História do dentista: conheça a importância desse profissional

História do dentista: conheça a importância desse profissional

dentista2

Cuidar dos dentes é fundamental. Afinal, uma saúde bucal comprometida pode afetar seu organismo por completo. Mas você sabe como a profissão responsável por esse cuidado  — amada por muitos e temida por outros — começou?

Neste post, você vai conhecer tudo sobre a história do dentista, como ela começou no Brasil e muitas outras curiosidades.

Descubra, agora, mais sobre esse profissional tão importante para a sua saúde e valorize ainda mais essa atividade.

A importância do dentista para a sua saúde

Uma coisa é certa, ir ao dentista talvez seja um medo comum de muitas pessoas. Só de pensar no barulho do famoso “motorzinho”, várias já desistem da consulta.

Infelizmente, esse receio também faz parte da história do dentista. A parte ruim é que ele pode fazer com que os problemas bucais se tornem maiores sem necessidade. Incômodos que seriam facilmente resolvidos, levam a sérias consequências se não tratados rapidamente.

Vale lembrar que, a grande maioria, procura por esse profissional apenas quando a dor já está presente, ou quando os dentes começam a causar constrangimentos, comprometendo a autoestima.

É importante ressaltar que a visita ao dentista deve ser feita, pelo menos, a cada seis meses, e não apenas quando algo surge. As cáries, por exemplo, nem sempre apresentam sintomas, e quando em estágio avançado, pode levar a outras doenças que afetam até o cérebro e o coração.

Por isso, deixe o temor de lado e lembre-se que o cuidado com a saúde bucal vai além dos dentes. Quando esquecida, ela pode gerar graves consequências e comprometer sua qualidade de vida de modo geral.

História do dentista: conheça a importância desse profissional

Um pouco da história do dentista

Mas como tudo isso começou? A história do dentista não tem uma data definida como seu início. Porém, sabe-se que a preocupação em cuidar dos dentes, assim como de outros pontos da saúde humana, vem de longo tempo.

Um dos primeiros registros encontrados data de 3700 a.C e referem-se a manuscritos egípcios com diversas citações de problemas bucais, entre eles ferimentos nas gengivas e dores de dente.

De 2750 a.C foram encontrados achados arqueológicos que fazem menções a procedimentos cirúrgicos odontológicos. Em uma mandíbula humana encontrada, notou-se duas perfurações em um ponto que indica uma possível drenagem de abscesso dentário.

Já na China, a história do dentista passa por outros achados antropológicos, os quais indicaram que a população da época acreditava que as cáries eram causadas por algum tipo de verme dental, e para eliminá-lo, eles faziam uso de rituais mágico-religiosos.

Com base nesses pequenos relatos é possível ver que mesmo sem conhecimento, medicamentos ou equipamentos necessários, a humanidade já buscava meios de sanar suas dores e problemas dentários.

De modo geral, a melhor forma de contar a história do dentista é dividindo ela em 5 partes. Veja agora quais são:

1ª parte: da pré-história até os anos 30

Com dito anteriormente, não há um registro concreto que marque o início da profissão, mas através de pergaminhos e pedras encontrados ao longo da história da humanidade, foi possível identificar que a civilização já demonstrava certo cuidado e preocupação com os dentes.

Em tempos remotos, eles acreditam que o sol auxiliava na cura de diversas doenças, inclusive infecções dentárias. Essa ideia é confirmada pelos gregos primitivos, que tinham Apolo como deus do sol na mitologia, e Santa Apolônia na igreja católica, como a imagem para a qual se rendia tributos no caso de dores de dente.

Mesmo não tendo um profissional especificamente designado para a função, os cuidados com os dentes, de alguma forma, já estavam presentes entre as nações.

2ª parte: a história do dentista na Idade Média

A partir dessa época, já se tem registros da história do dentista propriamente dita, sendo o termo “dentista” utilizado pela primeira em 1363, pelo então cirurgião-dentista Guy de Chauliac, de Avignon, no sul da França.

Também nesse período, as pessoas passaram a ser orientadas a procurar esses profissionais para arrancarem os dentes que estavam apresentando problemas. Além disso, também passou a ser adota a “ligadura intermaxilar” em fraturas, indicando um sutil avanço nos conhecimentos técnicos da atividade.

