O Que Você Procura ?

fluorose

Fluorose: como prevenir e como tratar?

dentista2

Fluorose é um problema que afeta não só a estética da dentição, mas também o esqueleto do corpo, tendo como causa a super exposição ao flúor.

Quando dental, ocorre principalmente em bebês e crianças, mas também é capaz de comprometer o sorriso dos adultos. Sua principal característica é a formação de manchas brancas nos dentes, o que pode influenciar na baixa autoestima e na falta de confiança em sorrir.

Essa complicação está diretamente ligada à ingestão e ao uso exagerado de flúor, e dessa forma, da má administração da higiene bucal.

Conheça mais sobre esse dano e saiba como reconhecer e reverter a situação. Boa leitura!

O que é fluorose?

O flúor é um mineral de muitos benefícios, como a prevenção e eliminação de bactérias nocivas na boca e no organismo. Ainda no organismo colabora retendo componentes vitais e prevenindo a incidência de uma série de doenças.

Logo, além de promover a saúde bucal, o flúor também colabora com a saúde de todo o corpo.

No entanto, o flúor, quando em grande quantidade, pode parar de ser vantajoso e ser nocivo para o corpo e também para a arcada dentária. E eventualmente, surgem a fluorose óssea e a fluorose dentária.

Fluorose óssea

A fluorose óssea, conhecida também como osteofluorose, se trata de uma desordem óssea causada pela ingestão excessiva de flúor.

Na maioria dos casos, ela ocorre pela respiração de resíduos de poeira, pelo grande consumo de água fluoretada, e pelo consumo demasiado de flúor pela alimentação ou higiene bucal indevidamente.

Neste caso, a identificação do problema e o diagnóstico leva em conta a condição e o histórico clínico, necessitando de exames como radiografia e tomografia.

dentista1

O tratamento é condicional a gravidade do quadro e contém o uso de complexos vitamínicos, de antiálgico e a retirada de parte do flúor do organismo.

Fluorose dentária

Fluorose dentária ou fluorose dental se trata das alterações pelo contato em excesso do flúor com o esmalte dos dentes. Por conseguinte, essas alterações se mostram por dentes manchados com pontos brancos, ou marrons, e opacos, que possuem um forte impacto estético.

As manchas, por sua vez, podem possuir proporções diversas e nos casos mais graves, podem comprometer a coloração de toda a arcada dentária. Desse modo, pode afetar toda a dentição.

Ademais, como dito, a fluorose dentária ocorre principalmente em crianças, e nesse caso se trata de uma patologia que é acompanha a formação das estruturas dentárias (amelogénese). A percepção ocorre logo na formação dos primeiros dentes, seja de leite ou definitivos.

A fluorose dentária pode ser advinda do consumo de água com flúor em grande quantidade, pelo consumo de alimentos industrializados com flúor e também através de medicamentos com esse mesmo componente. Uso irregular desse mineral em tratamentos odontológicos também é uma das motivações.

fluorose infantil
Família realizando a escovação junta.

Fluorose infantil

A fluorose, quando infantil, se manifesta por manchas e defeitos anatómicos, que podem ou não serem detectados simultaneamente. Caso não tratada desde o seu início, esse estado pode evoluir com o tempo e acompanhar a criança até a fase adulta.

Tendo em vista que surgem durante o desenvolvimento da estrutura dentária, sem o tratamento e ainda na infância, as alterações continuam sendo perceptíveis. Posteriormente, podem levar a danos à autoestima e danificar o seu desenvolvimento emocional.

Com efeito, dentre as causas principais da fluorose infantil está a ingestão de flúor imprópria nas primeiras escovações, já que a criança ainda não sabe discernir as propriedades do mineral e ainda não sabe realizar uma higiene bucal precisa sozinha.

Logo, é fundamental que haja o acompanhamento dos pais durante a higienização bucal, mostrando as técnicas, sendo exemplo, e alertando quanto o efeito negativo de engolir o flúor no creme dental ou no enxaguante bucal.

