O Que Você Procura ?

língua geográfica

Língua geográfica: causas, sintomas e tratamentos

dentista2

A língua é uma das partes mais importantes do nosso corpo e que também precisa de atenção. Afinal, ela também pode desenvolver problemas, como a “língua geográfica”.

Apesar do nome diferente, não estamos falando de idiomas, mas sim de um distúrbio que acontece neste órgão tão importante.

Já notou sua língua estranha, como se ela estivesse com desenhos de um mapa? Se sim, pode ser que você sofra desse distúrbio, caso não, venha entender melhor sobre ele aqui e agora!

O que é língua geográfica?

Conhecida também por glossite migratória benigna ou eritema migratório, é considerada como um distúrbio benigno – que não é grave, que pode provocar lesões na língua, podendo apresentar avermelhadas ou cinzento-esbranquiçadas.

Por serem lesões irregulares e de variados tamanhos na língua à aparência das erupções, que lembram mapas cartográficos, por isso o nome língua geográfica.

Sendo assim, ao notar no espelho que sua língua está com algumas manchas avermelhadas e com formatos peculiares você pode ter língua geográfica.

Mas não é só por isso o nome, as erosões também podem migrar de uma área para outra da língua, por isso recebe o nome de glossite migratória benigna ou eritema migratório.

glossite migratória
A glossite migratória é uma doença que causa forte desconforto e ardência na língua.

Causas da glossite migratória

O distúrbio pode se manifestar em qualquer idade, porém, é comum que as lesões apareçam nos primeiros anos de vida e tendem a sumir entre os 7 ou 8 anos.

Entretanto, o fato da língua ter grande uma importância para a saúde bucal e ser parte mais relevante do sistema responsável pela fala, demonstra a necessidade de se preocupar com qualquer alteração que ela possa apresentar.

A língua geográfica pode ser caracterizada como uma doença bucal, que pode afetar de 1% a 2% da população mundial, de modo geral, apesar das crianças serem comuns, ela não está descartada em adultos.

dentista1

Outro fato curioso é que ainda não se sabe o que causa a glossite migratória, porém estudos indicam que ela pode ter caráter hereditário ou estar associada a doenças respiratórias, por exemplo, asma e rinite alérgica.

Além delas, estão associadas as causas da língua geográfica deficiências nutricionais, como a falta de vitaminas.

Outros estudos também indicam que ela pode estar associada à outras doenças ou distúrbios, como psoríase, estresse emocional e caspa (dermatite seborreica).

Sintomas de língua geográfica

Apesar do nome assustar ou até mesmo as possíveis lesões que ocorrem na língua, os sintomas dela não são tão graves.

É importante saber que as lesões, que são os sintomas mais comuns, não comprometem o paladar, podendo permanecer ativas por períodos curtos ou longos.

Sendo assim, os sintomas mais comuns da língua geográfica são o surgimento de uma camada de pequenas protuberâncias, que deixam as áreas da língua lisas e vermelhas, com bordas levemente elevadas.

A partir disso, essas áreas podem ser afetadas, mudam de tamanho e de localização diariamente, dando a impressão de que a língua esteja diferente cada vez que você olha para ela.

As lesões podem regredir espontaneamente e reaparecer depois, e em alguns casos, pode ser que aconteça dificuldade de se alimentar ou afetar as falas, mas são casos mais agudos, diagnosticados por um profissional especializado.

Porém, a maioria das pessoas é assintomática – não tem sintomas, mas podem sentir incômodo por alimentos bem temperados, ácidos ou bebidas alcoólicas que podem provocar ardência e queimação.

Língua geográfica precisa de tratamento?

Como a glossite migratória pode desaparecer e reaparecer em diferentes períodos, não existe um tratamento específico.

Porém, existe uma medida terapêutica para ajudar a amenizar o problema quando sintomas causa incômodo, sendo indicado o uso de analgésicos simples.

Em casos mais graves como os citados acima, pode ser necessária a utilização de anestésicos tópicos ou medicamentos anti-inflamatórios.

Mas como sempre é dito aqui no blog, o ideal é procurar um profissional que irá identificar o caso e a partir disso sugerir o melhor tipo de tratamento.

Que a partir disso, o diagnóstico clínico irá conseguir levar em consideração as características das lesões, que já que mudam de forma e de local e com isso poder, se for necessário realizar exames de cultura e biópsia.

Fatores de risco da língua geográfica

Mesmo que não seja considerada como algo perigoso, existem alguns fatores que podem favorecer o aparecimento do distúrbio da glossite migratória.

Para entender e principalmente prevenir, é importante saber que cerca de 3% da população possui a doença, sendo mais forte em pacientes do sexo feminino, sendo mais propensas a essa condição do que pacientes do sexo masculino.

Como a língua geográfica também afeta os adultos mais jovens, pode ser que a doença seja hereditária, aparecendo em pessoas da mesma família.

Casos de pessoas que ficam com língua fissurada, que é uma condição em que a língua apresenta sulcos profundos e aparência enrugada, também possuem o risco maior de desenvolver glossite migratória.

Por último, mas não menos importante, em casos de distúrbios hormonais, estresse emocional, diabetes juvenil, alergias que ocorrem frequentemente junto com a língua geográfica também merecem atenção e buscar uma fonte que ativa esses problemas.

Como prevenir a língua geográfica
Garota apontando para sua língua.

Como prevenir a língua geográfica?

Não há uma forma de evitar ou curar a língua geográfica, afinal, ela pode aparecer e sumir de formas bem rápidas.

Mas existem algumas dicas que podem ajudar a conviver com o distúrbio, vamos a elas:

  1. Mantenha sua boca sempre limpa;
  2. Evite alimentos que causem irritação;
  3. Lembre-se que se trata de uma condição benigna e não contagiosa;
  4. É normal as lesões aparecerem e desaparecerem sem tratamento;
  5. Evite ingerir alimentos com muito tempero e muito quentes para não provocar irritações desagradáveis.

A partir das ideias acima é possível viver bem com a língua geográfica, mas sempre surge aquela dúvida do que pode ou não fazer quando ela aparece, por isso, explicarei também um pouco sobre isso.

Dúvidas frequentes sobre língua geográfica:

Aproveitando, segue também questionamentos que quem tem ou convive com alguém que tenha glossite migratória, sem se pergunta, como:

Pode beijar na boca quem tem língua geográfica?

R: Como já dito ao longo do texto, por não ser contagiosa, não tem problema nenhum.

 Acontecem sangramentos na glossite migratória?

R: Pode ficar tranquilo que não há presença de sangue, porém é comum acontecer o aumento da sensibilidade, junto de ardência e dor na região. Caso isso persista por um período maior do que o de 10 dias, procure um especialista.

Posso escovar a língua normalmente?

R: É aconselhável que você utilize uma escova de dente extra-macia para fazer a limpeza e não irritar o local das lesões na língua.

A glossite migratória provoca mau hálito?

R: Se a higiene da língua não for feita de forma adequada, pode ocorrer mau hálito.

Mesmo que você não seja uma pessoa que tenha língua geográfica, manter a saúde bucal em dia é de extrema importância.

Por isso, você pode garantir mais saúde para o seu sorriso e manter sua boca saudável agendando sua avaliação conosco aqui!

Não se esqueça, se gostou do nosso texto? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe seu comentário!

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!