O Que Você Procura ?

afta

Afta: conheça as melhores técnicas de tratamento

dentista2

Afta é um tipo de lesão bucal comum e que é conhecido pela sua experiência bem dolorosa. Se trata de uma anomalia passageira e caracterizada por seu aspecto e por seus sintomas.

Ao contrário de outros problemas bucais, a afta é uma complicação benéfica e não possui tratamento específico, sendo ele focado apenas na amenização das dores e de seu desconforto.

Saiba mais sobre a afta e as suas particularidades. Boa leitura!

o que é afta

O que é afta?

A afta, ou estomatite aftosa, se trata de pequenas lesões que se desenvolvem na superfície da boca. São esferas brancas que ocasionam uma ou diversas úlceras. Apesar de serem pequenas, podem causar dores intensas e causam desconforto principalmente na hora de comer e beber.

Não foi identificada ainda a causa exata dessa complicação, porém, a incidência desses danos pode ser evitada pela boa higienização bucal. Entretanto, fatores como o estresse, algum trauma no local e a ingestão de alimentos ácidos também podem influenciar no surgimento da afta.

Homens costumam ser mais suscetíveis as aftas do que as mulheres.

Quais são as causas da afta na boca?

As aftas, mesmo com a sua aparência um tanto inofensiva possuem uma série de possíveis causas por trás, indo de um sistema imunológico enfraquecido até como sendo resultado de um período de estresse e ansiedade intensos.

Além dessas causas, podemos citar a ocorrência de algum trauma na região; seja por meio de um acidente com mordida, ou por meio de um processo cirúrgico na boca, ou até mesmo por algum problema gastrointestinal ou doença inflamatória.

dentista1

Por isso, não subestime essa “feridinha”, ela pode ser um resultado perceptível de alguma doença ou complicação que ainda não foi identificada.

É por isso que ultrapassando o período de três semanas, se é necessário consultar um médico, uma vez que assim os exames devidos vão ser feitos visando a detecção do real problema. É só com o olhar de um profissional que se é capaz de identificar essa problemática, avaliando a sua gravidade, diagnosticando o problema e encaminhando para o tratamento ideal.

Como identificar a afta?

A identificação desse problema pode ser realizada no primeiro momento, através do primeiro sinal de úlceras brancas e arredondadas. Normalmente, elas se desenvolvem na mucosa do lábio, da bochecha, ou na região abaixo da língua, o que leva ao incômodo.

A percepção parece ser bem fácil, porém, o diagnóstico dessa doença somente pode ser feito pelo odontologista, uma vez que uma série de enfermidades, graves ou não, podem possuir esse sintoma.

Geralmente, a afta possui tempo de existência delimitado, podendo não passar de 15 dias.

como é o tratamento da afta

Como é o tratamento da afta?

Após ser percebida e devidamente diagnosticada, deve ser reavaliada a situação da higiene bucal. Deve-se atentar em manter uma higiene bucal completa, com uma escovação precisa após as refeições, em conjunto com a passagem do fio dental e o uso diário do enxaguante bucal. A higienização correta evita também a implicação de infecções localizadas.

Mesmo com o seu desaparecimento natural, as fortes dores da afta podem exigir outra medida. O uso de medicamentos e pomadas relacionadas a essa doença pode ser aderida, sendo necessária a indicação de um especialista em estomatologia. O uso dessa medicação também pode evitar inflamações, além de reduzir a dor.

Não é indicado a automedicação, já que a falta do diagnóstico pode fazer com que o tratamento possa ser incorreto e indevido, gerando possíveis complicações. Existem medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos específicos e o tipo também deve ser recomendado pelo profissional.

Logo, é por meio de todos esses cuidados que a afta é eficientemente prevenida. É somente acoplando a boa higienização bucal, o uso indicado de medicamentos, e se alimentando de maneira saudável, se atentando ao consumo de alimentos ácidos e temperados, evitando também a uma irritação ainda mais agravante.

É importante evidenciar também a visita regular ao dentista, que é capaz de prevenir, identificar e tratar não só a estomatite aftosa, mas cáries, o tártaro, gengivite e diversas outras.

afta na garganta

Afta na garganta

A afta na garganta compreende o mesmo tipo de lesão nivelada, arredondada e branqueada, no centro, enquanto apresenta uma coloração avermelhada em seu exterior. Também é capaz de trazer incômodo e é capaz de dificultar ainda mais a ingestão de bebidas e alimentos pela dor.

Ademais, entre os demais sintomas da ferida estão a febre, aumento dos gânglios, resultando assim em um forte mal-estar. Essas saliências comumente desaparecem após uma semana, levando consigo a dor e ardência.

Várias lesões podem aparecer ao mesmo tempo ou apenas uma afta pode resultar no desconforto do indivíduo.

Vale ressaltar que a afta não se trata de uma doença infecciosa, nem contagiosa, não possuindo relação com o vírus causador da herpes, o que pode ser pode ser difundido pelo senso comum.

Quais as causas das aftas na garganta?

Na maioria dos casos, as aftas na garganta são causadas pela ingestão de alimentos muito ácidos, por carência de propriedades nutritivas ou pelo estado enfraquecido do sistema imunológico. Geralmente essa condição de debilidade do organismo é resultante da atuação de doenças como o resfriado, gripe e a herpes.

