O Que Você Procura ?

implante dentário

Implante dentário: saiba qual o melhor e como é feita a aplicação

dentista2

O implante dentário é um dos procedimentos mais requisitados na clínica odontológica e isso se deve a necessidade e a preferência por um sorriso mais saudável, estético e harmonioso.

São várias as motivações e os benefícios que estão por trás da aplicação do implante dentário.

Se você esta buscando mais informações para tirar todas as dúvidas como, por exemplo, o valor do implante dentário, seus tipos, os cuidados e suas vantagens, está no lugar certo! Confira com detalhes nesse guia completo antes de realizar sua colocação de implante.

o que é implante dentário

Implante dentário, o que é?

O implante dentário, assim como os demais procedimentos estéticos, está ligado à restauração do sorriso e da autoestima e é baseado na reposição de parte da dentição perdida.

São várias as motivações possíveis pela perda de dente, como a incidência de traumas e de doenças periodontais.

Logo, esse procedimento é a melhor opção diante a esses casos, sendo a solução definitiva e mais acessível. O implante dentário, além de proporcionar um melhor efeito estético, é capaz de recuperar as funções mastigatórias adequadas e equilibradas, recuperando assim a saúde bucal e bem-estar do paciente.

A implantodontia também pode ser uma alternativa para substituição de próteses móveis, já que proporcionam maior estabilidade, segurança e conforto ao uso.

Por fim, se trata de uma alternativa artificial e que busca trazer de volta a naturalidade da arcada dentária por diferentes técnicas e tipos de materiais.

Como é feito o implante dentário?

O implante dentário é feito por meio de um acessório de metal que é posicionado na região óssea da maxila ou mandíbula por meio de cirurgia. É no interior da gengiva que essa estrutura apresenta um papel de sustentação para o dente produzido pelo dentista, atuando como a raiz do componente.

dentista1

Para isso, o dentista realiza um corte no tecido gengival para que o local almejado seja atingido. Por meio desse corte, o odontologista consegue fazer do osso a base do implante.

É feita uma mínima perfuração no osso para que seja feita a junção entre o pino de titânio na estrutura óssea, que permite que o acessório tenha melhor fixação.

Após a introdução do suporte a gengiva, continuam no arco dentário para que assim o dentista possa, por meio deste momento, fazer a confecção da prótese, o dente artificial. A prótese, assim como o implante, pode ser feita de diferentes materiais, sendo preferivelmente de resina e porcelana.

Ao final da cirurgia é feita uma sutura no local. Vale ressaltar que a colocação do implante só pode ser feito por meio de um cirurgião dentista capacitado, que realiza a análise da estrutura óssea por meio de radiografias e tomografias.

Quanto às fases do procedimento vale ressaltar a importância de uma boa higiene bucal prévia e assim a aplicação da anestesia.

Qual a diferença de implante e prótese dentária?

As próteses, tal como os implantes, transformam o sorriso impactado pela perda de dentes. Isso de forma artificial, mas buscando parear com a naturalidade da arcada dentária original.

As técnicas que envolvem esses acessórios de implantodontia permitem por uma variedade de técnicas e materiais não tóxicos, eles se camuflam em meio aos dentes naturais.

Contudo, mesmo que ambos os acessórios possuem como função a reposição de um ou mais dentes, eles se diferem quanto aos seus processos que podem complementar-se.

Enquanto o implante é responsável por substituir a raiz do dente, a prótese faz jus à estrutura dentária que fica acima da linha da gengiva. Com isso, para que haja a recuperação da estrutura completa do dente, o implante precisa estar ligado a uma prótese.

No entanto, o processo que envolve a prótese não necessariamente precisa estar associado à colocação do implante, podendo ser uma opção para quem quer recuperar o sorriso de forma menos invasiva.

Vale ressaltar que a prótese pode ser fixa e removível. Enquanto a fixa pode oferecer maior segurança durante o uso, a removível pode favorecer na boa higiene bucal. Ademais, pode ser total ou parcial, dependendo da quantidade de dentes perdidos.

Quais os principais motivos da perda do dente?

