto, veja abaixo alguns hábitos de higiene e profilaxia que impactam diretamente na transmissão de doenças e no cuidado com a saúde do ser humano:

dentista1
  • Lavar bem as mãos sempre após utilizar o banheiro;
  • Evitar levar as mãos à boca;
  • Não coçar os olhos, mesmo depois de lavar as mãos;
  • Sempre lavar e higienizar as mãos após espirrar ou tossir;
  • Ao tossir ou espirrar, proteger com o antebraço
  • Higienizar bem as frutas, legumes e verduras antes de consumi-los.

Portanto, por meio destes e de outros hábitos simples de higiene, que têm o papel de profilaxia no dia a dia, é possível evitar uma grande quantidade de doenças que, em caso contrário, podem causar graves problemas à saúde.

Tipos de profilaxia

Você sabia que existem diferentes tipos de profilaxia? Por isso, separamos alguns detalhes e os tipos mais comuns para que você entenda melhor.

Dentária

A profilaxia dentária é o processo de limpeza profissional, realizado por especialista (dentista ou ortodontista), que deve ser realizada ao menos uma vez por ano, sendo que especialistas indicam que sua realização seja feita semestralmente, tendo assim como objetivo garantir a saúde bucal e evitar doenças. Através da profilaxia dentária, é possível evitar problemas como:

  • inflamações gengivais e dentárias;
  • formação de tártaro e de placas bacterianas;
  • sangramentos bucais;
  • amolecimento dos dentes.
  • mau hálito;

Sendo assim, esses são alguns dos problemas mais comuns que a profilaxia dentária auxilia no combate, sendo que diversos deles podem desenvolver quadros mais sérios e acarretar doenças mais graves. A Clínica OralDents traz um novo conceito em Odontologia, aliando conforto, tecnologia, técnicas avançadas e equipe qualificada, oferecendo aos clientes excelência em tratamentos odontológicos. Saiba mais!

PEP ou Pós-Exposição

A profilaxia pós-exposição é uma medida de prevenção de urgência à infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis. Essa medida consiste no uso de medicamentos específicos, com o objetivo de reduzir o risco de contração dessas infecções. Essas providências devem ser adotadas após qualquer situação que exista risco de contágio, como:

  • relação sexual realizada de forma desprotegida (sem uso de preservativo ou com rompimento do preservativo);
  • acidente ocupacional (em caso de contato direto com material biológico ou com instrumentos perfurocortantes).
  • violência sexual;

Esse tipo de profilaxia deve ser iniciado o mais rápido possível, de preferência nas primeiras duas horas após a ocorrência, e, no máximo, em até 72 horas após a exposição, devendo sempre ser acompanhada por uma equipe de saúde especializada.

Profilaxia antibiótica

JÁ que o  princípio da profilaxia é de prevenir possíveis doenças, a profilaxia antibiótica visa proteger o corpo de possíveis doenças bactericidas, como a endocardite.

Quando é feita a prevenção antibiótica em pacientes que poderiam vir a ser submetidos a procedimentos odontológicos, estudos para poder criar algo são testados em modelos animais.

Esse estudo busca evitar que bactéria  gerada por procedimentos invasivos não ataque os órgãos importantes do corpo humano, como o endocárdio.

Profilaxia na odontologia

Sendo assim, é indicado que a a profilaxia seja realizada antes do procedimento odontológico na qual necessite dela.

Dessa forma, um esquema que pode ser sugerido é o de 30 (trinta) a 60 (sessenta) minutos antes do procedimento), podendo utilizar os seguintes antibióticos: Amoxicilina, clindaminicina, cefalosporinas entre outras que podem ser indicadas por um profissional, como o cirurgião-dentista.

Até hoje, ainda existe um debate de usa ou não a profilaxia antibiótica em casos mais graves de endocardite.

Segundo as atuais recomendações para prevenção da doença infecciosa, ao usarem a profilaxia, tornam o tratamento da doença mais simples e objetivo, de modo que seja possível  minimizar ou até mesmo evitar o uso da profilaxia antibiótica para procedimentos odontológicos futuros.

Afinal, gostou do nosso texto? Tem alguma dúvida ou sugestão sobre o assunto? Deixe seu comentário!

 

dentista

Leave a Comment

(0 Comments)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!