Entre outras motivações das aftas da garganta pode-se destacar fatores genéticos, um trauma na mucosa oral, estresse emocional e alergias advindas do lauril sulfato sódico.

Os casos de aftas, por serem bem comuns geralmente tem suas primeiras aparições no início da adolescência, não excluindo a possibilidade de surgir previamente.

Quando essas protuberâncias assumem tamanhos maiores acabam por demorarem um pouco mais para cicatrizarem, também podendo ser um sinal de doenças ainda mais graves, como câncer e AIDS. Para evitar descontentamentos futuros, não deixe de visitar o seu odontologista para uma avaliação causal.

Deve-se considerar que a afta em si trata-se de uma condição benigna e que pode se tornar crônica. Em casos mais frequentes a afta pode aparecer várias vezes ao ano, e em outros mais graves, os sintomas podem ser ainda mais severos, prejudicando consideravelmente a qualidade de vida do paciente.

Como é o tratamento da afta na garganta?

O tratamento da afta na garganta deve ser feito logo após feita a análise diagnóstica pelo dentista. Considerando a sua motivação, o dentista pode dar algumas orientações ao paciente, como evitar ingerir alimentos ácidos e fazer o uso de pomadas específicas.

Ademais, entre outros possíveis cuidados indicados estão evitar alimentos de difícil mastigação, optar por uma escova de cerdas macias, evitar produtos de higiene bucal com lauril sulfato de sódio; uma vez que ajuda na inflamação, e ingerir mais alimentos ricos em vitamina B, ácido fólico e ferro.

Algumas técnicas caseiras também podem ser aderidas como os bochechos regulares de água morna e sal ou peróxido de hidrogênio para amenizar a dor do local.

Com os devidos cuidados sendo tomados, a amenização das dores e assim a cicatrização da afta ocorrem mais rapidamente, em um período de alguns dias.

Quais os melhores remédios para afta na garganta?

Além das mudanças de hábito e das abordagens caseiras, o tratamento da afta na garganta também pode ser feito por medicação.

Logo, para aliviar a dor, remédios como o Ibuprofeno e o Paracetamol podem ser indicados pelo profissional. Pomadas corticoides e anti-inflamatórias tópicas como a Gingilone e a Omcilon-A, tal como anestésicas tópicas como a Xylocaina pomada 5%, podem ser aplicadas no local.

Por fim, corticosteróides de uso tópico podem ser usados para logo haver a lavagem e anestésicos tópicos também podem ser usados para amenizar a dor, como a benzocaína e a lidocaína.

Quando a afta na garganta for maior que 1 cm de diâmetro, a abordagem do tratamento pode englobar a utilização de um laser de CO2 e o Nd:YAG. Por sua vez, essa abordagem é feita por um médico especializado.

Como prevenir casos de afta na garganta?

Para evitar casos recorrentes de afta, algumas medidas preventivas podem ser adotadas no cotidiano. Entre essas medidas preventivas estão uma boa escovação, o uso devido do enxaguante bucal para eliminar microrganismos, além de evitar alimentos ácidos, tal como alimentos fortemente condimentados e apimentados.

Certos remédios naturais também podem colaborar com a prevenção das aftas, são o extrato de própolis, por sua ação antibiótica e a calêndula, uma vez que possui propriedades anti-inflamatórias.

Ademais, o controle do estresse emocional pode fazer parte dessa ação preventiva, uma vez que grande parte dos casos de aftas estão associados a esse fator.

Quando recorrer à ajuda médica em casos de afta?

Uma vez que as aftas são consideradas um problema benigno, além de normalmente desaparecerem com o tempo, ir ou não ao médico é uma dúvida recorrente. Logo, é indicado que a pessoa recorra ao médico quando as aftas já tenham se estabelecido na zona bucal em um ciclo de 6 vezes por ano.

Dentro desses casos, sintomas como mal-estar, febre e incômodo constante podem ser percebidos. Desse modo, o médico visando identificar a causa por trás da estomatite aftosa recorrente, irá avaliar os sinais identificados, além de encaminhar o paciente para a realização de exames de sangue.

A partir do resultado de um hemograma completo, o médico conseguirá perceber se a motivação da afta se trata de alguma deficiência nutricional, retratada na falta de ferro, vitamina B12, ácido fólico, zinco e demais vitaminas e minerais no organismo. Exames microbiológicos podem ser indicados na suspeita de alguma infecção.

Pela biópsia pode-se detectar se há ou não células cancerígenas por trás das lesões de relevo na boca.

Remédio caseiro para tratar a afta

As aftas, assim como demais lesões que atingem a pele, também possuem abordagens de tratamento que podem ser feitas com ingredientes caseiros. Conheça alguma delas:

Água e sal

O bochecho feito com água morna e sal ajuda a amenizar as dores causadas pela afta, favorecendo o seu processo de cicatrização. Isso se deve às propriedades bactericidas do composto, que ajuda no controle das bactérias do local.

Para conseguir esse efeito é necessário colocar uma colher de sal em um copo com água morna, fazendo bochechos por alguns minutos em uma periodicidade de 2 vezes ao dia.