São várias as causas por trás da perda de dentes e previamente de seu amolecimento. No entanto, existem 4 causas principais:

Cáries

A perda de dente por cárie é algo muito comum, já que é pela evolução de maus hábitos e do acúmulo de placa bacteriana que a situação pode gerar complicações determinantes para a saída do dente.

Na falta de uma boa higiene bucal e pela ausência do tratamento, a cárie pode evoluir rapidamente para um problema gengival, fazendo com que haja a perda dentária.

Doença periodontal

A doença periodontal, gengivite ou periodontite, geralmente é a principal causa por trás da perda de dente, tendo como principal causa a má higiene bucal. A periodontite se desenvolve por meio do acúmulo de restos de alimentos e da proliferação de bactérias decorrentes na boca, fazendo com que a gengiva se torne suscetível a inflamações.

Essa inflamação é capaz de evoluir com o passar do tempo e assim desencadear no enfraquecimento da sustentação da arcada dentária. Com isso, há a perda do dente pela destituição do tecido que envolve o componente, além da perda óssea.

Bruxismo

O bruxismo se trata de um distúrbio crônico responsável pelo mau hábito de ranger os dentes. O contato entre as arcadas geralmente ocorre de forma involuntária durante o sono, mas também pode ocorrer no período diurno.

Pela a falta de percepção e na ausência de tratamento o bruxismo pode motivar a o desgaste das estruturas ósseas da dentição pela pressão realizada sob os ligamentos do periodonto. Com isso, há o ganho de mobilidade pelos dentes e eles podem vir a cair.

Traumas

Além das surpresas desagradáveis que podem ser evitadas, a zona bucal também está passível a incidência de acidentes. Podem ser resultantes de um tombo, choque ou contato imprevisto.

Diante a essas situações, os ligamentos periodontais, responsáveis por fazer com que as raízes dos dentes se mantenham posicionadas corretamente, percam a sua solidez e levem a soltura da estrutura dentária.

quais as indicações do implante dentário

Quais as indicações do implante dentário?

Mesmo que possua uma finalidade mais funcional, melhorando a fala e a mastigação, o implante dentário também se trata de uma solução estética e é capaz de influenciar positivamente na autoestima do paciente.

É por meio da reparação do sorriso, completando a brecha deixada pela perda do dente, que a pessoa consegue ainda melhorar seus relacionamentos sociais, assim como a melhora quanto a própria aceitação.

Ademais, diante de uma perda dentária, há o desarranjo da posição da arcada dentária. Isso se deve ao fato dos dentes ao redor do espaçamento inclinam-se a se movimentarem até o local, fazendo com que o sorriso esteja propenso a problemas na Articulação Temporomandibular – ATM e até mesmo na soltura de mais dentes.

Por fim, a indicação principal do implante é justamente casos de perda de dentes, seja ela de um ou mais dentes.

É necessário atentar que a perda de dente pode levar a vários processos fisiológicos na boca, fazendo com que o tempo reaja sobre a reabsorção óssea, desajustando as funções bucais que podem causar sérios problemas à saúde geral.

Quais as contraindicações do implante?

Como sendo um tipo de procedimento cirúrgico, a adesão da implantodontia possui certas contraindicações. Entre elas estão crianças e jovens que não finalizaram o crescimento ósseo e pacientes que estejam em tratamento com medicamentos do tipo dos bifosfonatos.

Uma vez que não há conclusão do crescimento ósseo, que geralmente acontece dos 17 a 18 anos nas mulheres e os 18 a 19 anos nos homens, não pode-se executar o procedimento, já que os implantes depois do processo de osseointegração não movem, levando a futuros problemas.

Quanto à medicação por bifosfonatos, seja no tratamento da osteoporose ou da doença de Paget, esses fármacos levam a alteração da estrutura óssea, fazendo com a zona bucal esteja suscetível a complicações.

Diabéticos, hipertensos e pessoas com doenças crônicas podem realizar a doença crônica contanto que a enfermidade esteja controlada e haja o tratamento médico devido.

Além disso, durante o tratamento o paciente não pode fumar, já que esse mau hábito aumenta as chances de inflamações e dificulta o processo de cicatrização.