Por outro lado, até 1700, os dentistas exerciam suas funções em praças de mercados, atendendo a céu aberto e na presença de inúmeros curiosos, todos que procuravam por sua ajuda.

História do dentista: conheça a importância desse profissional

3ª parte: a inclusão do gesso e das próteses — de 1728 a 1871

A primeira publicação na história do dentista referente às próteses dentárias e foi feita em 1746, por Claude Mouton, mostrando uma grande evolução da profissão nessa época.

Em 1756, Philip Pfaff lançou o primeiro livro sobre odontologia. Nele, era possível aprender como confeccionar os modelos feitos de gesso, bem como a produção de outros tipos de próteses e, também, sobre o capeamento pulpar — que consiste na aplicação de medicamentos direto na polpa exposta do dente, com a finalidade de tentar preservá-lo.

4ª parte: as cadeiras de dentista — de 1871 a 1956

Com o avanço da profissão, sentiu-se a necessidade do desenvolvimento de equipamentos, ferramentas e aparelhos para ajudassem nos atendimentos.

Assim, em 1871, a primeira cadeira odontológica foi fabricada, mas como era feita de metal, em 1892 foi substituída por um modelo inovador para a época, que permitia variados movimentos (que antes eram feitos com auxílio de manivelas), por alavancas.

Mas um pouco antes disso, em 1872, foi colocado no mercado pela S.S. White Company, o primeiro motor elétrico, tal como o citado no início deste post. A invenção de Geoge Green abriu os caminhos para um grande avanço da profissão em diversos países.

Já em 1882, o sugador de saliva passou a fazer parte da história do dentista, sendo utilizado até hoje.

5ª parte: sobre as especialidades — de 1956 a 2000

Nesse período, a profissão de dentista já contava com inúmeros progressos, bem diferente da época em que os primeiros passos foram dados. Diversos outros equipamentos foram desenvolvidas, tal como a primeira peça de mão a ar em 1957, também pela S.S White Company, trazendo ainda mais potência e funcionalidade aos instrumentos.

A parte “estética” dos consultórios começaram a ganhar ênfase a partir de 1960, com algumas modificações nas cadeiras odontológicas, e nos anos 70 com a chegada do design americano aos consultórios.

Mas desde o início da história do dentista, as principais funções dessa profissão era diagnosticar, tratar e curar as enfermidades bucais. O termo “arte de curar”, tão usado para a medicina, passou a também refletir a característica de cura dos dentistas.

Dessa forma, a odontologia tornou-se curativa e reparadora. Com o tempo, notou-se também que a prevenção fazia parte do seu conceito, tanto que, atualmente, é orientado a todas as pessoas que não procurem por esses profissionais apenas quando um problema já está instalado.

As visitas regulares ao dentista colaboram para que você não passe por problemas maiores. A placa bacteriana, por exemplo, não é visível a olho nu e não pode ser removida em casa.

Visto que ela é uma das principais causas de cárie e doenças periodontais, a consulta com um profissional é imprescindível para a remoção correta e total. Somente dessa forma você garante que a saúde da sua boca esteja em dia.

As atuais especialidades

Esse conceito de prevenção, tratamento e cura, também contribui para as diversas especializações que conhecemos hoje. Assim, um profissional da odontologia pode se tornar um clínico geral da área, ou optar por uma especialidade, como:

  • Cirurgião-dentista: como o próprio nome sugere, é o profissional especialista em cirurgias dentárias;
  • Endodontista: especialista no tratamento da polpa e da raiz dos dentes;
  • Implantodontia: realiza implantes de próteses dentárias;
  • Estética: o uso de tecnologias que buscam a harmonização do rosto, que vão do alinhamento dos dentes à redução das bochechas;
  • Periodontista: efetua o tratamento de doenças da gengiva e ossos da região da boca;
  • Ortodontista: profissional que realiza alterações estéticas, na posição dos dentes e da mordedura por meio de aparelhos ortodônticos;
  • Odontopediatria: tem como foco o tratamento da saúde bucal de crianças;
  • Traumatologia e cirurgia buco-maxilo-facial: profissional especialista no diagnóstico e tratamento de doenças, lesões e traumas na face, maxilar e boca.