Chá preto

A aplicação de um sachê de chá preto sobre a lesão da afta colabora dando alívio a dor, uma vez que o chá preto contém taninos, uma substância adstringente que remove os restos e as impurezas do local.

No caso do processo com o chá preto, é necessário a mistura de 1 sachê em uma xícara com água fervente, deixando em repouso por um tempo. Uma vez que a solução já esteja morna, você pode fazer a aplicação do chá sobre a estomatite aftosa.

Cravo-da-índia

É muito comum em casos de afta que pessoas conservem o hábito de mascar cravo-da-índia. Isso se deve às suas propriedades analgésicas e anti-sépticas, que por sua vez realizam a limpeza da região da afta e promovem a cicatrização, e por fim, minimizando o desconforto que ela provoca.

Iogurte natural

O que muitos não sabem é que adicionar iogurte natural na dieta também pode ajudar na cicatrização mais rápida das aftas. Ingerir um pote de iogurte com probióticos e bífidos auxilia no melhor desempenho do intestino e da flora intestinal, assim favorecendo a ação do sistema imunológico.

Leite de magnésia

O leite de magnésia colabora protegendo a afta da ação de bactéria, e assim, também acelerando o processo de cicatrização da ferida.

Para esse efeito, misture 1 colher de leite de magnésia com em um copo de água e bocheche diariamente.

Bicarbonato de sódio

A aplicação de Bicarbonato de sódio é uma das abordagens mais comuns se tratando da afta. No entanto, contrariando o senso comum, a passagem de bicarbonato na lesão não é recomendada, uma vez que pode intensificar a dor.

Esse hábito, por sua vez, foi popularizado pela capacidade do bicarbonato colaborar para a cicatrização mais rápida da anomalia. Isso sendo justificado pelo fato deste composto químico desencadear o aumento do pH da saliva da boca. 

Logo, para a sua abordagem mais tranquila o indicado é que não seja feita a sua aplicação direta na boca.

Para isso, então, é necessário que se dilua 1 colher de café de bicarbonato de sódio em um copo com água, realizando bochechos 2 a 3 vezes ao dia.

afta na língua

Afta na língua

Tão comum quanto a afta no tecido gengival, a afta comum pode aparecer em qualquer idade, até mesmo em bebês. No entanto, entre suas características ela pode se diferir quanto às suas possíveis causas e quanto a algumas novas formas de tratamento.

A afta na língua pode ser causada por outras causas extras como traumas envolvendo a mordida da língua e as peças do aparelho ortodôntico.

A aplicação de gelo pode ser feita para amenizar a dor, ajudando também na hora da alimentação, anestesiando o tecido para a pessoa poder comer tranquilamente. A aplicação de óleo de melaleuca diretamente na afta, a manutenção de um cravo-da-índia na boca, além da ingestão de 1 colher de mel com extrato de própolis também se mostram eficientes.

higiene bucal adequada

Higiene bucal adequada

A higiene bucal não está diretamente relacionada ao aparecimento das aftas, no entanto, a ausência de uma higienização adequada pode influenciar em determinado período na degradação dos dentes pelas cáries.  Logo, os dentes que forem afetados são capazes de motivar traumas na mucosa bucal e incitar na estomatite aftosa recorrente (EAR).

Dessa forma, a falta de cuidados com a higiene pode resultar na periodontite e assim em outros problemas bucais relacionados. Ademais, a doença periodontal pode motivar a mordida incorreta da arcada dentária (maloclusão), favorecendo no aumento do aparecimento de traumas na mucosa oral.

Nesse sentido, o surgimento das afta se torna mais comum em pacientes susceptíveis. Após feito o diagnóstico, a afta também pode ser tratada através de uma higiene bucal adequada, que nesse caso deve ser feita com uma escova de cerdas macias, fio dental e enxaguantes bucais sem álcool, buscando evitar irritações. O uso desse tipo de antisséptico pode ser feito 3 vezes ao dia.

A relação entre a higienização bucal e a estomatite aftosa, no entanto, pode ser resumida na incidência dessas lesões por meio das infecções advindas dos problemas bucais comuns da má higienização.

Vale ressaltar que a higiene bucal em casos de afta deve se basear nas orientações do dentista, considerando as particularidades da situação. Assim como, quanto ao tratamento, apenas siga o que foi recomendado pelo seu dentista.

Por conseguinte, os tratamentos farmacêuticos são indicados quando as medidas de higiene são vistas como insuficientes. Logo, o diagnóstico deve compreender exames que busquem identificar as possíveis patologias por trás do aparecimento das aftas.

quando devemos ir ao dentista

Quando devemos ir ao dentista?

Antes mesmo de escolher o profissional, devemos ter em mente com que frequência devemos visitar o dentista. Infelizmente, nossa cultura é visitar o consultório odontológico apenas quando sentimos alguma dor ou estamos com algum problema. Porém, com as informações disseminadas nas redes sociais isso está se transformando e vem mudando dia-a-dia.

