O Que Você Procura ?

candidiase bucal

Candidíase oral: saiba seus sintomas, fatores de risco e como tratar

dentista2

Candidíase se trata de uma infecção conhecida por afetar os órgãos genitais, no entanto, pode também afetar a pele, unhas, a garganta e também a zona bucal. É causado pelo fungo Candida albicans, que desencadeia o seu processo de infecção.

O que poucos também sabem é que a candidíase oral é muito comum em bebês, sendo nessa fase conhecida como “sapinho”.

Saiba aqui sobre a candidíase e o efeito dessa complicação na zona bucal. Boa leitura!

o que é candidíase oral

O que é candidíase oral?

A candidíase se trata de uma infecção fúngica capaz de afetar também a boca. 90% de suas ocorrências são motivadas pelo Candida albicans, contudo, essa espécie não é o único que pode estar por trás de seu diagnóstico.

Entre as demais variações de microrganismos que podem levar a candidíase estão os tipos krusei, parapsilosis, glabrata e tropicalis. Considere esses casos mais raros e incomuns.

Quando oral, a candidíase pode ser identificada pelo aparecimento de pequenas aftas na boca, proporcionando certa dificuldade para engolir. Não só é detectada em adultos, mas também em idosos e crianças. Pessoas diabéticas e diante de tratamentos que debilitam o sistema imune também são suscetíveis à doença.

Os casos de sapinho em bebês, por sua vez, estão diretamente relacionados ao sistema imunológico ainda pouco evoluído. Quanto aos adultos, a incidência comumente é reflexo da baixa imunidade resultante de complicações como gripes, doenças crônicas e do HIV.

Como é o contágio da candidíase?

A contaminação com o vírus candida albicans é feita por meio do contato direto, seja pelo manual, pelo sexual, ou através de beijos. O compartilhamento de utensílios e objetos deve ser evitado, tal como a prática de relações sexuais sem o uso de preservativo.

dentista1

Quais os sintomas que a candidíase oral pode causar?

Mesmo que seja perceptível na pele e mucosas, o fungo motivador da candidíase pode se desenvolver e causar infecções, trazendo sintomas como o aparecimento de manchas esbranquiçadas e dolorosas na área afetada.

Entre os demais sintomas pode-se destacar ardência, o surgimento de aftas na boca e a sensação de ter um algodão dentro na boca.

A proliferação do fungo e a percepção dos sinais e sintomas de infecção está ligada aos fatores que levam a mudanças na atuação do sistema imune e estimulam a sua propagação, tal como a higiene bucal e a ingestão exagerada de alimentos açucarados.

Diante do agravamento da situação, sintomas de inflamação no esôfago podem ser percebidos, como a dificuldade de engolir e dor.

Nos bebês, em que a contaminação é comum através de beijos, os sintomas do sapinho são: placas ou pequenas manchas brancas na boca, febre alta, perda do apetite, choro frequente e também a dificuldade na ingestão. O aparecimento de manchas brancas na pele nas unhas também pode ser notado.

Quais são os fatores de risco para a candidíase?

A contaminação da candidíase ocorre por meio do contato íntimo com uma pessoa já contaminada com a doença. Entre os fatores que colaboram para o seu contágio pode-se citar:

  •         Gravidez;
  •         Alterações hormonais (menstruação);
  •         Consumo recorrente de anticoncepcionais, corticóides e antibióticos;
  •         Doenças que comprometem o sistema imune (AIDS, HPV, câncer e lúpus);
  •         Manter relações sexuais sem preservativo;
  •         Uso prolongado de roupas apertadas, molhadas e material sintético (absorvente);
  •         Obesidade;
  •         Diabetes;
  •         Idosos;
  •         Fumantes;
  •         Pessoas com boca seca (xerostomia);
  •         Carência de propriedades nutritivas.

Um fato que pode dificultar a ação preventiva a contaminação da candidíase é a falta de seu diagnóstico. Logo, é essencial que haja o contato imediato com um especialista na percepção de algum dos sintomas.

Medidas que fortalecem os sistemas imunológicos também podem ser adotadas.

Como é o diagnóstico para candidíase oral?

O diagnóstico da candidíase oral é feito pelo dentista, levando em conta o seu histórico e os sintomas perceptíveis, avaliando o quadro bucal do paciente. Geralmente, o profissional poderá dignosticar a doença somente atráves da visualização de suas lesões na boca, ou ainda encaminhar o paciente para o recolhimento de amostra celular tendo uma análise mais precisa.

Qual o tratamento da candidíase oral?

O tratamento da candidíase oral costuma envolver medicamentos tópicos ou orais focados no controle da proliferação do fungo. Para amenizar a dor e o incômodo, fármacos e remédios caseiros podem ajudar. A medicação deve ser prescrita ou orientada pelo dentista, sob o risco de complicações do caso.