Vale ressaltar que o kit de higiene bucal da criança deve conter somente produtos específicos a faixa etária que possuem o mineral em menor quantidade. Do mesmo modo, ressaltar a importância de lavar a boca após a escovação também é necessário.

Fluorose tratamento

O tratamento da fluorose dental visa diminuir o impacto do problema, procurando extinguir as manchas da dentição. O tratamento ideal, por sua vez, tem sua definição após o diagnóstico, em que o dentista se baseia na faixa etária e no grau da doença do paciente.

Dentre os tratamentos que o dentista pode indicar está a microabrasão, uma técnica pouco invasiva na qual o odontologista corrói a superfície dos dentes e remove somente a parte afetada pelas manchas.

Procedimentos adicionais, como o clareamento dental, podem ser realizados para otimizar o efeito estético do procedimento. Desse modo, traz o branqueamento natural aos dentes e um sorriso mais harmônico. Nesse caso, o clareamento é feito com o auxílio de agentes químicos.

Contudo, sozinho o clareamento apenas diminui o impacto estético e, comumente, requer outras soluções.

Fluorose severa

Em casos mais severos, não se recomenda o tratamento pelos procedimentos acima. Logo, há a indicação de outros como a implantação de próteses dentárias fixas, de coroas dentárias ou facetas de porcelana, devolvendo uma melhor aparência.

De fato, esses procedimentos são eficientes, porém mais invasivos, desgastando a estrutura dentária em maiores proporções.

Uma vez que as manchas não são tão aparentes, a intervenção não é necessária, somente se o paciente buscar um sorriso mais homogêneo.

O tratamento é de suma importância, já que a fluorose faz com que o esmalte do dente fique hipomineralizado, com característica porosa e frágil. Com isso, pode levar sensibilidade, a desgastes e até mesmo a perda de parte da arcada.

Assim, a fluorose não apresenta cura e o seu tratamento vai depender do grau de gravidade e da avaliação e indicação do médico dentista.

Prevenção à Fluorose dental

Apesar de possuir alternativas de tratamento, a prevenção é ainda mais eficiente. A ação preventiva desde cedo, evita experiências com procedimentos invasivos na infância, além de impedir situações desagradáveis que ocorrem com o surgimento e aumento das marcas.

Então, para evitar a incidência desta problemática os principais cuidados se resumem no controle do uso e da ingestão de flúor, aderir uma dieta mais saudável e no caso das crianças, oferecer suporte e preferir a compra de produtos específicos.

A fluorose não é contagiosa e não pode ser passada por contato e pelo compartilhamento de objetos. Ao sinal de manchas brancas, vá ao odontologista, esse indício pode indicar outras complicações como tártaro, cárie e algum trauma.

Cuidados com a higiene bucal

Por fim, o ideal é que no início da rotina de higiene bucal, o bebê use pasta sem flúor e que a escolha da pasta seja feita por indicação do dentista, também no passar para a com flúor.

A quantidade recomendada pelo Ministério da Saúde é que a pasta de dente na escova se assemelhe a um grão de arroz cru no caso de crianças abaixo de 3 anos, e a uma ervilha para a faixa etária de 3 anos acima.

O acompanhamento na hora da escovação deve acontecer até os 6 anos de idade, observando os bons hábitos e seus resultados.

Em suma, é importante não deixar de lado o flúor na higiene bucal, já que é essencial para a proteção dentária. A falta de flúor pode acarretar na incidência de cárie e demais complicações.

A fim de ter uma higiene bucal completa, além da escovação com creme dental com flúor, faça o uso do fio dental e do enxaguante bucal, também com flúor, além de visitar o seu dentista regularmente.

Garanta mais saúde e qualidade para seu sorriso agendando em uma de nossas clínicas odontológicas OralDents.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!