Quais são os tipos de implante dentário?

Assim como os demais procedimentos estéticos, o implante dentário possui diferentes métodos, procurando sanar as necessidades e particularidades de cada caso. São eles: 

Implante curto

Mais indicados em casos de resolução mais complexas, tal como os implantes estreitos, são as alternativas que a implantodontia viabiliza para solucionar problemas como de estrutura óssea e altura de menor extensão e em casos de espaço pequeno entre os dentes.

Tendo isso em vista, para que se tenha sucesso durante a realização do procedimento tradicional, deve-se levar em conta a quantidade de elementos ósseos que se encontram disponíveis, além da região estrutural do osso em que o implante deverá ser introduzido. Logo, a espessura do osso está diretamente ligada à fixação estável.

Portanto, o implante curto é indicado para quem possui déficit óssea e que não quer que haja alguma intercessão de enxerto que pode comprometer o tratamento de forma a encarecer o preço e fazer com que o tratamento se prolongue.

Por meio dessa metodologia o processo de enxerto pode ser evitado. Ela, por sua vez, é caracterizada por ter implante de extensão bem limitada, tal como a abertura necessária.

Mesmo sendo de dimensão reduzida, é capaz de proporcionar estabilidade semelhante ao modelo tradicional.

Implante em titânio

O titânio é o material que é mais utilizado entre as opções de utilizadas para a confecção do implante e está alinhado às pesquisas feitas por especialistas buscando o sucesso e a durabilidade do tratamento.

Justamente por sanar essas necessidades como o ganho de resistência e de tempo que o titânio se destaca quanto aos demais materiais, levando em conta o procedimento corrosivo.

O titânio é um material esbranquiçado que possui como característica definitiva a dureza e cor metálica. Ademais, é biocompatível e de boa aceitação ao organismo humano.

Implante em cerâmica

Quanto ao implante feito em cerâmica é uma alternativa mais nova a esse tratamento, também tendo sido baseada nas pesquisas que idealizam uma melhor experiência no tratamento.

Mesmo sendo uma abordagem mais recente, proporciona resultados satisfatórios graças à semelhança do material com os dentes naturais.

É um material resistente, confortável, que não sofre por atrição e que não possui taxas de toxicidade.

Implante em zircônio

O zircônio é outra variação de material para confeccionar a estrutura do implante. Tal como a cerâmica, o zircônio é uma das mais novas tecnologias visando melhores resultados do tratamento.

Também por se tratar de uma nova adesão, o implante em zircônio não consegue ultrapassar o número de procedimentos feitos em titânio. Estudos ainda estão sendo feitos quanto a sua duração e resistência.

Por sua vez, sua coloração é esbranquiçada, o que faz com que a estrutura se assemelhe a estruturação das raízes, trazendo um melhor efeito estético.

Se tratando do material, sem ainda possuir relação direta com os resultados do procedimento, não tende a passar pelo processo de oxidação e de desgaste. É resistente a fortes choques, o que permite uma mastigação mais tranquila. É um material que não traz incômodo quanto às funções bucais, o que o faz seguro e confortável.

Tal como os demais, é um material que busca sanar todas as necessidades durante o tratamento.

Implante Nanotecnológico

O implante de tipo nanotecnológico é uma das mais novas inovações quanto ao procedimento e que pretende otimizar o procedimento e seus resultados. A nanotecnologia quando aplicada tem como destaque a melhor cicatrização do local e a melhora da disposição óssea. 

É utilizado em casos de maior risco e que requerem um resultado de urgência, fazendo com que o tempo de colocação da coroa dentária seja reduzido.

Implante biológico

A medicina odontológica associada a biologia, vem estudando essa alternativa há muitos anos, buscando uma experiência quanto a implantodontia ainda mais satisfatória.

Quanto a essa metodologia, o principal objetivo é fazer com que o processo de restauração e cicatrização sejam ainda mais naturais. Com isso, o implante biológico tem sua composição compatível com o corpo humano e é considerado menos invasivo.

Ademais, há também uma aceleração do processo de cicatrização e inclusão. Diferente dos demais modelos, o implante dentário liga de forma direta o osso base e o novo dente.

quais as técnicas usadas na implantodontia

Quais as técnicas usadas na implantodontia?