Enfim, visando à saúde de nossa boca, o ideal é ir ao consultório fazer as consultas rotineiras, e avaliações da saúde bucal de seis em seis meses. Fazendo a limpeza de dente, aplicando flúor, eliminando o tártaro e a placa bacteriana por meio da raspagem e consequentemente mantendo os dentes protegidos contra as cáries.

Mesmo aqueles que têm um cuidado a mais com a higiene bucal, realizar essa visita ao dentista semestralmente é indispensável. Pois com esse acompanhamento contínuo, caso apareça algum tipo de problema, será identificado logo no início, possibilitando um tratamento mais assertivo, com isso prevenindo um desgaste do dente maior.

Em alguns tipos de casos, seu especialista pode pedir um intervalo menor do que seis meses para as consultas, por exemplo, para aquelas pessoas que possuem doença periodontal crônica, com dentes sensíveis ou mesmo aquelas que possuem implante dentário ou faz uso de aparelho ortodôntico.

O que faz o dentista escolhido ser um ótimo profissional?

Antes de tudo ele precisa pedir todos os exames radiográficos para que possa compreender seu histórico. Considerar sua individualidade e saber o que você deseja e almeja de tratamento. Muitas das vezes, o paciente quer apenas solucionar a parte estética, porém, na cavidade bucal acabam existem diversos problemas que dever ser resolvidos antes disso, por exemplo, a gengivite, tártaro e cárie.

Depois disso, é interessante que o tratamento seja bem traçado e separado em etapas, porque não tem a possibilidade do dentista especialista querer resolver tudo de uma vez só. Dessa forma, se feito de uma forma satisfatória, o procedimento pode ter duração de até um ano, dependendo que qual tratamento será aplicado para seu caso.

Outros pontos importantes a se observar na hora de escolher o profissional ou a clinica é a limpeza e organização do local, um atendimento com uma atenção integral, uma boa conexão entre profissional e paciente.

o sorriso perfeito

O sorriso perfeito

Fazendo visitas frequentes ao dentista você pode reivindicar algumas orientações sobre os tratamentos estéticos mais realizados hoje em dia. Caso haja alguma insatisfação quanto a aparência de seu sorriso ou quanto a formação de seu rosto, alguns procedimentos de fins estéticos podem ajudar a renovar a sua autoestima.

Desde os mais comuns como a aplicação de lente de contato dental, implante dentário e facetas de porcelana até os mais extensivos como a harmonização facial, bichectomia, gengivectomia e preenchimento, a estética já é uma das especialidades da odontologia, tendo a tecnologia e a competência dos profissionais como aliada.

No entanto, ainda aqui deve-se ressaltar a importância da adesão de bons hábitos na rotina, já que a estética bucal pode ser comprometida por problemas bucais e lesões bucais recorrentes de costumes negativos.

lesão bucal

Lesão bucal

As lesões bucais se tratam de feridas, manchas, inchaços e infecções que se desenvolvem na boca. Assim como as aftas, outras complicações como a candidíase oral (sapinho) também podem trazer desconforto e prejuízos à qualidade de vida de seu portador.

Tal como as aftas, os demais tipos de lesão também podem se desenvolver em qualquer lugar da boca, também compreendendo a língua e a região dos lábios.

No entanto, algumas são mais suscetíveis em determinadas faixa etárias, condição socioeconômica e etnia. Ainda levando em conta características propícias comuns como maus hábitos e quadro imunológico.

As mais comuns são:

  • Candidíase;
  • Herpes Simples;
  • Leucoplasia;
  • Xerostomia;
  • Câncer bucal;
  • Doença mão-pé-boca.

Candidíase bucal ou oral

A candidíase também conhecida como sapinho, se remete a uma infecção advinda da ação do fungo Candida albicans na zona bucal. Essa infecção geralmente se dá em bebês, isso porque a sua imunidade ainda não se encontra em um bom nível para se proteger do fungo.

Adultos que também se encontram com o sistema imune debilitado devido a outras doenças também estão mais suscetíveis a desenvolverem candidíase.

A candidíase pode ser identificada por meio de placas esbranquiçadas e que causam uma leve ardência, dores e certo desconforto. O tratamento para candidíase oral inclui o uso de enxaguantes bucais, além da abordagem com antifúngicos e de uma higiene bucal adequada.

Ademais, para o tratamento ideal é necessário o acompanhamento odontológico devido, e com um odontopediatra em caso de crianças. Uma abordagem caseira pode ser feita com chá de poejo, uma vez que contém propriedades que controlam a proliferação dos fungos, tal como agilizam o combate à infecção.

Herpes Simples

A herpes simples se trata de uma infecção causada pelo vírus herpes humano (HSV 1 e 2) que pode ser identificada pelo aparecimento de um conjunto de bolhas nos lábios, podendo aparecer em outras áreas do corpo.

É uma infecção sexualmente transmissível (IST), transmissão essa que se dá por meio do toque com as lesões de uma pessoa infectada. O vírus da herpes atua em intervalos, se mantendo escondido no organismo até os momentos de surto da doença.

Essas lesões dolorosas são comumente confundidas com aftas quando identificadas em crianças, assumindo o nome de estomatite herpética. A herpes cutânea se manifesta em erupções cutâneas formadas por pequenas bolhas que retêm um líquido claro ou amarelado, e previamente são sinalizadas por sintomas como coceiras, ardência e formigamento. Costumam desaparecer após o período de uma semana.