História do dentista: conheça a importância desse profissional

A história do dentista no Brasil

Até este momento, falamos sobre a história do dentista de maneira geral. Que tal descobrir agora como ela começou aqui no Brasil?

Segundo nos conta a história, os índios, primeiros habitantes do nosso país, possuíam boa saúde bucal. De modo geral, tinham poucas cáries, mas certo desgaste nos dentes, possivelmente provocado pelo consumo de alimentos muito duros.

Quando eles tinham algum problema de cavidade dentária, utilizavam resina de jatobá aquecida. Ela servia para cauterizar a polpa do dente e funcionava como uma espécie de obturação. Essa prática foi observada nos índios da tribo Kuikuro, que ficava no norte do Mato Grosso.

Como a odontologia chegou ao Brasil

Junto com a descoberta do país, em 1500, os primeiros “barbeiros” chegaram para tratar os dentes da população da época.

Sim, você leu certo: barbeiros! Eles são personagens importantes na história do dentista. Esses homens, pouco instruídos e, muitas vezes, rudes, exerciam a profissão em barbearias, nas ruas, ou até nas residências.

Somente em novembro de 1629 a profissão foi regularizada. Dali em diante, os barbeiros precisaram passar por testes que mostravam suas reais habilidades para trabalharem com o cuidado dos dentes.

Após Dom João VII se instalar com a família real no nosso país, ele nomeou o cirurgião-mor do exército, José Correia Picanço, como responsável pela profissão de dentista e outras como os sangradores (nome dado aos médicos-cirurgiões da época) e parteiras.

Com isso, é possível constatar quanto a odontologia evoluiu desde a sua chegada aqui. Olhe só mais alguns fatos interessantes e muito importantes da história do dentista no Brasil:

  • o francês Eugênio Frederico Guertin chegou ao Brasil em 1820 para exercer a função de dentista, e foi autor do primeiro livro em nosso país, “Avisos tendentes à conservação dos dentes e sua substituição”;
  • a chegada de Guertin abriu precedente para a vinda de outros profissionais franceses, que traziam em sua bagagem o que havia de melhor na odontologia mundial da época;
  • em 1840, dentistas dos Estados Unidos vieram para o Brasil e, aos poucos, tomaram o espaço dos franceses.

Os primeiros cursos de odontologia no país

O dia do dentista é comemorado em 25 de outubro, e ficou marcado no história do dentista porque, nessa mesma data, mas em 1840, foi criado o primeiro curso de odontologia do Brasil. Com duração de três anos, ele era ligado à faculdade de medicina do Rio de Janeiro e ao término o aluno recebia o título de cirurgião-dentista.

Somente em 1911 ele foi separado da medicina, por conta de um decreto do então presidente Epitácio Pessoa, mas manteve a duração anterior. Já em 1947, a faculdade de odontologia passou a ter quatro anos de duração, e a primeira turma formada nesse novo formato em 1951.

História do dentista: conheça a importância desse profissional

O aumento do cuidado com a saúde bucal

Hoje em dia, as pessoas têm muito mais consciência da necessidade de cuidar da saúde como um todo. As novas tecnologias e os tratamentos cada vez mais acessíveis, permitem cuidados que vão desde a parte estética, até o tratamento e a cura de inúmeras doenças.

Na odontologia isso não é diferente. A cada dia novas técnicas são descobertas e aperfeiçoadas, mudando a história do dentista para melhor, permitindo que você tenha mais possibilidades e meios de cuidar da sua boca de maneira geral.

Para se ter uma ideia de como a procura por tratamentos odontológicos aumentou, segundo a Sociedade Brasileira de Odontologia e Estética (SBOE), só nos últimos três anos houve um crescimento de 300% nessa área.

A busca por um sorriso bonito está diretamente ligado à autoestima. Afinal, quem não quer sorrir sem preocupações quanto a aparência dos dentes?

Quando algum problema afeta esse ponto da vida de uma pessoa, ele pode ser o gatilho para questões ainda maiores. Relacionamentos pessoais e até profissionais, são alguns dos campos afetados que comprometem a rotina de qualquer um.