Assim como os tipos de materiais e os modelos que podem ser usados, há também uma variedade de técnicas que envolve o procedimento de implante dentário. Veja quais são: 

Técnica de implante único fixo

Esse método é o mais comum no consultório odontológico e se baseia na colocação de um parafuso de titânio para repor a falta do dente. A colocação, na grande maioria das vezes, é feita meses depois da perda do componente.

Por essa técnica, próteses e coroas de cerâmica são colocadas após 2 ou 3 meses. É nesse intervalo que ocorre o período de osseointegração.

Técnica de implante único a partir de extração

Com esse processo, o implante é colocado depois que é feita a extração do dente. Nesta técnica há a substituição imediata do dele pelo implante, sendo essa uma alternativa a uma complicação na dentição.

O implante também é colocado após alguns meses da osseointegração que o paciente costuma passar com o uso de próteses removíveis.

Implante único e imediato fixado com prótese

Uma característica desse procedimento é o fato de geralmente ser o acompanhamento da extração do dente. Acontece geralmente na mesma data após algumas semanas.

É feita a colocação do implante dentário na mesma altura em que a foi feita a aplicação da coroa, seja ela definitiva ou provisória.

Entre os benefícios da técnica estão o seu aspecto estético e seu tempo de execução mais curto.

A técnica, também chamada de “carga imediata”, faz a disposição do elemento ósseo com apenas uma consulta, já executando a fixação do dente. Contudo, não é todos os pacientes que são indicados a passar por este método.

Técnica de implante duplo

Também conhecido como preenchimento de ausência de 3 dentes, é um procedimento de características semelhantes a técnica de implante único e imediato. Por essa técnica é feita a extração e a realização do procedimento na mesma data, podendo também ter os implantes após algumas semanas esperando que o osso se regenere.

Na falta de três dentes, o dentista irá realizar a avaliação da zona bucal e das condições ósseas do paciente, podendo ser feita a implantação de apenas 2 peças que mantêm um espaçamento vazio intermediário. Em ambos os implantes, é feita a inserção da de uma ponte de cerâmica em três recursos, fazendo um apoio na área gengival.

Essa técnica possui como vantagem o menor custo aquisitivo, completando a falta dos 3 dentes.

“Overdenture” – implante para fixar dentadura

O processo de implantodontia para a fixação da dentadura, também conhecido como “Overdenture” é feito a partir da incisão de dois implantes sob a mandíbula com o objetivo de realizar a aplicação de prótese de dentes acrílicos. Visando o encaixe correto da prótese, faz-se o uso de um conjunto de contornos arredondados.

A partir dessa metodologia feita pelo dentista especialista, o encaixe é feito através de um “o-ring” que é colocado diretamente no elemento acrílico.

Por fim, a prótese é fixada sobre a gengiva de forma segura e estável. No entanto, o material pode ser removível, auxiliando na higiene bucal.

“All-On-Four” – arcada dentária total em quatro implantes

A técnica All-On-Four foi criada para que os edêntulos da região da maxila se recuperem. É feita uma cirurgia em que se consente que 4 implantes sejam fixados em toda a dentição.

Dessa forma, as próteses que sobrepõem aos implantes são, na maioria das vezes, formadas por 12 dentes em que os implantes são parafusados.

As próteses utilizadas nesse método são geralmente revestidas de cerâmica ou por um produto de metal acrílico. O produto metálico possui 4 buracos, nos quais os implantes são presos. Esse modelo de prótese também apresenta uma boa fixação e estabilidade, além de proporcionarem uma estética bem semelhante aos dentes naturais.

All-on-six  – dentes em totalidade a partir de seis implantes

A técnica chamada de All-On-Six apresenta várias semelhanças quanto a técnica All-On-Four. No entanto, se diferem quanto a quantidade de implantes, sendo agora necessários 6.

É indicada àquelas pessoas que não possuem todos os dentes da maxila superior, fazendo com que a fixação seja otimizada.