A primeira incidência da infecção tende a possuir sintomas mais severos, também sendo mais prolongada que seus demais casos. Em meio a sua recorrência os sintomas característicos se mantêm os mesmos, no entanto, a intensidade não se compara a primeira aparição.

Para o seu tratamento são indicados remédios antivirais que auxiliam na redução do intervalo de desenvolvimento de sua crise, controlando os seus sintomas. Ademais, alguns cuidados podem ser tomados como o uso de preservativos, evitar exposições prolongadas ao sol, lavar sempre as mãos quando tocar a ferida, além do acompanhamento médico necessário.

Leucoplasia

A leucoplasia oral se trata de um quadro na qual são identificadas manchas esbranquiçadas na zona bucal, como na língua, na gengiva e no interior da bochecha. Ao contrário de demais tipos de lesões, essas placas não causam dor, nem ardência ou formigamento.

Por sua vez, costumam desaparecer naturalmente depois de determinado período. Este tipo de lesão está comumente associado ao uso de cigarro, além do consumo de substâncias irritantes, tais como bebidas alcoólicas. A leucoplasia é mais comum em homens entre 40 e 60 anos de idade.

Entretanto, essas feridas, mesmo sendo consideradas benignas, podem estar associadas a uma infecção pelo vírus Epstein-Barr, condição essa que recebe o nome de leucoplasia-pilosa. A leucoplasia pilosa, assim como demais doenças relacionadas às lesões bucais, possui relação com a debilidade do sistema de defesa.

O diagnóstico da leucoplasia só pode ser feito pelo médico e por meio dos exames requeridos. Assim como outros exemplos, suas lesões não possuem tratamento específico, se baseando no controle de maus hábitos, como o fumo. Em caso de células cancerígenas, o processo cirúrgico de crioterapia pode ser feito.

Xerostomia

A Xerostomia compreende a condição de boca seca, se tratando de uma doença que possui como característica principal a falta de saliva. A salivação, por sua vez, é uma das qualidades da zona bucal essenciais para evitar  problemas bucais frequentes como o tártaro e as cáries.

Entre as causas da xerostomia estão o uso de certos medicamentos, a realização da radioterapia, da quimioterapia, além de ser uma das consequências de alguma outra doença. É uma condição temporária, que pode durar dias ou meses, sendo esse período dependente da gravidade do problema e de sua causa principal.

Tal como a grande maioria das lesões bucais, é capaz de gerar dor, e comprometer com a higiene bucal, com a fala e a deglutição do paciente, e assim causando mau hálito e reduzindo consideravelmente o pH da boca. Com a diminuição do pH, a zona bucal fica suscetível a ação de microrganismos.

A xerostomia pode ser causada por certos medicamentos e pela radioterapia feita de forma ionizante (irradiação) na cabeça e pescoço, que é uma das abordagens do tratamento do câncer. Entre os exames que podem ser requeridos estão a biópsia das glândulas salivares e a sialometria.

Por fim o seu tratamento pode ser visto na interrupção dos remédios nocivos, de fármacos colinérgicos, a substituição da saliva, além do cuidado devido quanto à higiene bucal adequada e as visitas regulares ao dentista. Para o controle de seus sintomas, além dessas abordagens a reposição das secreções é indicada.

Câncer bucal

O câncer de boca se trata de um tumor maligno e geralmente é diagnosticado pelo odontologista. Suas lesões podem se desenvolver em toda a zona bucal, seja nos lábios, língua, no tecido gengival ou interior da gengiva. Pessoas que possuem mais de 50 anos são mais propensas a desenvolverem esse tumor, tal como fumantes, portadores de HPV e diante da má higienização bucal.

Entre os sinais mais comuns do câncer de boca estão feridas ou aftas que possuem um processo de cicatrização demorado. Ademais, a halitose, dor de dente, na garganta e irritação também podem sinalizar o câncer de boca.

No entanto, em casos mais graves, o câncer bucal pode assumir sintomas como dor ao falar, ao mastigar e engolir, perda de peso repentina, perda de dentes e o aparecimento de caroços no pescoço conveniente com o aumento das ínguas.

O diagnóstico dessa condição pode ser feito apenas pela observação das lesões e demais sintomas pelo profissional, podendo o médico requerer uma biópsia de uma parte da ferida. Após a confirmação, uma tomografia é feita para a identificar a proporção da doença.

O tratamento pode ser feito por meio de cirurgia para que haja a retirada do tumor e em seguida continuando por sessões de quimioterapia e radioterapia. Para a escolha do tratamento ideal é levado em conta a gravidade, a abrangência e a capacidade de expansão do câncer.

Por fim, diante dessa complicação, não hesite em consultar seu dentista ou um clínico geral fazendo com que o tratamento comece o quanto antes, elevando a probabilidade de cura. A prevenção é feita pela eliminação dos maus hábitos relacionados, assim como com uma dieta saudável e equilibrada.

