O Que Você Procura ?

ferida na língua

Ferida na língua: o que pode ser e quais as formas de tratar

dentista2

Uma ferida na língua pode trazer uma série de prejuízos à saúde bucal, proporcionando desconforto e podendo ser a raiz de outros problemas.

Saiba aqui quais são as principais causas da ferida na língua e qual a forma certa de seu tratamento:

Ferida na língua, o que pode ser?

O aparecimento de feridas na língua, assim como em outras regiões da boca, na maioria das vezes está associado a maus hábitos da rotina, como vícios, má alimentação e má higiene bucal.

Além das alterações perceptíveis acima de seu tecido conjuntivo, normalmente esses ferimentos são acompanhados de desconforto, dores e mal-estar, que comprometem na realização das funções bucais, como fala, mastigação e deglutição.

Tendo em vista que a língua possui um importante papel para paladar, uma vez que sua extensão está lesionada, a percepção do sabor também pode ser comprometida, o que também é um de seus fatores negativos.

São várias as doenças que podem comprometer a língua, sendo a maioria de desenvolvimento em seus próprios músculos. No entanto, vale se atentar a doenças como gastrite, diabetes, anemias e febre, que também podem incitar nessas mutações.

estomatite aftosa ou afta

Doenças causadas por ferida na língua

Existem algumas doenças mais comuns causadas por ferida na língua, com isso devemos ficar atentos a cada sinal para que posso ser tratada o mais breve possível, acompanhe as principais.

Estomatite aftosa ou afta

A estomatite aftosa, mais conhecida como afta, é o principal caso associado ao aparecimento de feridas na língua. Pode afetar não só a língua, mas todo o tecido da mucosa da boca.

dentista1

A afta pode ser identificada pelo aparecimento de “bolinhas” avantajadas, esbranquiçadas ou amareladas com bordas vermelhas, que podem causar desde dores agudas a mais intensas, dependendo do caso. Mesmo que as fortes dores possam gerar preocupação, não se trata de uma doença contagiosa.

Por está presente na maioria dos casos, a estomatite aftosa possui uma série de possíveis motivações, entre elas:

  • Machucados decorrentes do uso de aparelho ortodôntico;
  • Machucados causados durante uma escovação incorreta;
  • Lesões por choques ou quedas;
  • Sensibilidade pelo consumo em excesso de alimentos muito ácidos ou condimentados;
  • Mudança no pH da boca causada pela má digestão;
  • Estresse;
  • Alterações hormonais;
  • Falta de vitaminas e minerais como B12 e zinco;
  • Doenças autoimunes.

As aftas geralmente prevalecem de 7 ou 10 dias, desaparecendo sem deixar marcas. 

Em caso de afta, entre as formas de tratamento estão medidas que buscam aliviar o desconforto, como a aplicação de compressa de gelo acima da lesão para fins anestésicos, bochechos com enxaguante bucal sem álcool para controle de microrganismos, além de uma medicação por antibióticos e anti-inflamatórios prescrita pelo dentista.

Candidíase oral ou sapinho

A candidíase oral, popularmente chamada de sapinho quando encontrada em crianças, é comumente identificada pelo aparecimento de placas brancas sobre o tecido da língua e ao redor da zona interna da boca.

Entre os demais sintomas dessa doença estão:

  • Sensação de ardência na boca;
  • Rachaduras na língua;
  • Vermelhidão;
  • Dificuldade ao engolir;
  • Sabor desagradável;
  • Dor de garganta.

A candidíase é uma doença causada pela infecção por um fungo chamado Candida albicans, podendo surgir diante de fatores de risco como ausência de higiene bucal adequada, fumo, e o uso de medicamentos que propiciem a ação dos fungos, como certos antibióticos, isso pela debilidade causada ao sistema imunológico.

Uma vez que o sistema imune está baixo, como em pessoas imunodeprimidas (que possam estar sofrendo por AIDS, HIV ou algum tipo de câncer), bebês ou idosos.

Nesses casos o tratamento ficará por conta de medicamentos antifúngicos (seja por líquido, gel ou creme), que podem controlar o problema em semanas. A medicação deve ser prescrita e acompanhada pelo clínico geral. 

Outras medidas que podem acelerar o tratamento estão o bochecho com soluções de nistatina e a utilização de produtos odontológicos à base de substâncias desinfetantes, como clorexidina, já que colabora na eliminação do fungo e na diminuição do estado inflamatório.

Caso a causa principal do sapinho seja a medicação por certos tipos de remédios, o médico da receita deve ser consultado para que a dosagem e o medicamento sejam revisados e trocados.

Herpes labial 

O herpes na língua, também chamada como estomatite herpética, tem como causa o vírus herpes simples 1 (HSV-1), que além de motivar o herpes labial está por trás de infecções bucais e peribucais.

A herpes pode ser identificada pelo aparecimento de bolhas, machucados e placas ao redor dos lábios, ou também nas proximidades do nariz ou queixo. No entanto, entre os demais sintomas da complicação estão o surgimento de úlceras na língua, na boca e o inchaço dos lábios.

Ao contrário da candidíase oral, a herpes labial pode contaminar outros locais, uma vez que as bolhas da herpes labial podem vir a estourar, requerendo alguns cuidados extras do paciente.