Implante zigomático

O implante zigomático é um dos modelos fixos e se diferencia dos demais tipos convencionais quanto a sua fixação feita na estrutura óssea da “maçã da face”. Foi desenvolvido como uma alternativa ao tratamento de pacientes que proporcionam atrofia maxilar rígida em substituição aos enxertos ósseos.

A finalidade principal por trás dessa técnica é a recuperação funcionalidade e o aspecto estético através da prótese fixa introduzida na arcada superior, substituindo as próteses totais e removíveis.

Por fim, a técnica do modelo zigomático se mostra como uma outra alternativa a recuperação da funcionalidade, da mastigação, e da autoestima, sendo uma boa opção, tal como as demais.

como é a consulta de avaliação

Como é a consulta de avaliação?

A consulta para a avaliação é feita por um dentista especialista em que ele irá avaliar a zona bucal e a estrutura óssea do paciente, vendo assim qual o tipo de implante será mais adequado quanto às suas particularidades e as suas necessidades.

Entre os fatores que são levados em conta estão a quantidade de dentes, o local em que estão localizados na arcada e o osso que irá ser a base do implante. Além da avaliação física do local, o dentista pode encaminhar o paciente para um exame de imagem, seja raio-X ou por uma tomografia computadorizada.

Por meio do resultado desses exames o dentista pode perceber a qualidade do osso antes de submeter o paciente a cirurgia. Seja para ossos fracos ou finos, pode-se ser necessário a realização de um enxerto ósseo com material removido da própria pessoa.

É por meio da tomografia que é escolhido o melhor tipo de implante dentário, tendo em vista o material a ser utilizado e o seu tamanho, uma vez que dependendo da profundidade necessária para chegar no osso ele pode variar, tal como diante de outras circunstâncias.

Além da dimensão do implante, o tamanho das brocas também podem variar, elas fazem parte do processo de preparação do local.

É caso não haja nenhuma complicação evidente quanto à saúde bucal que o paciente é encaminhado para o tratamento.

Como ocorre a preparação para o implante dentário?

Já no processo de preparação para a inserção do implante é necessário que alguns cuidados sejam tomados para que seja alcançado um resultado satisfatório. Mesmo que esse procedimento seja seguro e sem processos muito complexos, se trata de um processo cirúrgico, ainda fazendo-se necessário cuidados pré e pós-operatórios.

O implante dentário não dói por causa da anestesia, no entanto, alguns remédios podem ser indicados previamente a sessão.

Quanto à alimentação, nos dias antes do implante o paciente deve consumir apenas alimentos mais leves, prevenindo efeitos de desconfortos gastrointestinais devido ao uso de certos medicamentos e alimentação.

Uma higiene bucal adequada e completa é fundamental para a manutenção de uma boca saudável e diante de qualquer tipo de tratamento. Para colher esse efeito a higiene não deve-se limitar apenas a escovação, mas também ao uso diário do fio dental e do enxaguante bucal.

A colocação do implante dentário dói?

O processo de colocação do implante é indolor, uma vez que o tecido gengival está sob anestesia durante todo o processo. Quanto ao osso atingido pela perfuração, o processo é indolor, pois quase não há fibras nervosas no local.

Desta forma, o cirurgião-dentista também é capaz de receitar uma injeção com anti-inflamatório duas horas antes do processo cirúrgico, ou o paciente pode realizar o uso de antibióticos e analgésicos prescritos em meio ao pós-cirúrgico.

Em quais etapas é dividido esse procedimento?

Também como objetivo de conseguir um bom resultado final, é importante que se conheça quais são as fases do tratamento. Veja quais são:

Cirurgia

Assim que o paciente é liberado pela análise da saúde bucal feita pelo odontologista ele é imediatamente encaminhado para o procedimento cirúrgico. A sessão da colocação do implante não costuma demorar muito, tendo uma duração de até 20 minutos.

A anestesia permite que a cirurgia seja indolor e como calmante a pessoas que ficam nervosas e ansiosas diante dessa abordagem. Após o efeito, o dentista realiza um corte no tecido gengival, de forma que o leito ósseo será exposto.