Doença mão-pé-boca (HFMD)

A mão-pé-boca se trata de uma doença contagiosa por sintomas como a febre alta e dor de garganta, seguidos logo após pelo surgimento de manchas vermelhas na boca, faringe e amígdalas, além da manifestação de bolhas nas palmas das mãos e nas plantas do pé (parte inferior).

É causada pelo vírus Coxsackie da família dos enterovírus, que vivem no sistema digestivo e também motivam o aparecimento das estomatites (afta). É uma complicação mais comum nos primeiros anos de vida, previamente aos 5 anos de idade.

O processo de incubação do vírus pode chegar a uma semana. Geralmente seus sintomas são moderados, se assimilando aos de um resfriado. Contudo, a virose pode não se manifestar pelos seus sinais mais comuns, se limitando as suas lesões bucais ou as suas erupções cutâneas. Mal-estar, vômitos, diarreia e perda do apetite também podem ser percebidos.

A transmissão ocorre pelo contato com objetos, alimentos e secreções contaminadas. Seu diagnóstico é feito pela avaliação dos sintomas perceptíveis pelo médico, podendo exigir exames como sangue e fezes para identificar casos de infecção.

O tratamento da doença mão-pé-boca, pela falta da vacina, se resume a medicação com antitérmicos e anti-inflamatórios, visionando que a infecção regride mais rapidamente. Em casos mais graves, o uso de antivirais pode ser indicado. Entre as demais recomendações estão a boa alimentação, boa hidratação e o repouso de acordo com as restrições médicas.

como montar um kit de higiene bucal

Como montar um kit de higiene bucal?

Uma boa e eficiente higiene bucal não se limita apenas as técnicas adequadas e a frequência, mas também a escolha dos produtos ideais.

Como todos os dentistas costumam enfatizar, a higiene bucal não se limita somente à escovação, e em sua completude deve compreender a passagem do fio dental e o bochecho do enxaguante bucal.

As visitas periódicas ao consultório odontológico também são essenciais para a manutenção de um sorriso mais saudável. Se atente também aos procedimentos regulares e não somente ao preço do clareamento dental.

Então, antes de mais nada, antes mesmo de sair de casa, é importante se ter em mente que o que possui mais relevância na escolha dos produtos é a sua eficácia e não a sua aparência. A aparência também pode ser relevante, mas há características que requerem sua maior atenção.

No entanto, a lista de compras compreende 4 produtos fundamentais: a escova de dente, o creme dental, o fio dental e o enxaguante bucal.

escova de dente

Escova de dente 

A escolha da escova de dente deve se basear em suas cerdas, cabeça e corpo.

As cerdas devem ser retas e macias, para evitar o desgaste do esmalte dentário e de machucar as gengivas. A cabeça deve ser pequena para facilitar a realização dos movimentos na zona bucal e fazer com que a limpeza atinja os dentes posteriores. E o corpo, por sua vez, não deve atrapalhar o manejo da escova, sendo proporcional.

A escovação, por fim, deve ser realizada ao menos 2 vezes ao dia, acompanhada por um creme dental com flúor. Leve em conta que a escovação noturna é considerada a mais importante, uma vez que a salivação diminui durante esse período.

No caso de pacientes que estejam passando por um tratamento com o aparelho ortodôntico, uma escova ortodôntica e interdental pode ser uma substituição justa. Além de que já existe no mercado um modelo de escova elétrica.

creme dental

Creme dental

Assim como a escova de dente, o creme dental está disponível em vários modelos no mercado, possuindo componentes e propriedades específicas. Logo, a escolha do creme dental, especialmente, deve contar com a indicação do dentista e da noção situacional de sua saúde bucal.

Dentre as propriedades específicas do creme dental pode-se encontrar: combate à sensibilidade, ao tártaro e a doença periodontal. A pasta de dente tem como objetivo otimizar a limpeza da escova, e também possui propriedades comuns, como o combate à proliferação de bactérias e ao mau hálito.

fio dental

Fio dental

O fio dental, por sua vez, tem como objetivo otimizar a higienização em si, removendo resíduos de alimentos e acúmulos de placa bacteriana entre os dentes. Como as cerdas da escova não conseguem atingir esses espaçamentos, o uso do fio dental é essencial.

O fio dental ideal para conseguir realizar essa limpeza com eficiência é aquele que possui apenas um filamento, não desfiando durante a passagem pela sua maior resistência.

Para pacientes que estejam passando por um tratamento ortodôntico, a indicação dos especialistas é um fio super floss. Já para quem possui dificuldade em realizar a passagem do fio, a compra de um passa fio pode ser a solução.

enxaguante bucal

Enxaguante bucal

O bochecho do enxaguante bucal é essencial para finalizar a higiene bucal com chave de ouro. É pelo uso do antisséptico que se consegue eliminar as bactérias e restos de alimentos restantes, impedindo a evolução dos microrganismos nesses resíduos.

É capaz de criar uma película protetora ao redor da arcada e ainda combater a halitose e trazer refrescância ao hálito. Deve ser um hábito diário, assim como o uso do fio, especialmente para quem está passando por um tratamento por aparelho.

A seleção do enxaguante, por fim, deve se restringir a aqueles que não possuem álcool em sua composição e que possua flúor.