Quando diagnosticada, a herpes não possui cura e deve ser tratada pelo uso tópico de pomadas antivirais, medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e antitérmicos, indicados pelo profissional da saúde em questão.

Câncer bucal

O câncer bucal também pode ter alterações na língua como sintomas. É importante que seja diagnosticado em sua fase inicial, uma vez que pode evoluir para outras partes do organismo.

Entre os sintomas detectáveis estão lesões e feridas na boca que não desaparecem, aparecimento de caroços ou edemas na bochecha, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas, dor sem causa aparente, alteração na voz, ausência de sensibilidade, dormência, dificuldade na mastigação e ao engolir alimentos.

Vale ressaltar que o câncer bucal pode ser fatal e é comumente identificado em homens com mais de 40 anos, tendo o fumo e a ingestão excessiva de álcool como fatores de risco.

É importante que diante dos primeiros sinais o dentista seja imediatamente contatado, para que você possa ser encaminhado para o tratamento ideal enquanto antes.

Após feito o diagnóstico, o tratamento será multidisciplinar e contará com o trabalho de um cirurgião dentista para um processo cirúrgico e sessões de radioterapia e quimioterapia.

Em meio ao tratamento é necessário manter a saúde bucal, mantendo uma higiene bucal adequada e evitando a ingestão de alimentos secos e ásperos, de bebidas alcoólicas e evitando fumar.

Língua geográfica

Língua geográfica ou glossite migratória benigna se trata de um estado que acontece quando a parte que sobrepõe a língua desenvolve marcas e feridas bem delimitadas, realçadas, ásperas e com a presença de bordas brancas, que em conjunto se assemelha a um mapa geográfico na língua. Essas alterações chamadas de papilas filiformes acabam por desaparecer com o tempo.

Os sinais característicos podem variar de tamanho, podendo causar dores, irritação, ardência. Podem ainda durar por apenas algumas horas ou ficaram por semanas.

Entre as possíveis causas da língua geográfica estão distúrbios hormonais, diabetes desmedido, reações alérgicas, fissuras na língua e até mesmo o aparecimento de fatores hereditários.

Em casos mais graves, é necessário evitar bebidas alcoólicas e alimentos condimentados, ao menos até as marcas desaparecerem.

Para evitar esse problema e buscando controlar as feridas, é essencial que a saúde bucal seja mantida de forma eficiente e completa, contando com a escovação correta, com a passagem do fio dental e o bochecho com o enxaguante bucal.

Uma vez que não descarrega em outros problemas bucais, o tratamento busca o controle dos sintomas, e pode ser feito pelo uso de sprays analgésicos além das restrições na alimentação. Se certifique de voltar ao seu dentista caso a lesão não desapareça entre um período de 10 dias.

Em caso da presença de ardência e desconforto, o dentista pode prescrever alguns medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, além de indicar algumas pomadas anestésicas e um enxaguante bucal específico. Diante da ineficiência dos analgésicos, o odontologista pode indicar o uso de remédios corticoides. 

As restrições alimentares podem evitar o aparecimento e o agravamento dessa complicação. Logo, é importante evitar alimentos muito quentes, picantes, salgados e condimentados, já que podem lesionar o tecido da língua. Hábitos como fumar, escovar dentes com químicos, também devem ser colocados de lado.

leucoplasia

Leucoplasia

A leucoplasia oral é um problema bucal caracterizado pelo aparecimento de pequenas placas brancas na língua, ou ainda no interior das bochechas e gengivas. Normalmente essas lesões são indolores, mas proporcionam um forte incômodo por coceira ou queimação. 

Entre as suas principais motivações estão má higiene bucal, carência de vitaminas, infecção pelo vírus HIV, tabagismo e ingestão de bebidas alcoólicas ou de outras substâncias irritantes. O perfil mais afetado pela leucoplasia é homens de 40 e 60 anos de idade.

As feridas na língua causadas pela leucoplasia não saem pela escovação ou raspagem, mas tendem a desaparecer sem precisar de tratamento. Contudo, deve-se ter atenção já que as alterações podem sinalizar o enfraquecimento do sistema imune e a evolução de alguma doença autoimune. Entre suas consequências raras está a incidência do câncer bucal.

O tratamento da leucoplasia pode ser feito pela remoção de sua causa principal. Em meio a suspeita de câncer bucal será recomendada a remoção das manchas e células comprometidas por um processo cirúrgico ou de crioterapia. O médico pode receitar ainda a medicação por remédios antivirais.

Diante da motivação por maus hábitos e vícios, eles devem ser evitados, sendo preferível a sua abstinência. 

A leucoplasia também pode ser causada por dentes quebrados e coroas e dentaduras mal adaptadas, sendo preferível a reparação no consultório odontológico.

visitas regulares ao dentista

Visitas regulares ao dentista

É importante que as visitas ao dentista sejam feitas regularmente para que se previna esse tipo de complicação e para que o tratamento seja feito de forma precoce.

Pela periodicidade aos cuidados de consultório, as feridas e manchas na língua são controladas e analisadas, considerando sua frequência ou se há suspeita de câncer.

Por fim, é pelo contato com o dentista que são passadas as orientações quanto aos bons hábitos da rotina e as recomendações de cada caso.

Não hesite em contatar o seu dentista em caso de alguma alteração na língua e sintoma suspeito.

Logo, a visita a uma clínica odontológica OralDents visa não só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!