Logo após há a utilização das brocas para a penetração no osso, fazendo a sua ampliação gradual para acolher o acessório. Em seguida, a peça é inserida na fenda e é coberta por uma tampa de proteção, ocorrendo assim a sutura.

Em caso de uma inserção sem cortes, o especialista realiza um corte por meio de uma pequena abertura circular na gengiva. Com esse processo nomeado de cirurgia guiada, há a redução do tempo de cicatrização.

Reabertura

Depois de cerca de 3 a 6 semanas da cirurgia, a variar de acordo com o período de osseointegração e da marca da peça do implante, deve haver o retorno ao consultório para a sequência do procedimento.

A fase de preparação para as próteses dentárias é uma fase mais simplificada do que o processo cirúrgico. Logo, o dentista realiza novamente a abertura do local e a fixação das próteses sobre os implantes. Aqui a cicatrização não é um problema e acontece rapidamente.

Aplicação das próteses

A fase final do procedimento de implante dentário é justamente a aplicação das próteses. Após a cicatrização da gengiva, o odontologista faz a confecção das próteses e as posiciona corretamente. Essa etapa tem sua conclusão após 2 ou 3 sessões, sendo decisiva para o ganho de estabilidade.

Na maioria dos casos, as próteses são feitas ou em resina ou em porcelana. As próteses de resina tendem a possuir uma maior duração e podem ficar amareladas e porosas com o tempo. Também tendem a ganhar cheiro e gosto com a alimentação e pela rotina de higiene bucal. Possuem um valor mais em conta.

Já a prótese de porcelana tem maior duração, podendo ultrapassar 10 anos dependendo de cada caso. Possui um melhor aspecto estético e por isso um maior valor aquisitivo.

Como é o pós-operatório?

O pós-operatório da colocação do implante, ao contrário do que muitos pensam, é um processo sem muitos cuidados. No entanto, deve-se seguir as orientações do dentista da forma correta, uma vez que elas são determinantes para que não haja problema algum durante o processo.

O mais indicado é que logo após a cirurgia, o paciente fique em repouso ao menos por dia, favorecendo a boa circulação do sangue, diminuindo assim a incidência de dores resultantes da manipulação do osso.

Para aliviar a dor, o paciente pode associar o uso de compressas e de anti-inflamatórios.

Entre as orientações que podem ser dadas pelo especialista pode-se citar:

  • Dormir com a cabeça mais alta do que o corpo;
  • Realizar bochechos para evitar hemorragia;
  • Evitar esforços físicos;
  • Evitar exposição ao sol;
  • Evitar falar muito;
  • Não ingerir alimentos duros e quentes.

Com isso, visando colaborar com o processo de cicatrização, uma dieta baseada em alimentos moles e menos consistentes como sopas, gelatinas e sorvete. Evite alimentos como bebidas quentes, doces e salgados.

Na incidência de infecções, analgésicos e antibióticos podem ser indicados.

LEIA TAMBÉM: Implante dentário preço: veja como escolher o melhor

Quanto tempo de repouso depois de um implante de dente?

O tempo de repouso indicado após a sessão de implante é de 48 horas, visando a recuperação total do indivíduo e a concretização da cicatrização.

Seguindo essa e demais possíveis indicações do dentista se evita complicações como edemas, sangramentos e infecções.

quais cuidados ter com o implante dentário

Quais cuidados ter com o implante dentário?

Após a cirurgia é importante ingerir os medicamentos prescritos pelo odontologista de maneira correta. Passado o período de adaptação outros cuidados são necessários para a maior longevidade do tratamento, entre eles estão:

  • Boa higiene bucal;
  • Alimentação saudável e equilibrada;
  • Visitas regulares ao dentista;
  • Cortar maus hábitos (fumar, abrir objetos com os dentes, morder objetos duros, roer as unhas).

Vale ressaltar que é por meio desta mudança na rotina que se conserva o implante em seu melhor estado e se evita substituições repentinas. É também visando a boa manutenção do acessório que as visitas ao dentista devem continuar periódicas.

Quanto tempo dura um implante?