Logo, é de grande importância para uma higiene bucal precisa e completa, que se saiba realizar a escolha correta dos produtos. Para quem é vítima da correria do dia-a-dia, nada melhor do que levá-los consigo em um estojo, mantendo o sorriso mais branco e saudável.

É somente pela colaboração entre uma boa higiene bucal e as idas regulares ao dentista, que há a manutenção da saúde bucal devida, e assim, a proteção da zona bucal aos problemas que ela está suscetível.

Os bons cuidados com a higiene bucal

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a escovação sozinha não é capaz de proteger a zona bucal dos problemas a qual está suscetível.

Para uma boa higiene bucal as suas técnicas, assim como o uso do fio dental e do enxaguante bucal são igualmente importantes.

Problemas bucais comuns como o tártaro, as cáries e a gengivite, podem ser evitados através de uma higiene bucal completa e precisa e pelas visitas regulares ao dentista.

A escovação e as suas técnicas

A escovação é a base de uma higiene bucal bem feita, contudo, para uma limpeza eficiente deve-se atentar às suas técnicas adequadas.

O processo de escovação deve ser feito por meio de movimentos circulares na dentição e por varreduras na língua e no tecido gengival. Deve ser realizada ao menos 2 vezes por dia, sendo ao acordar, nos intervalos das refeições e ao se deitar.

Por sua vez, a escovação noturna, juntamente ao restante da higienização, é considerada a mais importante, já que a salivação diminui durante o sono. Com isso, é nesse momento que a passagem do fio dental e do enxaguante bucal deve entrar em cena.

Passagem do fio dental

O uso do fio dental deve acompanhar uma das escovações diárias. Possui como principal finalidade a remoção de restos de alimentos e placa bacteriana nos espaçamentos entre os dentes.

É tendo a passagem do fio dental como hábito, alcançando regiões que não foram atingidas pela escovação, que se consegue combater a proliferação de bactérias em sua completude.

Uso do enxaguante bucal

O uso do antisséptico bucal também deve ser diário, sendo a fase final de uma boa higiene bucal. É por esse hábito que se consegue eliminar as bactérias e retirar os resíduos que ainda se encontram soltos pela zona bucal.

Com isso, se impede que mesmo pela escovação e pelo uso do fio dental as bactérias reajam sobre essas sobras e formem as placas bacterianas. É por essa evolução que surgem as demais complicações e consequências, que é o caso do mau hálito.

Bem como, a halitose é causada por essa reação que as bactérias fazem ao absorverem os nutrientes dos restos de alimentos, liberando uma toxina de odor desagradável.

O enxaguante bucal também é capaz de sanar esse odor e trazer mais refrescância ao hálito. Por fim, um sorriso mais branco e um hálito mais agradável é o resultado final.

Para colher esse efeito, o bochecho desse produto deve durar ao menos 30 segundos.

Higiene bucal noturna

Durante a noite, a higienização deve ser ainda mais considerável. Dormir sem realizá-la não é uma opção, já que é durante a noite de sono que a boca se torna um local ainda mais acessível a ação de bactérias nocivas, já que é quando a salivação diminui.

Portanto, para evitar a incidência de cáries e demais doenças, escove bem os dentes, a língua, e previra esse horário para fazer o uso do fio dental e do enxaguante.

Visitas regulares ao dentista

Tão importante quanto uma higiene bucal bem feita são as visitas periódicas à clínica odontológica. É por essas idas ao consultório que são identificados os danos à saúde bucal em sua fase inicial, fazendo com que o tratamento ideal aconteça o quanto antes.

É também por essas visitas ao dentista, que procedimentos periódicos como a profilaxia, a limpeza profissional, podem ser feitos. Esse tratamento, no caso, deve ser feito a cada 6 meses, otimizando a própria higiene bucal realizada em casa.

Pelo contato com o odontologista, conseguimos também acolher as suas orientações e indicações profissionais, conseguindo por essa análise, aprimorar a execução dos bons hábitos.

Dieta saudável e equilibrada

Uma boa alimentação também está relacionada com a saúde bucal, isso se deve ao fato de que são os alimentos açucarados e ricos em amido as principais causas da formação das placas bacterianas e cáries, já que gruda facilmente na arcada.

Logo, não deixe de realizar a escovação entre os intervalos das refeições e beba muita água para que as impurezas possam se desgarrar.

Priorize uma dieta que tenha base em alimentos saudáveis e nutritivos, que são capazes de fortalecer o organismo, e assim, a estrutura dentária.

alimentação e saúde bucal

Alimentação e saúde bucal

A boa é considerada o nosso cartão de visita pelos dentistas. Logo, as preocupações quanto à estética e a estrutura da arcada não devem se limitar à qualidade de higiene bucal. A alimentação saudável, vem então como um complemento, fazendo com que o efeito de uma boa limpeza, não seja perdido pela má alimentação.

A má alimentação afeta negativamente toda a boca, uma vez que alimentos açucarados são os principais causadores da cárie. Além disso, os efeitos nocivos que a má alimentação traz à zona bucal podem ser também sinais de danos ainda maiores no interior do organismo.

Essas reações negativas podem indicar a carência e a necessidade de determinado nutriente na alimentação, fazendo-se necessário a sua reposição e a reeducação alimentar.

