O Que Você Procura ?

como acabar com mau hálito

Como acabar com mau hálito: 9 melhores formas de combatê-lo

dentista2

Como acabar com mau hálito? O mau hálito, também chamado de halitose, é um problema que pode proporcionar mal-estar e desconforto no dia-a-dia.

Veja as 9 formas de como acabar com o mau hálito e recuperar a sua confiança.

Como acabar com mau hálito?

O mau hálito é um dos principais sintomas de problemas bucais, no entanto, também pode ter uma causa extra bucal. No entanto, a principal motivação para o problema ainda está na saúde bucal, sendo uma consequência da má higiene bucal e de outros maus hábitos.

Com a falta de uma higiene bucal adequada, a boca está sujeita a proliferação de bactérias e a formação do biofilme dental, ou seja, placa bacteriana.

O biofilme, por sua vez, se trata de uma película transparente e grudenta formada acima do esmalte dentário. Essa película, formada por restos de alimentos, bactérias e outros microrganismos, é deixada por maus hábitos e causa o mau hálito.

Isso graças às bactérias que em sua ação com os restos de alimentos, liberam enxofre e gases que possuem um cheiro forte e bem desagradável.

Logo, para evitar e tratar esse mal, algumas medidas e boas práticas podem ser adotadas no cotidiano, confira quais são elas:

escovação adequada

1. Escovação adequada

Manter uma escovação adequada é um dos primeiros cuidados a se tomar para que haja a limpeza eficiente da boca e o controle de bactérias.

dentista1

Para que a escovação seja feita com eficácia é necessário que se atente primeiramente aos instrumentos. A escolha da escova é definitiva para a limpeza profunda da zona bucal, sendo indicado uma escova de cerdas macias, cabo alongado e cabeça pequena.

Além disso, é importante se atentar às boas técnicas, procurando sempre fazer movimentos da gengiva para fora, com a escova em um ângulo de 45º graus. Procure revezar entre movimentos circulares e de varredura, não esquecendo de realizar a limpeza das mucosas e da língua.

2. Não esqueça de escovar a língua

Vale a pena destacar essa importância, já que muitas pessoas não valorizam esse hábito. Assim como a arcada dentária, a língua também é uma vítima do acúmulo de bactérias, possibilitando a formação da chamada saburra lingual.

A saburra lingual, também chamada de língua branca ou língua saburrosa, também é uma consequência da má escovação formada por células mortas, bactérias, muco de saliva e resíduos de alimentos. Assim, pode ser identificada por uma placa esbranquiçada acima da língua, que causa a halitose.

Para que haja a remoção da placa bacteriana, a limpeza pode ser feita pela própria escova, por meio de movimentos de varredura, de vai e vem.

Existem ainda os chamados limpadores de língua, ou raspadores de língua, que podem proporcionar uma limpeza ainda mais eficiente. Não se esqueça de realizar a limpeza da parte posterior da língua, que assim como as áreas ao redor da linha da gengiva, são suscetíveis ao acúmulo de bactérias.

3. Creme dental ideal

Assim como a escolha da escova de dentes é importante para o combate ao mau hálito, a escolha da creme dental ideal possui um papel decisivo.

O indicado é que o creme dental seja antibacteriano e possua de 1.000 a 1.500 ppm, fortalecendo os dentes e facilitando a limpeza da placa bacteriana.

Além disso, através das propriedades do produto, a pasta de dente é capaz de promover uma refrescância ao hálito, que pode ser reafirmada com o bochecho com enxaguante bucal, também com flúor.

passagem do fio dental

4. Passagem do fio dental

As áreas entre os dentes não são capazes de serem atingidas pela escovação, sendo assim deixadas à mercê do acúmulo de placas bacterianas.

Dessa forma, é essencial que assim como a escovação ocorra regularmente, a passagem do fio dental seja diária. Tenha em mente que a limpeza da zona bucal só estará completa com esse passo.

Para pessoas que estejam passando por algum tratamento ortodôntico, o ideal é que haja a adoção de instrumentos específicos como o passa fio ou a escova interdental.

5. Bochecho com enxaguante bucal

O bochecho com o enxaguante bucal, assim como a passagem do fio dental, é um bom hábito essencial e deve ser feito diariamente.

O antisséptico bucal é a finalização de uma boa higiene bucal, atuando removendo as bactérias e resíduos deixados pelas demais etapas. Além disso, como dito, o enxaguante é capaz de proporcionar refrescância ao hálito, acabando com a halitose.

Vale ressaltar que para obter esse efeito o bochecho deve durar pelo menos 30 segundos.

6. Receitas caseiras

Além dos bons hábitos de higienização, algumas receitas caseiras possuem propriedades antibacterianas, podendo também proporcionar refrescância ao hálito.

Entre essas receitas pode-se citar.

  • Extrato de própolis;
  • Chá de hortelã;
  • Chá de cravo-da-índia;
  • Infusão de eucalipto;
  • Chá de extrato de hamamélis;
  • Chá de erva-doce;
  • Chá verde;
  • Chá de alcaçuz.

O mau hálito pode possuir outras causas além de problemas bucais, como a placa bacteriana, cáries e gengivite. Entre essas causas extrabucais estão a dor de garganta, sinusite e problemas no estômago. Diante de uma dessas causas, a abordagem por algumas dessas receitas podem ser bem aceitas, sendo um complemento a seu tratamento específico.

7. Alimentação adequada

Ter uma alimentação adequada também pode ajudar a combater o mau hálito.

Entre os principais cuidados a ter com a dieta é evitar alguns alimentos característicos, como:

  • Alho;
  • Cebola crua;
  • Atum enlatado;
  • Rábano;
  • Laticínios.

Evitar alimentos muito pigmentados, grudentos e açucarados também podem ajudar no combate, já que não são removidos facilmente pela escovação. Evitar fumar e ingerir bebidas alcoólicas estão entre os maus hábitos.

Existem ainda alimentos que ajudam na limpeza do dente, os chamados alimentos detergentes, tal como maçã, kiwi, melancia, cenoura e pepino, esses podendo complementar o espaço na dieta. Frutas congeladas são outra dica contra o mau hálito.

Além disso, é importante evitar ficar mais de 3 horas sem comer, uma vez que quando o estômago fica vazio por muito tempo, há o aumento da produção de ácidos estomacais e gases, que podem comprometer o hálito.

8. Boa hidratação

Manter-se sempre hidratado é outro segredo para um bom hálito. Isso se deve ao fato de uma boa hidratação favorecer a salivação da boca. Ao manter a boca sempre úmida, a salivação também favorece um hálito fresco, já que diminui o pH ácido da zona bucal, que deixa o ambiente propício ao desenvolvimento de microrganismos.

A ingestão de água indicada por dia varia por peso, no entanto, especialistas indicam um consumo médio de 2 litros de água para a manutenção da saúde geral e também bucal.

visitas regulares ao dentista

9. Visitas regulares ao dentista

É pelas visitas regulares ao dentista que é possível identificar e tratar o problema com mais eficiência.

Além disso, em caso de tártaro, cáries e doenças periodontais, é somente em consultório odontológico que se é possível tratar essas e outras causas.

É por meio das visitas regulares ao dentista que procedimentos como a profilaxia (limpeza profissional) podem ser feitos, mantendo a zona bucal limpa e livre de complicações.

Por fim, pela avaliação do dentista podem ser feitas observações e indicações para que o mau hálito não venha ser mais um problema.

Logo, a visita a uma clínica odontológica OralDents visa não só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!