Geralmente a medicação é feita por antifúngicos, por antissépticos de aplicação (tópicos) além do uso de suplementos alimentares em caso de deficiências alimentares.

remedio para candidiase oral

Remédio para candidíase oral

Nistatina

Entre os possíveis medicamentos a serem recomendados estão antifúngicos como a Nistatina. O uso da Nistatina é feito com gargarejos e logo após, por sua ingestão periódica de cerca de 4 vezes ao dia, de 5 a 7 dias.

Pomada candidíase

A aplicação da Nistatina em gel, comumente chamado de “gel de nistatina” pode ser feita diante de casos de sapinho em bebês. Esse uso tópico do medicamento deve ser feito após a higiene bucal da criança com uma gaze umedecida, sendo aplicado depois sob as lesões com o tecido limpo.

O uso do gel pode ser feito 4 vezes ao dia, sendo prolongado até 2 dias depois do sumiço de seus sintomas. O sapinho na maioria das vezes é curado após 1 semana de uso.

Fluconazol

O uso do fluconazol, outro antifúngico, também é uma opção de tratamento. Pode ser encontrado em comprimido, tendo uma dose recomendada de 200 mg no primeiro dia, e posteriormente de 100 a 200 mg 1 vez ao dia por um período de 7 a 14 dias.

O tratamento da candidíase por esse medicamento é seguro, tendo uma taxa de sucesso de 90%. As orientações dadas pelo especialista devem ser levadas em conta mesmo com a suspensão dos sintomas.

No entanto, o uso desse medicamento é mais indicado em casos mais graves, podendo ser administrado de forma oral ou intravenosa. Pode ser usado no tratamento da candidíase oral e genital.

Não é necessário está de jejum para ingerir esse medicamento e o seu efeito é percebido 24 a 48 horas depois do primeiro comprimido.

Para o tratamento tópico ou intravaginal das infecções fúngicas, entre os antifúngicos que podem ser indicados pelo seu dentista ou médico especialista estão o Cetoconazol, o Clotrimazol e o Miconazol.

Medidas e cuidados

Durante o tratamento da candidíase oral, além da medicação, alguns cuidados podem ser adotados na rotina. Veja alguns:

  •         Boa higiene bucal;
  •         Evitar alimentos com alto teor de açúcar;
  •         Evitar cigarro e bebidas alcoólicas;
  •         Suspender o uso de antissépticos bucais em casos graves;
  •         Boa higienização de objetos compartilhados e de uso pessoal.

Os maus hábitos, tal como a má higienização oral, má alimentação, o fumo e o alcoolismo, levam a baixa da imunidade, deixando a pessoa suscetível a esse problema de saúde e a demais complicações do caso.

Ademais, o alimentos açucarados permitem que o fungo Candida se prolifere mais rapidamente, já que torna o ambiente propício à sua existência.

Os cuidados com a higiene bucal envolvem a escovação ao menos 3 vezes ao dia, com uma escova de dente com cerdas macias e com o uso diário do fio dental e do antisséptico bucal.

Contudo, o uso do enxaguante bucal deve ser suspenso diante de quadros mais graves, uma vez que pode assumir um efeito nocivo, sendo indicado o uso de antifúngicos orais como o Fluconazol.

Além disso, vale destacar evitar contatos íntimos com pessoas estranhas, já que não se tem conhecimento da probabilidade de contaminação.

Qual o tratamento caseiro para a candidíase?

O tratamento da candidíase pode ser feito por abordagens caseiras com o objetivo de amenizar os sintomas da doença.

A abordagem com chá de poejo, por exemplo, pode ser feita, uma vez que essa bebida possui propriedades que reduzem a proliferação dos fungos, além de favorecer o combate à infecção. Utilize 1 colher de sopa com pedaços de folhas ou flores de poejo e despeje em 1 xícara de água fervente, espere por 15 minutos.

Logo após, realize a passagem do chá na mucosa bucal cerca de 3 ou 4 vezes ao dia.

Ademais, o bicarbonato de sódio serve tanto para o tratamento da candidíase genital quanto para a oral. Para o tratamento da bucal misture 50 gramas de bicarbonato em 1 litro de água, fazendo o seu bochecho da solução e cuspido.

O uso de pastilhas para garganta é outra forma de aliviar a dor.

Quanto tempo dura a Candidíase na boca?

A duração da candidíase oral vai depender da disciplina do paciente ao tratamento e aos cuidados necessários, podendo ir de 1 a 3 semanas.

visitas regulares ao dentista

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são determinantes para a detecção de problemas e lesões bucais em sua fase inicial.

através de uma avaliação diagnóstica precisa que o odontologista consegue encaminhar o paciente para o tratamento precoce e mais assertivo da complicação.

Quanto mais cedo a candidíase oral for identificada, mais tranquilo será o seu tratamento.

Por fim, é somente com as visitas à clínica odontológica em dia que se mantém a saúde bucal em dia, tal como se promove ao paciente bem-estar e melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!