Deve-se atentar também a textura e a facilidade de remoção dos resíduos dos alimentos na higiene bucal, quanto mais difícil, maior a probabilidade de danos. Uma vez que se consome alimentos de difícil remoção, se exige mais da higiene bucal, e é mais provável que ela não seja tão eficiente, favorecendo a formação de placas bacterianas.

As propriedades da alimentação

A alimentação pode colaborar ou limitar com a higiene bucal. Enquanto os alimentos açucarados favorecem a formação de placas bacterianas e futuramente das cáries, existem alimentos que ajudam na limpeza da dentição.

Esses alimentos, chamados “detergentes”, ajudam na eliminação de restos de alimentos que ficaram sobrepostos na superfície do dente. Dentre esses alimentos estão a laranja, a pêra e a maçã.

Os alimentos açucarados, por sua vez, influenciam na queda do pH da boca, o que leva a desmineralização do dente, e por isso as eventuais complicações. Chamados alimentos cariogênicos, alguns exemplos são o chocolate, chicletes e balas.

A falta de nutrientes e minerais essenciais ao bom estado e ao fortalecimento do organismo também influenciam no desenvolvimento de problemas bucais. Dentre as alterações na boca que podem indicar essa ausência estão a afta, a queimação bucal, o sangramento da gengiva, doença periodontal e a cárie. A alimentação deve então conter vitaminas, cálcio, ferro, magnésio e zinco em sua composição.

Como os alimentos consumidos podem afetar a saúde bucal?

Como a primeira fase do processo digestivo, a boca possui um papel essencial para a saúde do corpo, tendo o quesito nutricional uma das principais influências. Uma vez que os alimentos ingeridos não possuem boas propriedades, essa falta pode ser nociva em várias partes da boca, assim como no restante do organismo. Esse enfraquecimento, juntamente com a falta da higiene bucal devida, pode fazer com que a saúde bucal se debilite ainda mais.

Essa combinação nociva pode vir em formas de complicações bucais como as cáries, o tártaro e a gengivite; uma vez que a região se encontra enfraquecida pela falta de nutrientes e desprotegida contra a ação de bactérias. Um alimento mais complicado de ser removido das superfícies dentárias também pode afetar negativamente a saúde bucal, fazendo com que seja necessário levar em conta a sua espessura.

A cárie e a alimentação

Como dito, uma dieta concentrada em alimentos com grande quantidade de carboidratos e açúcares influencia na incidência de cáries. Isso acontece, pois, essas categorias possuem um combustível adicional a produção de ácidos nocivos, que influenciam a desmineralização do dente.

As bactérias, que por sua vez são naturais da boca, adaptam os açúcares para a sintetização de acidez. Logo, a higiene bucal completa é a solução para que a placa bacteriana seja removida, evitando a futura formação da cárie, de tártaro e até mesmo gengivite.

A boa alimentação, nesse caso, faz com que o corpo se fortaleça e seja capaz de reagir contra os agentes causadores da doença; não ignorando a boa higiene bucal. A importância desses dois hábitos deve ser evidenciada desde o início, impedindo que as crianças tenham seus dentes desgastados com o tempo.

Alimentação, higiene bucal e estética

Uma boa alimentação, ajuda na boa higiene bucal, e uma boa higiene bucal, promove uma estética mais agradável ao sorriso. Além dos alimentos cariogênicos, há aqueles que mancham os dentes.

Bebidas como o chá, o café e o vinho são um dos exemplos que podem desgastar e escurecer os dentes em um longo período de tempo. Isso se deve a sua forte pigmentação, que conseguem penetrar o esmalte da arcada e fazer com que as manchas sejam estáveis.

Para a solução desse problema, a intervenção da limpeza dental não é eficiente, necessitando do procedimento do clareamento dental. A reação da pigmentação na arcada faz com que a dentição fique com um aspecto menos saudável, e assim, menos atraente.

Portanto, não deixe de lado os cuidados necessários quanto à saúde bucal, e tenha em mente que os cuidados com sua dieta estão diretamente relacionados. A colaboração de seu dentista e um nutricionista é bem-vinda e só é capaz de trazer benefícios.

confie na oraldents

Confie na OralDents

Por fim, na clínica odontológica OralDents, mais do que recuperar sua saúde bucal, você recupera a alegria de viver. 

Um sorriso bonito e saudável faz toda a diferença e é sabendo disso que nossa rede compreende profissionais qualificados e comprometidos em proteger a sua dentição.

A Clínica OralDents vem cada dia mais se inovando e trazendo para o mercado um novo conceito em Odontologia. Fazendo a junção de conforto, inovações, técnicas avançadas e de uma equipe capacitada, que se reverte em uma prestação de serviço de qualidade e clientes satisfeitos.

A OralDents busca oferecer em um só lugar, uma gama completa de tratamentos odontológicos, desde aparelhos ortodônticos a procedimentos de estética bucal. Uma prestação de serviço de qualidade e que possui uma excelente relação custo-benefício.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você tem alguma pergunta? Deixe sua pergunta abaixo e nós teremos prazer em respondê-las.

dentista

Deixe um Comentário

(0 comentário)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo Agende Uma Consulta Agora!