A duração de um implante irá depender de uma série de motivações, de como o implante dentário é feito, tendo em vista principalmente a falta ou a adesão dos cuidados recomendados. A prótese e a peça do implante possuem estimativas de durabilidade diferentes, tendo uma peça de titânio por volta de 15 a 20 anos.

É por meio dos cuidados necessários que complicações como a gengivite e a periodontite são evitadas, permitindo uma maior duração do implante.

Já as próteses geralmente possuem uma duração menor do que a dos implantes, tendo as de resina uma duração de 10 a 15 anos e as de porcelana de 7 a 8 anos. As próteses feitas de cerâmica, por sua vez, costumam durar mais do que os demais modelos, indo de 20 a 25 anos.

Segundo uma pesquisa feita pela pela Faculdade de Odontologia da USP, as próteses fixas e removíveis tem a duração média de 5 a 7 anos, sendo a fixa de porcelana a de maior durabilidade, indo de 10 a 15 anos.

Qual é o melhor tipo de implante dentário?

Assim como os demais tipos de procedimentos estéticos, o implante dentário busca sanar imperfeições quanto a estética da zona bucal, ao mesmo tempo que busca sanar as dificuldades de cada paciente.

Dessa forma, o melhor modelo de implante dentário vai variar quanto às particularidades do caso, como o estado de saúde e idade, e quanto a percepção de cada dentista, devendo assim, variar de situação a situação. Para essa análise o profissional considera o resultado de radiografias e tomografias.

Logo, é ainda mais importante ter a expectativa alinhada com o profissional para evitar futuros desapontamentos.

No entanto, o implante de titânio é comumente o modelo mais indicado, uma vez que este tipo de material é específico da estrutura óssea, sendo inerente ao osso e permitindo a sua ampla aceitação pelo organismo.

Alguns especialistas  revelam que o material disponibiliza a cerca de 30% a 80% mais de contato entre a peça do implante e do osso, permitindo um tempo de cicatrização mais curto e também um maior tempo de vida do implante dentário.

implante dentário antes e depois

Implante dentário antes e depois

Mesmo que seja um procedimento invasivo, comparando o antes e depois do implante dentário é visível a melhora que o implante realiza na autoimagem e as demais consequências positivas desse efeito. Muito se fala de o sorriso ser o nosso cartão de visitas, e sendo assim, impacta fortemente em nossa imagem e em nossas ações.

Uma vez que estamos confiantes com o nosso sorriso refletimos isto em nossos âmbitos sociais, melhorando além de nosso relacionamento com nós mesmos, o nosso relacionamento com nossos familiares, amigos e colegas de serviço.

Deve-se levar em conta também o forte impacto que a falta de dente, ainda mais quando quantitativa, faz ao sorriso. Mesmo que as pessoas que geralmente sofrem com a perda de dentes em maior quantidade sejam idosos, a preocupação com a aparência e a qualidade de vida persiste por todas as faixas etárias.

Por fim, por meio da restauração estética, há a restauração da mastigação e da fala, fazendo com que a saúde não só bucal e mental, mais geral seja restabelecida da forma mais natural possível.

Por ser capaz de evitar a movimentação dos dentes, o implante proporciona uma melhor abertura e fechamento da boca, prevenindo a incidência de anomalias nas articulações da mandíbula e problemas com a mordida.

implante dentário preço 

Implante dentário preço 

O custo de um implante dentário pode variar de R$ 800 (oito centros reais) a R$ 3.500 (três mil e quinhentos reais) quando confeccionado por materiais nacionais. Por materiais importados, o custo pode ir de R$ 8.000 (oito mil reais) a R$ 16.000 (dezesseis mil reais), variando por meio das particularidades do caso.

Portanto, é preciso ter em mente que o preço pode variar por diversos fatores como o material, a técnica escolhida, o profissional, a clínica e sua localização. Além disso, a quantidade de dentes a ser substituídos vai impactar diretamente no preço do implante.

Para quem busca por um valor mais acessível, vários planos odontológicos oferecem tratamentos de implantodontia em sua cobertura de valor mais em conta.

Quais os benefícios da nanotecnologia para a implantodontia?

A nanotecnologia é uma ciência focada no estudo do manuseamento da matéria de acordo com uma escala atómica e molecular. Seu nome se deve ao fato de lidar com estruturas de cerca de 1 a 1000 nanômetros.