Por conta disso, clareamentos, facetas de porcelana, lentes de contato, implantes, gengivoplastia e bichectomia estão entre os tratamentos estéticos mais procurados.

Porque ir além da estética

Mas vale lembrar que, nem sempre, dentes bonitos são dentes saudáveis. Por mais que a beleza dessa região possa afetar — e muito — a sua vida, é preciso considerar que problemas bucais podem causar fortes dores ou, ainda pior, doenças além da boca que afetam outros órgãos do seu corpo.

Como foi dito anteriormente, é comum as pessoas procurarem por um dentista somente quando sentem algum incômodo. As visitas a esse profissional devem ser periódicas, principalmente porque muitas doenças da boca não são visíveis ou não apresentam qualquer sintoma.

As pessoas mais velhas costumam falar que “a saúde começa pela boca”. E eles estão corretos! Seja pela alimentação, seja pelo cuidado com os dentes, muitas patologias podem ser evitadas se você cuidar melhor dessa área.

Quer alguns exemplos de como negligenciar a saúde bucal pode levar a sérias consequências? As bactérias que causam a gengivite, por exemplo, conseguem facilmente entrar na sua corrente sanguínea. Com isso, elas podem atingir seu coração e desencadear diversas complicações.

A cárie pode ter ligação direta com lesões musculares, além de causar mau hálito e outras sequelas. Já os problemas nas gengivas podem levar mulheres grávidas a terem partos prematuros.

Lembrando também que, a má higienização e o não tratamento correto dos problemas bucais, podem levar até a doenças graves como o câncer de boca.

Ou seja, o cuidado com a boca, dentes, língua e gengiva deve ir muito além da parte estética. Estar com o sorriso bonito é muito importante, mas antes disso, é preciso que sua saúde esteja bem cuidada.

Cuidados básicos para uma saúde bucal melhor

Para evitar esses problemas, além das visitas regulares ao dentista, há cuidados que você pode realizar diariamente e, assim, manter uma rotina de higiene bucal adequada . Veja os principais:

  • escove os dentes regularmente, os menos três vezes ao dia;
  • use fio dental em todas as escovações;
  • troque a escova periodicamente;
  • tenha sempre um kit bucal com você, especialmente se passa muitas horas longe de casa;
  • alimente-se adequadamente evitando, especialmente, produtos muito açucarados;
  • use antisséptico bucal, mas evite seu excesso.

História do dentista: conheça a importância desse profissional

Curiosidades sobre a profissão de dentista

Agora que você descobriu um pouco mais sobre a história do dentista, a importância dessa profissão e como o cuidado com a sua boca é fundamental para a sua saúde, que tal mais uma curiosidade?

Entre os receios de ir a uma consulta é o de sentir dor. Certamente, na época que a profissão começou a ser exercida isso era bem comum. Mas se hoje você não passa mais por isso, é graças aos dentistas norte-americanos Horace Wells e William Thomas Green Morton.

Em dezembro de 1844, Wells sentou-se na cadeira do seu próprio consultório e pediu para que um colega extraísse seu dente do siso. Graças ao óxido nitroso que ele havia inalado como anestésico — também conhecido como gás hilariante por causar euforia e sensação de bem-estar — ele não sentiu dor alguma.

Já Green Morton se tornou conhecido em 1846, ao utilizar éter como anestésico em uma importante cirurgia de pescoço. A partir desse dia, o dentista tomou como sua a invenção da anestesia geral.

Ah! E uma curiosidade extra sobre a história do dentista: as primeiras dentaduras eram feitas com dentes humanos, geralmente comprados de pessoas mais pobres. Somente em 1770, a primeira dentadura de porcelana foi feita pelo farmacêutico francês Alexis Duchâteau e aprimorada no século XIX por Claudius Ash nos Estados Unidos.

Por sorte, hoje, vivemos em uma época de inúmeras descobertas e tecnologia a nosso favor. Assim, a história do dentista fica como uma maneira de conhecermos um pouco mais dessa profissão tão importante para a nossa vida.

De tudo que foi descrito aqui, para você, qual ponto foi mais interessante e lhe chamou mais a atenção? Conte para nós nos comentários!

dentista

Leave a Comment

(0 Comments)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!