Na odontologia, essa tecnologia é capaz de trazer benefícios na realização de tratamentos de implantodontia. Entre as suas vantagens pode se citar uma cicatrização mais rápida, proporcionando um pós-operatório mais tranquilo.

Na ausência da nanotecnologia o procedimento demorava cerca de 150 dias para finalizar. Por meio dessa inovação, o procedimento demora de 30 a 60 dias.

A partir disso, entre seus demais benefícios estão a diminuição do risco a infecções bacterianas que é maior enquanto a cicatrização não é concluída.

Por meio dessa nova técnica o osso também se integra mais facilmente, o que permite uma maior eficiência da fixação e maior segurança do tratamento.

Com a otimização do procedimento de implante dentário por meio da nanotecnologia o paciente tem mais segurança ao se alimentar, não se preocupando com o desencaixe das peças enquanto mastiga, principalmente alimentos mais consistentes.

Por fim, há a maior duração do procedimento, sendo muito usada na técnica de “carga imediata”

O paciente corre risco de rejeição de implante dentário?

Muitas pessoas temem a rejeição da peça do implante pelo organismo, no entanto, isso não ocorre, já que os materiais são selecionados e aceitos pelo corpo.

Casos de implante dentário que não obtiveram sucesso comumente estão associados a problemas durante a cirurgia e no pós-operatório. No entanto, o material em titânio, por exemplo, é instalado acima da estrutura óssea, fazendo com que ele não seja desprezado pelo corpo.

Assim sendo, procure por um especialista capacitado e siga as suas orientações. Os implantes não levam a complicações no tecido gengival, mas sim a falhas durante o processo.

A grande maioria das inflamações na gengiva por bactérias se remete a falta de uma higiene bucal correta e dos cuidados do dentista pelas visitas à clínica.

Quanto tempo leva para fazer um implante de dente?

Como se trata de um procedimento de tendência cirúrgica, o processo de um implante dentário pode perdurar por 8 meses para assim serem averiguados os seus resultados finais.

No entanto, diante a casos mais complicados, que podem fazer necessário uma abordagem com enxertos ósseos, por exemplo, podem ter a duração de até 2 anos.

Quantos dentes posso implantar de uma só vez?

Os dentes artificiais podem ser feitos de forma individual ou sem ser executado o protocolo de Branemark, em que o dentista realiza a substituição de cada raiz pelos implantes com corte.

Dessa forma, não há delimitação de número de dentes a ser substituídos. Em casos de perda total dos dentes, a realização do protocolo é necessária, tendo uma prótese fixa ao implante.

A reabilitação com prótese fixa seguindo o protocolo Branemark pode ter sua aplicação feita até mesmo em pessoas que perderam os dentes já a um longo período de dente e naquelas que fazem o uso da prótese móvel (dentadura).

Como escolher o melhor profissional para seu implante?

Na hora de escolher o melhor profissional para realização de seu procedimento é essencial que se considere alguns fatores. É importante que se leve em conta a especialização de seu profissional, indicações e histórico de carreira.

Mesmo com todas essas qualidades, é importante que haja confiança entre paciente e profissional, fazendo com que o procedimento seja mais tranquilo e que seja mais fácil alinhar suas expectativas.

Estar seguro quanto ao seu dentista e ao seu dentista é decisivo para o bom resultado de seu tratamento. Tire sempre suas dúvidas, se manter informado sobre o desenrolar de seu tratamento também pode determinar o seu sucesso e satisfação final.

visitas regulares ao dentista

Visitas regulares ao dentista

As visitas periódicas ao consultório odontológico são imprescindíveis para que haja a manutenção da saúde bucal e do bem-estar do paciente.

Em meio ao procedimento, é por meio dessas visitas regulares a clínica odontológica Oraldents que se evita complicações que podem comprometer a satisfação de resultado, as descobrindo em sua fase inicial.

É por meio do contato com um especialista que o processo do implante dentário proporciona mais conforto e bem-estar para o paciente.

Logo, com as visitas regulares ao dentista você consegue não só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!